'Dia D' aplica 5.217 doses e inicia nova fase da vacina contra gripe




02/05/2022    563

Ação de imunização realizada pela Prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), no último sábado, 30 de abril, ‘Dia D de Imunização’ foi considerado um sucesso pela equipe de Vigilância em Saúde do município. No total, 5.217 doses foram aplicadas, deste total 2.478 contra a gripe (INFLUENZA), 1.671 contra o Sarampo (tríplice viral); 513 contra a Covid-19 e 555 de outros imunizantes de rotina tanto de idosos, adultos, jovens e crianças.

“Me sinto estimulado em continuar nesta missão de imunizar, de vacinar a todas as pessoas para que a saúde delas esteja protegida e tenhamos menos risco de vida para todos de Várzea Grande”, disse o prefeito Kalil Baracat para quem os resultados futuros serão consolidados na segunda maior cidade de Mato Grosso.

O secretário municipal de Saúde, Gonçalo de Barros, pontuou que a vacinação é uma das formas mais efetivas para a prevenção de doenças. Ele destacou que a vacina impede as complicações, internações e mortes. Além disso, frisou que todas as vacinas disponibilizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) à população são estudadas, aplicadas, avaliadas e validadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

“A participação expressiva da população que compareceu às unidades de saúde no ‘Dia D’ para ser vacinada, nos proporcionou iniciar a segunda fase da campanha a partir de hoje, 2 de maio, para as pessoas com 60 anos acima, trabalhadores da saúde e crianças de 6 meses a menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias). Fora isso, estendemos para a gestantes, mulheres que deram à luz até 45 dias (puérperas), pessoas com deficiência, professores, profissionais das forças de salvamento e segurança, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, indígenas, caminhoneiros, motoristas e cobradores do transporte coletivo e portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens que cumprem medida socioeducativa e população privada de liberdade”, explicou Gonçalo Barros.

Gonçalo de Barros, afirmou que a vacinação contra o sarampo é estratégica, por causa da reintrodução do sarampo no país, tornando um risco o surgimento de surtos da doença, que pode ser grave em alguns casos.

“A Organização das Nações Unidas (ONU) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) vem alertando sobre o risco iminente de epidemia de sarampo, informando que os casos aumentaram cerca de 80% no mundo e que em muitos países, inclusive no Brasil, há surtos ativos. Por isso da necessidade de tomar a vacina, uma doença prevenível com vacina. A vacinação é algo extremamente relevante, tanto do ponto de vista individual e, principalmente, do coletivo”, sublinhou o secretário. Ele frisou ainda que a vacina da influenza está atualizada com a cepa H3N2 que está circulando este ano e que, por isso, mesmo quem tomou a vacina no final do ano passado, deve tomar novamente.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Relva Cristina de Moura, disse que foi registrado no país ocorrência dos novos casos de sarampo, devido à diminuição gradativa da cobertura vacinal contra a doença. Ela relata que o Brasil recebeu o Certificado de País Livre do Sarampo em 2016. No entanto, desde 2015, os índices de vacinação têm diminuído. A cobertura vacinal também tem se mostrado baixa na atual Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, iniciada em 4 de abril. De acordo com Relva, a meta da atual campanha é vacinar 90% do público-alvo.

“A vacinação em Várzea Grande continua, e as doses estão disponíveis em todos os postos de saúde da Atenção Primária, contra o Sarampo e Gripe em nossa cidade. A campanha se estenderá até o dia 3 de junho. A meta da campanha contra a gripe é vacinar 90% dos grupos prioritários. Já na vacinação contra o sarampo, a meta é vacinar 95% em crianças de 6 meses a menores de 5 anos, e atualizar a caderneta dos trabalhadores de saúde”, explicou Relva Cristina.

Por: Da Redação - Secom/VG