No dia do trabalhador, Operário completa 64 anos de futebol e história
PARABÉNS

No dia do trabalhador, Operário completa 64 anos de futebol e história

“ O Clube Esportivo Operário Várzea – grandense chega aos 64 anos com muitas vitórias e conquistas do passado, e hoje, como clube empresa, amarga a Segunda Divisão, mas busca o retorno a elite do futebol mato – grossense”

Nessa quarta – feira, dia 01 de maio de 2013, o Clube Esportivo Operário Várzea Grandense – completa 64 anos de existência. O clube nasceu em 1949, quando Rubens dos Santos e um grupo de jovens da cidade, receberam do Bispo Dom Antonio Campello de Aragão um uniforme completo nas cores verde, vermelho e branco, idêntica a camisa do Fluminense Carioca, time do coração do Bispo. Na primeira partida, com gol de Boalva, venceu o Palmeiras do Porto, iniciando com vitória sua gloriosa história. O time que entrou pela primeira em campo era formado por Jorge Mussa, Benedito Sapateiro, Caetano, Assis e Alito; Ciro, Lindolfo e Rubens dos Santos eram os homens do meio campo, e no ataque Zé Simeão, Nono Sapateiro e Boalva.

Uma semana após a estréia, na residência de Joaquim Santana Rodrigues, acontecia a posse da primeira diretoria, e para dirigir o time foi escolhido Luiz Victor da Silva. O clube tinha como diretora financeira a jovem Sarita Baracat, e conforme ela, “ os comerciantes da época contribuíam para que o Operário se firmasse, e mensalmente, era sagrada a contribuição financeira”.

Em 1952 Rubens dos Santos deixa a condição de jogador, assume a presidência, realiza novas contratações, e o tricolor conquista o inédito título de tri – campeão Amador de Várzea Grande.

Em 1958 filia – se a Federação Mato- grossense de Futebol, e passa a disputar o Campeonato Cuiabano, onde conseguiu o primeiro título apenas em 1964. Nesse mesmo ano, em uma de suas maiores façanhas, conquista a Copa dos Campeões de Mato Grosso, vencendo na prorrogação o Ubiratan de Dourados por 1 X 0, gol de Ide”Nahara” aos 13 minutos.  Tinha na presidência  Atair Monteiro, e como treinador, Rubens dos Santos. O time campeão jogou com Saldanha, JK, Martinho, Formiga e Maneco; Ciro, Franklin e Dasmaceno, e no ataque, Ide”Nhara”, Fião e Lício Amorim.

Em 1967 é implantado o futebol profissional em Mato Grosso, e o Operário conquista o título, no ano seguinte, com Branco de Barros na presidência, ganha o bicampeonato. Volta a ganhar o título apenas em 1973, quando foi disputado o primeiro Campeonato Estadual de Futebol Profissional, antes Campeonato Cuiabano e o Campeonato Campo – grandense. Desta feita, todos os times de Norte e Sul participaram, o tricolor marca a história por ter conquistado o primeiro título antes da divisão do Estado.    

 O Primeiro Campeão Estadual do Futebol Profissional de Mato Grosso – 1973 era formado por: Lira, Joel Diamantino, Carlos Pedras, Marcio, Gaguinho, Paulo Fernandes, Zé Pulula, César” Diabo Loiro”, Bife, Gilson Lira e Ruiter. Um Triunvirato formado Beraldo Correa, Professor Expedito Sabino e Rubens Santos, eram os treinadores do time. Elízio Segala e Jota Maia de Andrade como diretores e Ingo José Klein, o presidente.                                  

O time só voltaria a conquistar um título estadual em 1983, vencendo ainda sob o comando de Edvaldo Ribeiro o inédito tri-campeonatos nos anos 1985/86/87. Venceu ainda em 1994/95 e 97, quando contou com Neymar, pai do ídolo santista, no comando de ataque. Ganhou ainda os títulos de 2002, 2005, e 2006. Em 2009, conforme a história, mudou de nome, passando a ser clube empresa, passando a ser o Operário Futebol Clube Ltda. Hoje tem como presidente Sebastião Viana, que dizem prepara um bom time para tentar retornar a elite do futebol mato-grossense em 2014.