Estado apresenta novo projeto arquitetônico do Parque Tecnológico


Várzea Grande anuncia interesse em edificar um Centro de Eventos Modular para atender aos interessados que buscam se instalar no Parque Tecnológico de Várzea Grande que fará parte das Comemorações dos 150 Anos de Várzea Grande

O Governo de Mato Grosso e a Prefeitura de Várzea Grande irão redobrar os esforços no sentido de retirar do papel de forma efetiva o Parque Tecnológico que já desperta o interesse de diversas empresas e indústrias que manifestaram interesse em se instalar em Várzea Grande, o segundo maior município do Estado.

Reunião entre os secretários, Jayme Campos de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande e de Ciência, Tecnologia e Inovação, Domingos Sávio do Governo do Estado discutiu o projeto arquitetônico do Parque Tecnológico.

Parque Tecnológico são áreas públicas com especificidades técnicas, econômicas e todo um aparato que unifique a oferta de mão de obra especializada formada por entidades de ensino público e privada para as industrias e empresas que se instalarem naquele determinado espaço, que no caso de Várzea Grande será na região conhecida como Chapéu do Sol.

A prefeita Lucimar Campos e o secretário Jayme Campos aproveitaram para apresentar um projeto arquitetônico do que deverá ser um Centro de Eventos que está sendo planejado de forma modular para que possa funcionar em partes até que esteja completamente pronto e que atenda as demandas, pois os interessados querem conhecer quais as ofertas que o Parque Tecnológico de Várzea Grande tem a oferecer como forma de atrair seus investimentos para a área.

“Precisamos sobrepor as burocracias deste imenso país chamado Brasil que necessita de resultados que em áreas como os parques tecnológicos que tendem a gerar emprego e renda, mas principalmente tecnologias que nos coloquem em pé de igualdade com qualquer país”, disse a prefeita Lucimar Campos, sinalizando que tem recebido muitas propostas de empresas e industrias ligadas ao agronegócio que enxergam no Parque Tecnológico a possibilidade de alavancarem ainda mais a produção agropecuária de modo sustentável, ou seja, preservando o meio ambiente.

A reunião técnica, entre os secretários Jayme Campos e Domingos Sávio, serviu para traçar novas estratégias na viabilidade do projeto do Parque Tecnológico visto que o início da construção está previsto para ocorrer no segundo semestre deste ano.

Domingos Sávio pediu que se formasse uma força tarefa em torno do projeto com as equipes técnicas tanto do Estado quanto de Várzea Grande, sinalizando “a intenção de iniciar os processos de licitação. Para tanto é necessário a viabilidade documental que depende tanto do município de Várzea Grande quanto do Estado.

O novo projeto arquitetônico segundo Domingos Sávio terá o custo inicial de R$ 4 milhões a serem empregados a serem empregados ainda este ano e outros R$ 4 milhões em 2018 para edificar o primeiro módulo do Centro de Inovações com área a ser construída de cerca de 5 mil m² de uma área total do Parque de 16 hectares, localizado na região do Chapéu do Sol. “O projeto está sendo realizado pela Secretaria de Estado Ciência e Tecnologia e Inovação cujo objetivo central é de fomentar a cultura das inovações e competitividade das empresas e instituições geradoras do saber, impulsionado o fortalecimento e o crescimento do Estado de Mato Grosso e do município de Várzea Grande.

"A desburocratização dos processos e agilidade soma para que o cronograma das obras seja cumprido. A receptividade encontrada na Prefeitura de Várzea Grande na pessoa do secretário Jayme Campos possibilitará a conclusão do projeto e o fortalecimento das relações entre o Município e o Estado visto que o Parque Tecnológico é almejado por todos e que trará investimentos, renda e desenvolvimento econômico além de atrair novas empresas de tecnologia e inovação”, disse Sávio.

O secretario de Assuntos Estratégicos Jayme Campos disse que no que depender de Várzea Grande será viabilizado com eficiência, transparência e economia, porém deve se traçar metas de trabalho para dar celeridade e viabilidade ao grande projeto de construção. “Todos nós ganhamos com a implantação do Parque Tecnológico, mas precisamos ter os pés no chão, avaliar e dimensionar os impactos e fazer tudo de acordo com o Plano Diretor do Zoneamento da Ocupação do solo para uma edificação responsável, segura, dinâmica e ambientalmente correta. Uma vez iniciada as obras, elas não podem parar, por isso, da importância de ter todos os documentos, projetos e as licenças ambientais necessárias”.

Jayme Campos lembrou que a prefeita Lucimar Sacre de Campos havia solicitado ao governador Pedro Taques o início das obras do Parque Tecnológico neste ano em que Várzea Grande completa 150 anos, um marco histórico para a cidade que marca uma nova era na indústria do conhecimento e desenvolvimento socioeconômico.

“O novo projeto apresentado hoje com custo mais baixo, nos assegura que a obra realmente sairá do papel ainda este ano. No complexo estão em execução as obras do campus da Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT, da Universidade Estadual de Mato Grosso - UNEMAT e do Instituto Federal de Mato Grosso - IFMT. Existem ainda interesses de empresas que procuraram o município de Várzea Grande para novos empreendimentos na região, também a construção do Complexo Judiciário do Estado de Mato Grosso, empresas de construção civil, e outras de tecnologia”, explicou Jayme Campos.