Lucimar reafirma crença nas instituições democráticas em posse no TRE/MT


Pellentesque erat arcu A prefeita disse que o Brasil de hoje vive um paradoxo sem precedentes em sua História Política

Frisando que o Brasil vive um momento paradoxal por causa da crise política e econômica que envolve autoridades dos Poderes da República, a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, reafirmou sua crença nas instituições democráticas, principalmente no Poder Judiciário em todas as suas esferas.

Segundo ela, o único erro que não se pode cometer agora é o de não assegurar o legítimo direito ao contraditório e a ampla defesa, pilares judiciais que consolidam a democracia como um todo.

Lucimar Sacre de Campos participou da posse dos desembargadores Márcio Vidal como presidente e Pedro Sakamoto, como vice-presidente e corregedor eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral – TRE/MT para o biênio 2017/2019.

A sessão solene de posse ocorreu no plenário do TRE-MT, e contou com a participação de juízes membros do Tribunal de Justiça, do governador Pedro Taques, presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, presidente do Tribunal de Contas do Estado, Antônio Joaquim, juristas, políticos, membros da Defensoria Pública e do Ministério Público, familiares e demais convidados.

Em discurso, o novo presidente destacou a eficiência do TRE e lembrou da modernização que está sendo implementada: “A biometria traz ainda mais segurança no processo de votação. O nosso grande desafio é chegar nas cidades que estão em processo de implantação de 100% dos cadastros dos eleitores”, disse o presidente.

Ele destacou ainda sobre a importância da democracia. “Não teria sentido ter a Justiça Eleitoral, se não houvesse eleições. As eleições representam o puro exercício da democracia. O processo político atual, com denúncias de corrupção vindas a público constantemente, é um período de transição importante para o amadurecimento político do Brasil, e para a tão necessária Reforma Política, e a retomada do debate em torno da valorização dos mecanismos de Democracia Participativa”, disse o desembargador Márcio Vidal.

Márcio Vidal destacou ainda que o papel do Tribunal Regional Eleitoral vai além da execução e coordenação do processo eleitoral, mas acima de tudo o responsável para a manutenção da democracia e por validar a vontade popular. “A população com o poder do voto, pode mudar os rumos do país, do seu Estado e seus Municípios. A escolha certa, muda os rumos de uma nação. A partir do ‘Mensalão’ o princípio republicano de que todos são iguais perante a lei chegou para o direito penal, e acabou a política do privilégio, de setores que se beneficiavam da corrupção. “O TRE tem um dos princípios e pilares criar e fomentar mais mecanismos de combate a corrupção e ter a população como agente transformador e fiscalizador. Acabou a velha ordem corporativa e corrupta onde muitos neste país se beneficiaram de recursos públicos. A Lei é para todos e vamos apurar os mecanismos anticorrupção”, disse ele.

A prefeita Lucimar Campos ao comentar sobre o discurso de posse, do novo presidente, disse que o Brasil de hoje vive um paradoxo sem precedentes em sua história política e apesar das notícias serem ruins, ao mesmo tempo elas abrem perspectivas para que se adote postura mais proativa.

“Se por um lado temos denúncias de todos os tipos sacudindo os poderes constituídos e seus membros, por outro lado temos instituições sólidas como a justiça, seja ela comum ou eleitoral demonstrando que o combate a qualquer tipo de deslize está mais vivo do que nunca. Reforço aqui a crença nas instituições e que o Brasil vai superar essa crise assim como superou outras que já vieram e se demonstraram como obstáculos que pareciam intransponíveis”, disse a prefeita.

Lembrando ainda , por experiência própria, vivenciada em Várzea Grande, que hoje em sua administração foi superada as mazelas do passado e vive momentos de esperança e satisfação com o Poder Público tentando e aos poucos corrigindo as falhas de um passado não muito distante.

“Sou política e conduzo um mandato dentro da lei e ordem. Na minha gestão defendo a transparência, lisura e correta aplicação dos recursos públicos em prol da população, notadamente aquela que necessita mais do apoio e da presença do poder público. Hoje se renova o comando de uma casa que tem além da sua principal meta a justiça e o respeito às leis, o fortalecimento da democracia”, concluiu a prefeita.

No último dia 15 de abril encerrou-se o biênio dos desembargadores Maria Helena Póvoas (presidente) e Luiz Ferreira da Silva (vice-presidente).