Guardas Municipais de Várzea Grande participam de curso sobre abordagem a criança e adolescentes


Objetivo é capacitar agentes de forma a diminuir os índices de violência contra crianças e adolescentes, bem como afastá-los da criminalidade

A Secretaria de Defesa Social da Prefeitura de Várzea Grande promoveu terça-feira (18/04) mais um curso de preparação para a Guarda Municipal, com vistas à abordagem a crianças e adolescentes. A iniciativa ocorreu em parceria com a Secretaria Municipal de Promoção e Assistência Social através do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS).

De acordo com o palestrante e gerente do CREAS/POP do município, Danilo Moraes, o evento foi direcionado a dezenas de guardas municipais da Prefeitura que mantém cotidianamente contatos com jovens em situação de risco ou vulnerabilidade no município. “O primeiro passo é saber como abordar os jovens e depois encaminhá-los para um conselheiro de plantão. Além de ter conhecimento do Estatuto da Criança e do Adolescente”, citou.

Para o comandante da Guarda Municipal, Evandro Homero Dias, a capacitação tem uma importância especial tendo em vista o trabalho diário de rondas escolares realizadas pela GM na cidade. “Esse curso vai subsidiar os agentes a terem elementos que forneçam uma melhor capacitação para enfrentar problemas com drogas ou violência”, explicou.

Homero lembra ainda que o evento é um referencial para os guardas municipais sobre os abusos e crimes contra crianças e adolescentes. “A capacitação também serviu como troca de experiência entre os agentes e os servidores dos CREAS. Foram debatidos valores familiares e o convívio com a criança e adolescente. Se a família estiver destruída, a tendência é que a criança ou o jovem migrem para o mundo da criminalidade. Precisamos impedir que isso ocorra”, alertou.

Segundo Danilo Moraes a prefeitura de Várzea Grande tem intensificado ações preventivas e educativas, para evitar que crianças e adolescentes migrem para o mundo do crime, “aqueles que já estão no crime, são encaminhados para os CREAS, onde são recebidos com toda atenção, fazem cursos e são preparados para serem reinseridos na sociedade. Por mais que eles sejam menores, eles saem de lá com orientação para que possam procurar o primeiro emprego”, explicou o coordenador.