Profissionais do Pronto-Socorro são capacitados na prevenção de infecções relacionadas com a assistência em saúde


A prevenção e o controle dessas infecções precisam ser feitos em todos os locais onde se presta o cuidado e a assistência à saúde

Dentro da proposta da Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande em garantir a excelência na prestação de assistência à saúde aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e também condições adequadas de trabalho aos profissionais da rede, o Hospital e Pronto-Socorro Municipal, que é a maior unidade de saúde do Município e atende de portas abertas 24 horas por dia, promove mais um ciclo de qualificação para os profissionais da unidade.

Em parceria com o Centro Universitário de Várzea Grande (Univag), a equipe de Atenção Continuada do Pronto-Socorro e Comissão de Controle de Infecção Hospitalar  (CCIH), realizam palestras sobre as formas de prevenção das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS).

O treinamento é destinado aos profissionais da enfermagem, maqueiros e servidores do setor administrativo do Pronto-Socorro, além de universitários que estão cursando os semestres finais do curso de Enfermagem e fazendo estágio em unidades de saúde para colocar em prática o conhecimento adquirido no ambiente acadêmico.

As infecções relacionadas à assistência em saúde são aquelas adquiridas durante a prestação dos cuidados de saúde e representam um dos mais importantes problemas de saúde pública no mundo. A prevenção e o controle dessas infecções precisam ser feitos em todos os locais onde se presta o cuidado e a assistência à saúde.  Para isso, existem diretrizes e normas editadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que precisam ser seguidas. As palestras no Pronto-Socorro para atualizar os profissionais estão inseridas nesse contexto.

Conforme a Anvisa, nas ações de prevenção e controle das IRAS estabelecer prioridades é fundamental. O estabelecimento de políticas e a padronização de procedimentos relacionados à implantação e manutenção de procedimentos invasivos devem ser priorizados. O acompanhamento de boas práticas referentes à execução de procedimentos deve ser proposto, além de indicadores de resultado e avaliação criteriosa da estrutura.

No treinamento, o enfermeiro Jonas da Silva Arruda, responsável técnico pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar  (CCIH) do Pronto-Socorro, discorreu sobre as técnicas de higienização, uso de equipamento de proteção individual e cuidados para evitar acidente ocupacional.

“Participam do treinamento servidores e acadêmicos de enfermagem do Univag do oitavo e nono semestres que realizam um trabalho junto à Comissão sobre a prevenção de infecção relacionada a assistência à saúde. É muito importante essa interação pois o nosso objetivo principal é oferecer  aos nossos usuários do SUS um atendimento humanizado e com qualidade”, explica Jonas.

O profissional lembra que, todo e qualquer hospital oferece riscos físicos, químicos e biológicos aos trabalhadores e pacientes; e por isso, os protocolos e normas precisam ser cumpridos. “Quem prepara as medicações para administrar nos pacientes são os nossos profissionais e nada melhor do que eles serem capacitados para um manejo seguro e oferecer um atendimento de qualidade ao usuário do Sistema Único de Saúde”, observa o responsável técnico.

A equipe de Educação Continuada do Pronto-Socorro trabalha e executa ações que melhoram a qualidade da assistência aos usuários da saúde, seja higienização das mãos, gerenciamento de resíduos sólidos, trabalho em equipe. “Para isso, temos um conjunto de ações que inclui a higienização das mãos, uso de EPI’s, apresentar o fluxograma de acidente ocupacional. São temas que a gente precisa trabalhar in loco para melhorar nossa qualidade de assistência ao usuário e paciente”, complementa.

A supervisora de estágio de enfermagem do Univag, Maria Fernanda de Alencar, pontua que a parceria com a Secretaria de Saúde de Várzea Grande é benéfica para todos os envolvidos: instituição, alunos, pacientes do SUS, gestores e servidores da saúde que de uma forma ou outra vão se atualizar sobre o tema, ao mesmo tempo em que, visa à prevenção.

“Faz parte do nosso currículo trabalhar sempre com a educação continuada e procuramos sempre trazer temas que vão otimizar  e promover qualidade e assistência à saúde. Optamos por discutir sobre prevenção das infecções relacionadas à assistência à saúde porque sabemos que a infecção no ambiente hospitalar acaba aumentando o tempo de internação e recuperação dos pacientes e os gastos com antibióticos. Decidimos trabalhar com esse tema para somar com a instituição, com o Pronto-Socorro de Várzea Grande que nos acolheu bem e foi um campo muito rico para os nossos acadêmicos.  Trabalhar com a prevenção é melhor do que trabalhar com a recuperação”,  ressalta a professora obstetra e neonatologista.