Projeto Executivo do novo Fórum foi aprovado pela prefeitura de Várzea Grande


Secretaria de Desenvolvimento Econômico aprovou o projeto executivo que autoriza a licitação para a contratação da empresa que executará as obras do novo Fórum na região do Chapéu do Sol

Considerada uma das mais importantes obras públicas que serão executadas pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso e construído  em Várzea Grande, o novo Fórum da Comarca, recebeu a aprovação do projeto executivo da obra, por parte da Prefeitura Municipal.

Com essa aprovação, a licitação já pode ser disparada e o futuro vencedor da licitação poderá iniciar as obras imediatamente, assim que obtiver também o alvará da construção.

“É uma obra fundamental para Várzea Grande e sua gente, pois praticar Justiça também é uma ação social de interesse de todos”, disse a prefeita Lucimar Sacre de Campos agradecendo o empenho e a determinação do presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rui Ramos Ribeiro, lembrando ainda que garantir o acesso aos serviços públicos de qualidade sempre foi uma meta perseguida por sua gestão e pelos demais parceiros como o Tribunal de Justiça.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Econômico e Turismo, sob o comando de Kalil Baracat foi responsável pela análise e aprovação do projeto executivo da obra do novo Fórum da Comarca de Várzea Grande. “Tivemos um cuidado especial com este projeto  por ele ser de interesse de Várzea Grande que é a segunda maior cidade de Mato Grosso, como do Estado e do próprio Poder Judiciário, já que a atual estrutura do Fórum da Comarca não tem mais capacidade de oferecer um bom atendimento a população e condições de trabalho tanto para os magistrados como para os servidores da Justiça como um todo”, disse Kalil Baracat.

O novo fórum, com previsão inicial de 21.400 metros quadrados, será construído na região do Chapéu do Sol, área em franco crescimento no município, acessada pela Rodovia Mário Andreazza. O terreno foi doado pelo empresário Juarez Ductievicz.

No local também estão sendo edificados,  o Parque Tecnológico, o Campus da Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT e já está em tratativa a implantação do Campus da Universidade Estadual de Mato Grosso – UNEMAT e do Instituto Federal de Mato Grosso IFMT, sinalizando para a concepção de um Polo Tecnológico e de Formação Acadêmica.

“Nosso papel enquanto gestora pública é tentar unificar esforços no sentido de que a cidade de Várzea Grande se desenvolva e se torne uma referência em qualidade de vida, por isso buscamos parceiros fundamentais como o Governo do Estado, Tribunal de Justiça, a Assembleia Legislativa que está envidando esforços e garantindo emendas para que o novo Fórum e o Parque Tecnológico se torne uma realidade, gerando emprego, renda e principalmente desenvolvimento para todos”, disse a prefeita Lucimar Sacre de Campos.

Ela voltou a frisar como essencial a determinação do presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rui Ramos Ribeiro, como dos ex-presidentes da instituição, Rubens de Oliveira Santos Filho, Orlando de Almeida Perri e Paulo da Cunha, que ajudaram no processo de concepção, que levará a tornar o novo Fórum da Comarca de Várzea Grande como uma realidade.

“Estamos vendo Várzea Grande se desenvolver para mais próximo de Cuiabá, unindo esforços na busca de soluções comuns que atendam a população de ambas as cidades, bem como de Mato Grosso, por isso acredito que este novo salto no desenvolvimento local tem tudo para se tornar uma grata e eficiente realidade”, explicou a prefeita.

Na região do Chapéu do Sol ainda deverá ser instalada a nova Promotoria de Justiça de Várzea Grande que está em discussão com o Ministério Público através de uma reivindicação feita pela prefeita Lucimar Sacre de Campos ao chefe da instituição, o procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo e também a sede a Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, subseção Várzea Grande.

A Prefeitura de Várzea Grande deverá ainda economizar e melhorar o atendimento a população com a obra do novo Fórum da Comarca, levando para o Paço Couto Magalhães que reúne as sedes de todos os Poderes Constituídos, diversas secretarias e órgãos municipais que se encontram em locais distantes e em prédios alugados.

“Quando o novo Fórum estiver pronto, as atuais instalações poderão ser utilizadas pelo Poder Executivo Municipal para agregar todas suas secretarias e órgãos, permitindo um atendimento melhor e mais eficientes, além de representar economia aos cofres públicos com o fim de aluguéis, atualmente necessários para acomodação destes órgãos municipais”, disse Lucimar Campos.