DAE/VG investe em políticas de abastecimento de água e soluciona problemas em tempo real durante mutirão


O próximo passo é realizar todo o recadastramento das unidades consumidoras dos bairros 24 de Dezembro e 07 de Maio para garantir que as moradias em sua totalidade permaneçam recebendo o abastecimento de água contínua e permanente

O problema da falta de água nos bairros 24 de Dezembro e 07 de Maio foi solucionado pelo Departamento de Água e Esgoto de Várzea Grande (DAE/VG). As boas novas de abastecimento contínuo de água chegou aos moradores da região, junto com o mutirão de serviços da Prefeitura de Várzea Grande, o 'Prati-Cidade' na sexta-feira, 01 de setembro. O benefício foi possível após a perfuração de dois novos poços de água, um em cada bairro e a legalização dos mesmos com a liberação de licenças ambientais para o funcionamento.

“Há alguns meses a população desses dois bairros têm sentido a melhora. E, agora nessas últimas duas semanas, finalizamos os trabalhos realizando testes, tirando vazamentos e ligações indevidas, fatores que interferiam no abastecimento contínuo de água a todos os moradores dessa região. Antes de explorarmos os poços também foi necessária a legalização ambiental dos mesmos, que obedece ritos administrativos junto à esfera Estadual, o que demanda tempo”, declarou o presidente do DAE/VG, Ricardo Azevedo Araújo, afirmando que o resultado foi positivo e, que o abastecimento por esses dois poços será estendido a pelo menos outros bairros vizinhos, a exemplo do bairro Gilson de Barros.

Ricardo também explicou que a ação que beneficiou centenas de moradores dos bairros 24 de Dezembro e 07 de Maio faz parte da determinação da atual administração municipal em melhorar a qualidade de vida da população e solucionar principalmente os problemas que mais assolam as comunidades.

“A disponibilidade de água tratada diariamente chegando até as casas das populações, é um dos maiores desafios que temos. Trata-se de um bem precioso que exige tecnologias para seu melhor aproveitamento, captação de forma eficaz e correta, além de pôr fim ao desperdício. Pontualmente nesta situação utilizamos a tecnologia da perfuração de poços artesianos para minimizar a situação”, explicou o presidente do DAE/VG salientando que o Departamento também trabalha com políticas de conscientização do uso da água.

Também quem procurou o posto de atendimento do DAE/VG no mutirão 'Prati-Cidade' pôde solucionar problemas e negociar dívidas. “Nesta edição do projeto social da Prefeitura, além de realizarmos o recadastramentos de unidades consumidores e fazermos a negociação de dívidas, disponibilizamos fiscais que puderam ir in loco nas moradias dos reclamantes e verificar as demandas em tempo real. Acreditamos que essa atitude vai agilizar o atendimento ao consumidor e será bem aceita. Com certeza repetiremos nas próximas edições do Prati-Cidade”, avalia Ricardo Azevedo Araújo.

Durante a sexta-feira (01/09), o posto avançado do Departamento de Água e Esgoto de Várzea Grande registrou 21 atendimentos, todos pedindo a regularização das instalações de água em suas residências. “Esse já é o resultado do abastecimento contínuo da água que estamos oferecendo. Chamamos de cultura reativa. Muitas pessoas têm ligações clandestinas de água e quando o poder público soluciona os problemas de infraestrutura, como foi o caso desses bairros todos querem ter um serviço de qualidade e precisam procurar o Departamento para regularizar tanto a rede de abastecimento que vai até à sua residência deixando assim de ser clandestina, como também querem negociar dívidas passadas. Outro aspecto que demonstra estarmos no caminho certo é que nesta edição realizamos o menor número de atendimentos isso por que, a maior parte das reclamações anteriormente era da falta de abastecimento ou a irregularidade da chegada da água às casas e, hoje, nesta localidade problema solucionado”, explicou o presidente do DAE/VG.

O próximo passo segundo o presidente da autarquia é de realizar todo o recadastramento das unidades consumidoras dos bairros 24 de Dezembro e 07 de Maio para garantir que as moradias em sua totalidade permaneçam recebendo o abastecimento de água contínua e permanente. “Se a unidade consumidora não estiver no nome do proprietário ou morador responsável, não é possível estabelecer essa relação de consumo. A legalização do serviço de abastecimento de água tratada também significa qualidade de vida aos várzeagrandenses”, afirmou Ricardo.