PS e UPA atendem 226 mil


Número de procedimentos nas duas unidades é praticamente o mesmo e com a construção de mais uma UPA alívio será ainda maior para o Pronto-Socorro de Várzea Grande

O Hospital e Pronto-Socorro de Várzea Grande e a Unidade de Pronto Atendimento  (UPA) do Ipase atenderam, entre janeiro a outubro deste ano, mais de 226 mil pacientes para diversos procedimentos.

Os atendimentos na UPA se aproximam muito dos prestados no Pronto-Socorro, o que acabou desafogando a segunda unidade.

Segundo o relatório da saúde do município, o Pronto-Socorro, de janeiro a outubro deste ano, atendeu 115.877 pacientes, sendo que neste período foram realizadas 10.122 cirurgias, 55.465 clínica médica, 23.294 atendimentos de pediatria, 19.184 de ortopedia e 7.812 ginecologia. “Tivemos meses em que foram realizadas mais de 1,1 mil cirurgias”, exemplifica Marcondes.

Na UPA Ipase, foram 110.501 atendimentos de janeiro a outubro, lembrando que a unidade faz atendimentos de urgência e emergência, sem intervenções cirúrgicas. Foram 73.779 clínica médica, 31.077 pediatria e 5.645 atendimentos odontológicos.

 

Nova UPA

O início das obras na Unidade de Pronto Atendimento do Grande Cristo será autorizado pela prefeita de Várzea Grande, Lucimar  Sacre de Campos, nesta segunda-feira (13), quando também fará o lançamento da licitação para construção de quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS) nos bairros Construmat, São Mateus, Cabo Michel e Santa Isabel. “Estamos investindo entre 25% e 30% das Receitas Correntes Liquidas quando a lei determina 15%, numa clara demonstração do nosso compromisso com a saúde pública municipal em Várzea Grande que já melhorou muito nos últimos dois anos, mas não é aquela que consideramos ideal para atender todas as pessoas que procuram uma unidade em nossa cidade”, frisou a prefeita. Ela acrescenta ainda que serão lançadas obras também na área de educação e esportes, e, junto com as de saúde, consumirão recursos estimados em R$ 10 milhões – municipais, federais e estaduais.

Secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes explicou que um erro formal no processo licitatório da UPA do Grande Cristo Rei atrasou o início das obras, mas que a unidade estará pronta e funcionando em 2018. “Os recursos necessários para as obras da UPA estão depositados  em conta corrente e o contrato já foi assinado a um custo de R$ 2.478,5 milhões”, reforça. O calor citado é referente à obra física, faltando equipamentos e mobiliários.

O secretário frisou ainda que a prefeita Lucimar Sacre de Campos ao assumir o mandato em maio de 2015 encontrou 15 obras de Unidades Básicas de Saúde – UBS paralisadas por uma série de irregularidades e que destas pelo menos sete unidades serão retomadas.