Reunião preparatória para a grande ação contra a dengue reúne lideranças no Grande Cristo Rei


No próximo dia 2 de fevereiro, a prefeitura inicia a Operação “Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue”

A Administração Regional do Cristo Rei realizou nesta manhã (24), uma reunião com presidentes de bairros da região. O objetivo do encontro, que contou com a presença de cerca de 40 lideranças, foi o de traçar ações para o plano emergencial de ação de combate e contenção ao mosquito Aedes aegypti, por meio de ações conjuntas entre o poder público – a prefeitura de Várzea Grande e suas secretarias – e a população.

Dados levantados e coletados in loco pela Vigilância Epidemiológica municipal mostram que mais de 85% dos focos e criadouros estão localizados dentro das casas, especialmente, em caixas d´água.  

A reunião de hoje teve caráter preparatório, no sentido de envolver os presidentes de bairros para o combate ao mosquito, bem como, fazer dessas lideranças multiplicadoras da necessidade de permitir que agentes de combates às endemias sejam recebidos pelos moradores, que eles autorizem a vistoria em seus quintais, e o principal, “que cada morador siga as orientações desses agentes, que remova entulhos que estão servindo de criadouros, que façam a lição de casa no sentido de estar sempre avaliando as condições dos quintais e da água armazenada em caixa d´água. Só a conscientização aliada à ação pode de fato, combater as doenças transmitidas pelo mosquito”, argumentou o vice-prefeito e coordenador-geral da campanha de combate ao Aedes aegypti, José Hazama.  

No próximo dia 2 de fevereiro, a prefeitura inicia a Operação “Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue”, que fará um pente fino nos bairros da cidade. O ponto de partida nessa data será justamente Parque do Lago – na região do grande Cristo Rei, bairro apontado com altos índices de incidência do mosquito. A varredura que contará com dezenas de agentes fazendo vistoria porta a porta, será reforçada por ações de suporte das secretarias de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana, de Viação, Obras e Urbanismo, das equipes da Administração Regional do Cristo Rei e do Departamento de Água e Esgoto (DAE), além é claro, da secretaria de Saúde.

“Todas essas estratégias tem um único objetivo: combater os transmissores da dengue, zika vírus e da febre chikungunya”, reforçou Hazama ao abrir a reunião.

Para o real engajamento das lideranças, a Administração Regional do Cristo Rei convidou técnicos da secretaria de Saúde. De forma simples e direta eles fizeram um breve relato sobre os últimos levantamentos realizados pelos agentes e de casos de doenças já confirmadas. Conforme o técnico da Pasta, Giovani Renfro, até o início dessa semana, Várzea Grande já havia registrado 1,8 mil casos somente de chikungunya.

“Precisamos que os presidentes de bairros sejam parceiros atuantes no sentido de replicar a informações e de mostrar que o maior volume de focos está nos quintais e não em terrenos baldios ou em borracharias e esses focos estão nas caixas d´águas e por isso, os moradores precisam abrir suas casas aos agentes realizarem o tratamento químico e indicar a melhor forma de manter o quintal e as caixas d'água livres de focos”, alerta.

Renfro disse ainda, que a ação terá início por bairros prioritários, no entendimento da secretaria de Saúde, para abrir a operação.

A bióloga da Vigilância Ambiental da secretaria municipal de Saúde, Kamila Barros, lembrou que doenças do século 19, transmitida pelo mosquito voltaram a assolar a população. “Em um ciclo de 6 a 10 dias, o mosquito vai da fase de ‘ovo’ para a adulta, ou seja, nesse curto intervalo de tempo temos mosquitos alados, voando. Somente a dengue tem quatro tipos virais, quem pega um deles segue sujeito a contrair os demais. Sem conscientização, não adianta o poder público se mobilizar, cada morador tem que fazer a lição de casa”.

Ainda como forma de alerta, a equipe da secretaria de Saúde informou que a fêmea do mosquito preferencialmente procura a água limpa para depositar os ovos, mas na falta dela, a proliferação se dá em água suja mesmo. “A todo o momento as pesquisas estão comprovando o grande poder de adaptação que o Aedes tem”.

Hazama informou que a partir do início da operação, a população será orientada para remover seus entulhos - exceto de materiais de construção – e deixar na porta para que o ‘cata tudo’ possa retirar e fazer a destinação adequada. “Cada um dos bairros do grande Cristo Rei terá dia e hora para ser atendido. É uma junção de esforços em prol do maior bem coletivo que é a saúde das nossas famílias”.