Plano de contingência contra o Aedes aegypti une também participantes de programas socioassistenciais do município


No próximo dia 2 de fevereiro, a prefeitura inicia a Operação “Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue”

A disseminação de informações e a conscientização para ações efetivas contra os criadouros do mosquito Aedes aegypti são as estratégias que serão passadas para a secretaria municipal de Assistência Social desenvolver dentro do plano de contingência que será desencadeado em Várzea Grande, por meio da Operação “Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue”. No próximo dia 2 haverá a grande ação e vai envolver poder público e população em inúmeras atividades combativas ao longo do mês.

Na manhã de hoje (26), servidores da secretaria municipal de Assistência Social participaram de uma palestra que tratou da importância e necessidade da prevenção contra o mosquito Aedes aegypti, causador de doenças como a dengue, zika vírus e da febre chikungunya, ministrada pela bióloga Kamila Barros, do Centro de Controle de Zoonoses do Município. A partir dos esclarecimentos acerca das doenças e dos altos níveis de infestação do mosquito em Várzea Grande, a secretaria quer envolver, de forma bem pontual, membros de programas sociais próprios, como ‘Juventude Ativa’, ‘Idosos’ e ‘Amigas Empreendedoras’, para que esses assistidos possam ser agentes de multiplicação em seus bairros, atuando de forma direta no combate aos criadouros.

A secretária adjunta da Pasta, Vanessa Navarro – que conduziu a reunião de hoje – frisou que os servidores e os coordenadores de cada serviço ou programa executado pela Pasta serão os multiplicadores das informações repassadas na palestra e terão a missão de mobilizar seus assistidos. “Só desenvolvendo um trabalho como esse, em bloco e em equipe e que mobiliza servidores e beneficiados/assistidos é que vamos de fato ampliar as ações de enfrentamento contra o Aedes”.  

A secretária Flávia Omar, conforme Vanessa, planeja uma ação direta, com a distribuição de panfletos que será realizada pelos membros de cada programa social, junto a sua comunidade, bem como multiplicar informações educativos de como manter os quintais limpos e livre do mosquito.

Assim como alerta que foi feito no início da semana junto às lideranças comunitárias na sede da Administração Regional do Cristo Rei, a bióloga reforçou o fato de que 85% dos criadouros do mosquito, dado apontado pelo levantamento in loco da Vigilância Epidemiológica, estão dentro das residências, mais precisamente, nas caixas d´água que servem de reservatórios suplementares e que geralmente ficam no chão. “Constatada essa realidade, somente esse trabalho integrado da prefeitura com a população é que vai combater a proliferação do Aedes e consequentemente das doenças que ele transmite”, pontuou Kamila Barros.

Sobre a estratégia anunciada pela secretaria de Assistência Social, Kamila argumentou ainda “a redução só será possível se as medidas de enfrentamento e a conscientização forem levadas para dentro da rotina de trabalho e especialmente, na rotina doméstica. As informações são as mesmas, mas deve virar hábito, de não deixar água parada, nem em recipientes de flores, nos quintais, tampar recipientes e reservatórios de água, trocar com frequencia água dos animais, quintais limpos. A regra geral é não deixar água empoçada.  

Durante a palestra, a bióloga compartilhou algumas das informações já confirmadas pela FioCruz em relação ao Aedes aegypti. “Em alguns lugares do Brasil já existem mais Aedes do que pernilongos. É preciso agir porque ele está dentro das nossas casas, superlotando as cidades e a cada dia têm mais facilidade em encontrar abrigos e se adaptar às condições do ambiente. Em outras palavras, o Aedes está cada vez mais forte”.

AÇÃO - No próximo dia 2 de fevereiro, a prefeitura inicia a Operação “Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue”, que fará um pente fino nos bairros da cidade. O ponto de partida nessa data será no Parque do Lago, região do grande Cristo Rei, bairro apontado com altos índices de incidência do mosquito.

A varredura que contará com dezenas de agentes de endemias fazendo vistoria porta a porta, será reforçada por ações de suporte das secretarias de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana, de Viação, Obras e Urbanismo, Meio Ambiente, das equipes da Administração Regional do Cristo Rei e do Departamento de Água e Esgoto (DAE), além é claro, da secretaria de Saúde.