Várzea Grande coloca em prática a operação de enfrentamento ao mosquito da dengue


Na ação serão inspecionados mais de 40 bairros e vistoriados 58 mil imóveis

Um coro de centenas de pessoas selou nesta manhã (2) a união entre poder público e a sociedade no enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti, no bairro Parque do Lago, em Várzea Grande. Dezenas de pessoas entoaram o grito de guerra para o combate às doenças transmitidas pelo vetor: “Dengue tá fora!”. A motivação que deu o start à mobilização iniciada hoje (2), é apenas o pontapé para um período de ação de mais de 40 dias que já está envolvendo mais de 300 pessoas, entre servidores e técnicos da Saúde, Obras, Meio Ambiente, Assistência Social, Serviços Públicos, Administração Regional do Cristo Rei e especialmente, os agentes de combate às endemias e os agentes comunitários de saúde.

A prefeitura municipal abriu a Operação “Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue” que além de mobilizar esse contingente tem como foco fazer uma varredura em mais de 40 bairros e vistoriar 58 mil imóveis, além da aplicação do fumacê. A ação envolve máquinas pesadas como caminhões caçambas e pá carregadeiras, para remoção e destinação de lixo que for retiro dos bolsões espalhados por bairros da cidade. Várzea Grande foi dividida em quatro setores. A estratégia de envolver todos os locais com maior índice de infestação de criadouros do mosquito reforça ações que fazem parte da rotina do Município, mas que não surtem efeito sem o envolvimento, conscientização e empenho das famílias. Levantamento da secretaria da Saúde comprovou que mais de 85% dos focos estão dentro das casas, especialmente, dentro de caixas d´água que servem de reservatórios e não recebem a devida atenção dos moradores.

“Acredito que essa ação desencadeada hoje aqui em Várzea Grande pode servir de modelo para outras iniciativas pelo Estado, porque esse mosquito só será vencido pela união de todos. Juntos, prefeitura, Câmara e a população podemos sim melhorar as condições da cidade e nesse caso, vencer essa guerra contra o Aedes”, disse a prefeita ao abrir a Operação “Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue”. Ainda como destacou a prefeita, “A Administração pública está fazendo sua parte, mas sem o engajamento de todos, que deve ser geral e irrestrito – envolvendo todos os poderes – nós vamos vencer essa guerra contra as doenças transmitidas pelo mosquito”.

O coordenador geral da mobilização em Várzea Grande, o vice-prefeito José Hazama, disse que a operação está sendo aberta dentro do grande Cristo Rei em razão dos altos índices de infestação. “Além de todos os recursos materiais, humanos e operacionais que o Município está disponibilizando, fizemos uma ação prévia junto aos presidentes dos bairros da região para que eles possam mostrar aos moradores a importância em aderir à operação e, principalmente, de permitir a entrada dos agentes para avaliação do quintal”.

Além de coordenar a ação geral, Hazama acompanhou as equipes que iniciaram a varredura pelo bairro Maringá II.

O secretário municipal de Saúde, Diógenes Marcondes, confirmou que a partir da próxima semana o carro do ‘fumacê’ inicia as operações de combate pela cidade.

“Para eliminar os insetos alados se faz necessária a aplicação espacial de inseticida, realizada pelo carro fumacê. A aplicação espacial de inseticidas com UBV Pesado é indicada somente como uma medida emergencial complementar, naqueles casos onde há a confirmação de alta incidência das doenças. O fumacê não dispensa as ações de remoção de lixos, entulhos e tudo que possa se transformar em criadouros. Na verdade são várias frentes de ações com um único propósito, o de eliminar o mosquito”. Ainda como informa o secretário, são alvos o Aedes aegypti e Aedes albopictus, transmissores da dengue, zika vírus e da febre chikungunya.

“Para essa operação temos parcerias importantes como a do governo do Estado, que disponibilizará 12 carros ‘fumacê’ e mais caminhões caçamba e pá carregadeira. A ação do fumacê terá cobertura de 100% da cidade e se dará em quatro etapas”.

Ainda em relação ao grande Cristo Rei, a equipe técnica da Saúde explica que a região abre a operação pelos altos índices de infestação das doenças apontadas pelo Levantamento de Índice Rápido (LIRAa) e pelos casos clínicos epidemiológicos confirmados e informados pela Vigilância Epidemiológica.

O secretário municipal de Assuntos Estratégicos, Jayme Campos, disse que em visita ao Pronto-Socorro municipal na sexta-feira passada, constatou o atendimento de 606 pacientes dentro de uma unidade capacitada para acolher até 350 pacientes por dia. “A maior parte dos atendimentos foi prestada em razão de sintomas dessas doenças transmitidos pelos mosquitos. Desde o aumento da incidência, seis médicos estão ficando de plantão na UPA do Ipase e outros 16 em plantões no Pronto-Socorro e mesmo assim, não damos conta da demanda. Ninguém sai sem atendimento, mas com custo dessa sobrecarga de trabalho e de atendimentos dobrados, não acompanha na mesma proporção. Um dos motivos também que foi desencadeada esta grande operação”.

O secretário destacou ainda que essa operação deflagrada em Várzea Grande coíbe a infestação de outra doença transmitida por mosquito, a febre amarela que está vitimando pessoas no Sudeste do país.

O presidente da Câmara de Vereadores, Benedito Francisco Curvo e o vereador Miguel Angel – que é presidente da Comissão de Saúde da Casa – reforçaram a necessidade da união para o combate aos mosquitos, focando na destruição dos criadouros. “E apenas um mosquito transmitindo uma série de doença, inclusive a febre amarela. A notícia boa é que é muito simples acabar com os criadouros, basta fazer a destinação correta do lixo, dos resíduos, dos entulhos e não permitir que haja recipientes que possam acumular água, seja limpa ou suja”.

REPERCUSSÃO – o ‘time’ dos presidentes de bairros está em campo há alguns dias com a missão de conscientizar os moradores dos bairros onde atuam a manter quintais limpos e não descartar lixo em terrenos baldios, estradas e ou em qualquer lugar indevido.

As lideranças dos bairros Construmat e Alto da Bela Vista, Marino Brandão e Darcilia Lima, contam que ação da prefeitura que vai reforçar a limpeza de terrenos baldios, multar proprietários e recolher entulhos que estejam nos quintais das casas vai ajudar, e muito, na redução dos focos. “Infelizmente, muitas pessoas fazem dos quintais e dos terrenos próximos seus lixões e agora, diante dessa operação, creio que haverá mudanças de comportamento, até porque cada um que se conscientizar, vai cobrar do vizinho atitudes diferentes”, disse Marino.

No bairro da Manga, o presidente Wilson Soares, também reclama dos bolsões de lixo que nascem do dia para noite. “Temos esperança que as penalidades conscientizem a população, mesmo que a contragosto”.

No Parque do Lago, o presidente local, Xistus Rodrigues, conta que a ação tem que fazer a diferença. “Chegamos em um nível grave de infestação e essa mobilização tem de surtir efeitos em prol da saúde de todos nós”.

Rosinha Sandoval, presidente do bairro Parque Boa Vista, conta que a conscientização dos moradores não é uma missão fácil, mas que as penalidades que serão reforçadas a partir de agora, “vão melhorar o visual do bairro e combater os criadouros”.

OPERAÇÃO – A cidade foi dividida em quatro regiões, sendo o setor I o primeiro a receber as ações nesta manhã. Essa região concentra os bairros Maringá II, Maringá III, Hélio Ponce, Alameda, Ponte Velha, Construmat, Vila Vitória, Joaquim Curvo, Beira Rio, Cristo Rei. Neste setor as ações iniciam amanhã e têm prazo de duração de 10 dias.

Já o setor II reúne os bairros Jardim Ikaray, Novo Horizonte, Ouro Verde, São Simão, Eliane Gomes, 7 de Maio, 24 de Dezembro, Capão Grande, Cohab João Baracat, Monte Castelo, Capela do Piçarrão, Vila Operária, Costa Verde I, Vitória Régia, Água Limpa, Centro Sul e Nova Várzea Grande. As ações têm prazo de duração de 12 dias neste setor II.

Setor III envolverá os bairros Jardim Glória I, Jardim Glória II, Água Vermelha, Jardim Primavera, Jardim Imperial, Jardim Tarumã, Santa Terezinha, São Francisco, Parque Paiaguás II, Jardim Esmeralda, Joaquim Curvo, Beira Rio, Cristo Rei-Centro. Neste setor as ações terão duração de dez dias.

No setor IV a Operação “Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue” abrangerá mais 10 bairros com 12 dias de duração sendo eles: Jardim Marajoara I, Jardim Itororó, Cohab Santa Isabel, Cidade de Deus, Jardim Eldorado, Residencial São Mateus, bairro São Mateus, Jardim Marajoara II, Residencial São Benedito e Asa Bela.