Várzea Grande paga fevereiro amanhã e contempla reajuste de professores

Compromisso com a Normalidade
Várzea Grande paga fevereiro amanhã e contempla reajuste de professores

Lucimar Sacre de Campos mantém regularidade no calendário de pagamento nos salários e corrige piso da categoria dos professores


26/02/2018    2025

Após reunião de avaliação com a equipe econômica, a prefeita Lucimar Sacre de Campos, reafirmou não ter compromisso com o erro e buscar atender aos anseios da população por mais qualidade de vida e anunciou o pagamento do salário de fevereiro para todos os servidores públicos municipal ativo e inativo na data de amanhã, 27 de fevereiro.

A folha de pagamento de fevereiro da Prefeitura de Várzea Grande, do Instituto de Previdência de Várzea Grande - Previvag e do Departamento de Água e Esgoto - DAE/VG, soma R$ 25 milhões com salários e encargos.

“Esta administração não tem compromisso com o erro, por isso, procuramos sempre conduzir a gestão pelo interesse da população. Nosso compromisso é fazer o melhor possível para todos. É claro que não vamos conseguir solucionar todos os problemas, mas com certeza não nos falta determinação e empenho, lembrando que nosso compromisso com o servidor público está sendo rigorosamente cumprido e cobramos deles que prestem um bom serviço para a população que na realidade é patrão de todos nós”, disse a prefeita.

Além de ser o mês com a menor quantidade de dias úteis do ano, esse pagamento traz o reajuste de 6,18% concedido aos professores e supervisores escolares da rede pública municipal, conforme estabelecido no Piso Nacional do Magistério.  

Fazem parte da folha todos os servidores, ativos, inativos e pensionistas, da Administração Direta, do Departamento de Água e Esgoto de Várzea Grande (DAE) e do Instituto de Previdência e Seguridade Social (Previvag). A folha que mensalmente fecha em cerca de R$ 25 milhões, passará a ser acrescida de R$ 316 mil, residual que reflete o reajuste da Educação.

A prefeita aponta para os efeitos positivos que o pagamento do salário do funcionalismo tem na economia local. “São R$ 25 milhões que circulam na economia local e potencializam o comércio e a indústria que também recebem os efeitos das obras públicas em andamento e que representam mais de R$ 350 milhões em investimentos”, disse ela.

O secretário municipal de Gestão Fazendária, João Benedito Gonçalves Neto, explica que além de administrar com foco em investimentos em serviços essenciais nas áreas de educação, saúde e infraestrutura, a gestão da prefeita Lucimar reforça mensalmente o compromisso com os servidores, dentro de um esforço para manter em dia o pagamento do servidor público por sabermos da importância em pagarmos os salários do funcionalismo público em dia para a economia local. “O comércio e a indústria têm sido parceiros da Administração Municipal, fazendo girar a roda econômica e proporcionando esforços no sentido de retribuir com investimentos, geração de emprego, renda e tributos”.

Ainda como destaca Neto, na próxima quarta-feira, a partir das 16h, no auditório da Secretaria Municipal de Assistência Social, a prefeitura por meio da Pasta, realiza audiência pública para apresentação dos demonstrativos financeiros relativos às metas fiscais do terceiro quadrimestre de 2017, trazendo a movimentação financeira (receitas previstas e despesas realizadas) referentes aos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro do ano passado, bem como os devidos comparativos de desempenho.

AUMENTO - O reajuste aos professores e supervisores está em consonância com a portaria do Ministério da Educação, que atualiza o piso para o exercício de 2018. Com o cumprimento dessa medida, a folha salarial desses profissionais será onerada em mais R$ 316,34 mil.

Como destaca a prefeita, mesmo sendo uma obrigação dos poderes conceder o reajuste, poucas administrações terão como reajustar o piso, especialmente em início do ano, quando a arrecadação historicamente é considerada baixa. “Além dessa correção anual, todos os servidores receberam o primeiro salário do ano com reajustes em seus salários-base acima da inflação, variando entre 15% e 20%”.

Por: Marianna Peres - Secom/VG