Lira de 4.3 aponta queda de infestação do Aedes em Várzea Grande


As ações estão sendo intensificadas no município com o fumacê

A Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande (SMS-VG) deverá encerrar ainda esta semana a terceira etapa da  operação 'Todos Unidos: Várzea Grande contra a Dengue' no Combate ao mosquito Aedes aegypti’, iniciada em fevereiro desse ano. No total foram realizadas cerca de 50 mil visitas de inspeção a imóveis para busca e eliminação de possíveis focos do mosquito. Em 2018 Várzea Grande registrou 9.205 casos notificados de doenças tropicais, desse total 1.596 foram registrados em março, a média de queda fica em quase 60% em relação aos meses anteriores.

Em novembro do ano passado o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti, era de 6.9 em Várzea Grande. Já em mais recente apontou 4.3, uma queda consideravelmente boa segundo a gerente da Vigilância Epidemiológica do município, Relva Cristina. “As ações de combate ao vetor são rotineiras e realizadas pelos agentes de saúde e endemias em toda a cidade durante todo o ano, mesmo nos meses de inverno, quando é menor a reprodução e circulação do inseto e, consequentemente, a incidência das doenças. Com a Froça-Tarefa onde estamos colocando em prática todos os instrumentos de combate, incluindo a pulverização por UBV pesado o fumacê, bombas costais para áreas localizadas e com grande população de mosquitos, a repetição por ciclos de pulverização, todos estes fatores contribuem para a redução das doenças.”, explica a gerente.

A operação foi dividida em três etapas, a primeira foi realizada na região do Grande São Mateus, que apresentou maior índice de infestação e notificações das doenças transmitidas pelo mosquito: dengue, zika vírus e chikungunya. A segunda etapa foi realizada na região do Grande Cristo Rei, onde foram realizadas todas as etapas da fase anterior, sendo inspeções, notificações e aplicações dos veículos do Fumacê. O município conta com 110 agentes de epidemias e saúde que intensificam as ações de combate com a última fase da operação, realizada em bairros que apresentaram maior índice de notificações.

Todas as inspeções são realizadas tanto em áreas públicas como propriedades privadas, especialmente nos reservatórios de água que possam ser potenciais focos do mosquito. Além das visitas de rotina aos imóveis, também são vistoriados com regularidade praças, parques, clubes, depósitos públicos, estacionamentos, estádios, terrenos baldios, entre outros locais.

O trabalho dos agentes consiste em orientar os moradores; eliminar os depósitos passíveis de eliminação; tratar aqueles que não podem ser eliminados para evitar o surgimento de criadouros do mosquito. “A participação da sociedade é fundamental, principalmente verificando e eliminando os possíveis criadouros dentro de suas casas, evitando jogar lixo em locais inadequados, onde os detritos possam acumular água e propiciar o surgimento de criadouros do mosquito”, volta a afirmar a gerente.

Pedidos de vistorias podem ser feitos pelo telefone da Central de Atendimento da Vigilância Sanitária de Várzea Grade, pelos números 3688-3186 ou 3688-3187. Ou procurar o próprio órgão que fica na Avenida Presidente Arthur Barnardes, nº 1120, bairro Ipase, em frente ao colégio Elmaz Gattas Monteiro.