Feira Itinerante reforça economia solidária de Várzea Grande

ATIVIDADE ECONÔMICA
Feira Itinerante reforça economia solidária de Várzea Grande

Na seara da agricultura familiar, cerca de 500 famílias várzea-grandenses oriundas da zona rural vêm se consolidando a economia solidária com a exposição e comercialização de produtos


24/05/2018    393

Diante do atual cenário econômico, muitos trabalhos estão sendo voltados para o fomento da economia local, com o incentivo da Prefeitura Municipal de Várzea Grande. Na seara da agricultura familiar, cerca de 500 famílias várzea-grandenses oriundas da zona rural vêm se consolidando a economia solidária com a exposição e comercialização de produtos hortifrutigranjeiros, quitandeiros e gastronomia em quatro pontos distintos da cidade.

O projeto ‘Feira Itinerante’ é uma idealização da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável que foi iniciado oficialmente em 08 de março de 2017. A ação expõe produtos produzidos pela agricultura familiar local com preços acessíveis. Nas barracas são comercializados vários tipos de alimentos, hortifruti, mudas de flores, artesanatos, comidas típicas de comunidades rurais da cidade.

A ‘Feira Itinerante’ funciona em quatro pontos estratégicos do município, no Várzea Grande Shopping de quarta-feira a sábado; no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT/VG), nas quintas-feiras de 15 em 15 dias, localizado na região do Chapéu do Sol; no pátio da Prefeitura Municipal, todas as quartas-feiras e Feira Gastronômica todas as sextas-feiras no Parque Municipal Flor do Ypê das 18h às 20h, região Cristo Rei. As bancas são padrão e a aquisição foi feita por meio, de parceria com Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf). Cerca de 1200 pessoas são frequentadores e consumidores das feiras itinerantes.

“A ideia é uma iniciativa da Prefeitura no implemento de políticas públicas de economia solidária sustentável. A feira possui três dimensões: economicamente, com a oferta de serviços e a comercialização; culturalmente, valorizando os produtos locais; e politicamente, como um movimento social, viabilizando cooperação, solidariedade e democracia. Os alimentos da agricultura familiar são pontos-chaves para uma alimentação mais saudável. Saber a procedência dos alimentos e poder falar com quem o produz certamente é o ponto mais forte de qualquer feira e, por isso, sabemos que é uma troca de saber entre quem produz e quem consome”, explicou a secretária de Meio Ambiente, Hellen Farias Ferreira.

A coordenadora do projeto, Kelly Enciso reforça o objetivo de facilitar o acesso das pessoas aos produtos cultivados e produzidos pelas produtores que integram a economia solidária do município e sua procedência. “Além da divulgação das feiras, nosso objetivo é fazer contato com produtores locais a fim de agregar mais profissionais para o projeto, fomentando a economia solidária do nosso município. A meta é expandir para outras regiões de Várzea Grande, porém para participar do projeto, o agricultor necessita de empenho, comprometimento e responsabilidade nas atividades”, ressaltou a coordenadora.

Segundo a coordenadora, a ação pretende ajudar pequenos produtores e moradores das localidades rurais na comercialização de mercadorias, visando à geração de renda e uma melhor qualidade de vida. Na feira os visitantes encontram frutas, legumes, verduras, artesanatos, lanches, entre outros produtos. A coordenadora acrescentou ainda que o projeto elevou a qualidade de vida das famílias produtoras com uma média diária de 30% acréscimos nas vendas.

Kelly relata que a atividade gera trabalho e promove a inclusão social dos participantes. “A ‘Feira Itinerante’ é importante para reforçar a cooperação, a solidariedade e para movimentar a prática do comércio coletivo como fonte de renda”, destacou.

O agricultor Carlito Miranda disse que o projeto é uma oportunidade ímpar de complementação da renda própria. “Estou no projeto desde a etapa inicial e sentimos valorizados pela iniciativa da prefeitura em estimular e incentivar nossa comercialização sem a participação de atravessadores. Sendo assim, podemos vender o produto com um valor acessível, boa procedência e qualidade na produção no cultivo com adubo orgânico. Agradecemos a gestão por apostar na economia solidária e elevar a qualidade de vida social e econômica dos agricultores familiares de Várzea Grande”.

Odinei Ponce, produtor rural reforçou que nos pontos de feira onde estabelece suas vendas tem tido um ganho expressivo, o qual tem incentivado no cultivo de novas produtos como frutas, legumes e hortaliças que são mais procurados pelos clientes.

A cliente assídua da feira, Vilma Figueiredo, servidora pública, relata que não perde a oportunidade de comprar na feira, pois a economia no bolso é certa. “Os preços são cerca de 20% mais baixos em relação aos supermercados, sem contar a qualidade e o atendimento de primeira”, elogia Vilma.

Os feirantes cadastrados no projeto executam sua produção e cultivo nas comunidades rurais de Sadia I, Sadia II, Limpo Grande, Formigueiro e Espinheiro.

Por: Cláudia Joséh - Secom/VG