Educação orienta sobre praticas educacionais alternativas em período de clima seco

Prevenção à Saúde
Educação orienta sobre praticas educacionais alternativas em período de clima seco

As recomendações para assegurar o bem estar e a qualidade do ambiente escolar devem ser observadas por gestores e professores


15/08/2018    213

A Secretaria de Educação,Cultura, Esporte e Lazer, por meio da Gerência de Legislação e Normas, está encaminhando aos gestores das unidades escolares de Várzea Grande, algumas orientações que devem ser adotadas durante esse período do ano em que são registrados os mais baixos índices de umidade relativa do ar.

Considerando a recomendação da Organização Mundial de Saúde – OMS, Organização Meteorológica Mundial - OMM e a Organização Internacional de Proteção Civil, quanto a necessidade de assegurar a saúde, bem estar e a qualidade de vida dos alunos, os cuidados devem ser tomados pelos professores e equipe gestora visando a manutenção da hidratação dos estudantes durante sua permanência na unidade escolar.

O secretário Silvio Fidelis afirmou que as orientações são importantes, no período de clima seco e baixo índice de umidade do ar. “Nesta época se faz necessário que Escolas de Ensino Básico e Centros de Educação Infantil (creches) desenvolvam algumas ações que são fundamentais para melhorar a qualidade do ambiente escolar como, por exemplo: as atividades de Recreação e Educação Física deverão ser desenvolvidas por intermédio de atividades lúdicas, (jogos de tabuleiro), intelectuais (com dinâmica de grupo), vídeo aulas e ações previstas nos Planos de Aula” informou.

 Para as práticas de atividades esportivas e recreativas ao ar livre, como precaução deverão ser observados os períodos de intensa radiação solar em espaços abertos; a recomendação para a utilização dos espaços cobertos, sombras e locais mais arejados.

Recomenda-se ainda o aumento contínuo da oferta de água e merenda servida com comidas mais leves, incentivando o consumo de frutas e sucos. A utilização de toalhas/panos úmidos e recipientes com água ou umidificadores nos locais de maior aglomeração de crianças e manter a umidade das plantas, área de hortas, terraços, jardins e outros ambientes.

Secretaria de Educação está propondo também diversas atividades pedagógicas sobre o tema da Baixa Umidade do Ar e os problemas causados pelas queimadas, como a elaboração de trabalhos com pesquisa bibliográfica, pesquisa de campo, elaboração de peças teatrais, musicais, atividade de desenho/pintura, redação, mosaico de fotografias ou recortes de jornais e revistas.

Para Fidelis, nesta época do ano é necessária a reflexão sobre práticas corriqueiras e culturais que podem afetar a saúde dos alunos diante da baixa unidade do ar na escola e da fumaça causada pela queimada urbana. “A equipe da Educação reconhece a importância do acolhimento dos alunos da melhor forma possível e medidas como as sugeridas são voltadas ao desenvolvimento educacional. Sabemos as dificuldades e as consequências que este período do ano traz para a população e ao meio ambiente, pois isso, é necessário o empenho de todos os profissionais da Educação para assegurarmos a flexibilização e humanização do currículo por meio de práticas pedagógicas sensíveis às condições ambientais neste momento” declarou.

 

 

Por: Fred Nogueira - Secom/VG