Secretaria de Saúde aplica plano de enfrentamento da sífilis em Várzea Grande

Saúde e Prevenção
Secretaria de Saúde aplica plano de enfrentamento da sífilis em Várzea Grande

O Plano inicia com capacitações aos profissionais da Atenção Primária


27/08/2018    244

Várzea Grande é o primeiro município do Estado de Mato Grosso a elaborar o Plano de Enfrentamento a sífilis e colocá-lo em prática. O documento está baseado no protocolo do Ministério da Saúde e requer o envolvimento dos três entes federados, por meio da atuação de gestores e profissionais da saúde.Segundo o Ministério da Saúde ,o Brasil vive uma nova epidemia de sífilis. A Recomendação é de que cada município elabore seu plano de ação e o aplique.

“A proposta é diminuir o número de casos da doença e fortalecer as ações de prevenção. Pretende-se, através do Plano, uma grande mobilização social e institucional para enfrentamento deste desafio em saúde pública bem como promover práticas articuladas na rede de atenção à saúde para prevenção, diagnóstico e tratamento da sífilis adquirida, sífilis em gestante e sífilis congênita”, explica o secretário municipal de Saúde Diógenes Marcondes.

Durante uma semana, médicos, enfermeiros e técnicos em saúde estarão participando de capacitações. A abertura do evento ocorreu na manhã de hoje (27), no auditório C – do Centro Universitário Univag .São parceiros  da Ação o Centro Universitário –Univag, Universidade Federal de Mato Grosso –UFMT, secretaria Estadual de Saúde.

“A sífilis tem cura, desde que o tratamento seja feito oportunamente. A sífilis, por exemplo, em gestante com o tratamento adequado da gestante e do seu parceiro sexual, o bebê nasce livre da doença, ou seja, a sífilis congênita é 100% evitável”, enfatiza o secretário Diógenes Marcondes . Explicando que o tratamento é realizado com antibióticos indicados por um profissional de saúde. No caso das gestantes, o único antibiótico indicado é a Penicilina, cujo abastecimento já está normalizado na Rede SUS”, explicou o secretário Diógenes Marcondes.

A prefeita Lucimar Sacre de Campos, disse que esta e mais uma ação importante de Saúde Pública, e que não medirá esforços em dar a Pasta da Saúde condições necessárias para que o Plano avance e suas estratégias de ações  aplicadas.

“Pretendemos garantir um serviço de referência qualificado para oferecer suporte técnico a toda Rede com orientações em todo processo de identificação, tratamento e alta ,do paciente com sífilis. Neste momento oferecer capacitação para os profissionais da Rede é a garantia da execução do Plano com sucesso. Temos sim  que capacitar às equipes da Atenção Básica para promover a ampliação do acesso ao diagnóstico da sífilis, para todos que buscam o serviço de saúde, principalmente as  gestantes e parceiros. Não podemos deixar nascer crianças com a doença, se existe mecanismos de evitar”, avaliou a prefeita.

Dentre as diversas ações e atividades previstas no Plano estão o fomento e o apoio para realizar campanhas de educação em saúde para prevenção da sífilis; reforçar as orientações sobre a sífilis nas situações em que o casal procurar atendimento na Unidade Básica de Saúde (UBS) no caso enfrentamento a sífilis a gestantes; aumentar a testagem, conhecer e acompanhar os casos, sistematizar os dados e monitorar o tratamento das pessoas com a doença , conhecer as vulnerabilidades dos serviços envolvidos no atendimento às pacientes com sífilis e melhorar o nível de serviços na atenção básica, no acolhimento ao paciente.

O secretário disse ainda que desde 2016 o município de Várzea Grande vem realizando o planejamento estratégico em saúde, desenvolvendo capacitações e treinamentos aos profissionais de saúde , o que resultou em nove oficinas . “No Plano estão previstas ações para os próximos quatro anos, porém já desenvolvemos atividades de forma descentralizada de acordo com as necessidades e urgências de cada segmento da doença, por que estamos trabalhando no enfrentamento da sífilis adquirida, em gestante e congênita” disse Diógenes afiançando que Várzea Grande já possui expertise no enfrentamento a epidemias como foi o caso da redução de doenças provocadas pelo Aedes Aegypti.

A superintendente Estadual de Saúde, Alessandra Marques elogiou a iniciativa do município em dar inicio ao Plano de Enfrentamento a sífilis . “Várzea Grande tem sido exemplo para outras cidades do Estado com a aplicação de políticas públicas de Saúde em todos os setores e essa contribuição tem sido fundamental para inovação em estratégias. Os casos de sífilis vêm aumentando ano a ano no mundo, no Brasil e em Mato Grosso. A estimativa da Organização Mundial da Saúde é que 937 mil pessoas são infectadas a cada ano no país. É necessário sim ampliarmos as nossas atuações no combate a doenças, e principalmente, na conscientização das pessoas. É fundamental o comprometimento de todos os gestores e profissionais da saúde para garantir a operacionalização do plano no município”.

Segundo informou a gerente de Vigilância Epidemiológica de Várzea Grande ,Relva Cristina da Silva Teixeira, a capacitação dos profissionais da saúde será feita em dias alternados. Nesta segunda feira (27), o curso será direcionado para médicos, gestores e responsáveis técnicos. De 28 a 31 de agosto será a vez dos enfermeiros e técnicos de enfermagem. “Após o curso vamos dar novos passos para  diminuir a incidência da sífilis no município, com atuações concretas em todos os setores da saúde pública”, completou.  

DOENÇA: A Sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) causada pela bactéria Treponema pallidum. Apresenta várias manifestações clinicas e diferentes estágios (sífilis primaria, secundária, latente e terciária), sendo que nos estágios primários e secundários da infecção, a possibilidade de transmissão é maior. A Sífilis adquirida pode ser transmitida de uma pessoa para outra durante a relação sexual, sem preservativo ou por transfusão de sangue. Já a transmissão da Sífilis Congênita acontece da mãe infectada para a criança durante a gestação ou parto. A sífilis tem cura desde que o tratamento seja feito oportunamente. 

 

Por: Kátia Passos - Secom/VG