Escolas municipais avançam no IDEB e superam metas

Politica Educacional
Escolas municipais avançam no IDEB e superam metas

O programa Escola em Tempo Ampliado foi determinante para elevar o índice


06/09/2018    314

O Ministério da Educação divulgou nesta segunda-feira (3), os números relacionados ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) referente a 2017 e o município de Várzea Grande avançou na avaliação geral, com escolas que até superaram  metas estabelecidas pelo Ministério da Educação.

Segundo o secretário Silvio Fidelis, o desempenho de várias escolas até surpreendeu pelo salto qualitativo, resultado de um trabalho intenso entre a secretaria e gestores das unidades de ensino. “ Mudamos a estratégia educacional onde em escolas com baixo índice, implantamos o projeto Escola em Tempo Ampliado-ETA, já em outras desenvolvemos as várias metodologias de ensino previstas no Plano Municipal de Educação. Preparamos o corpo docente e todas as equipes educacionais com capacitações, e o resultado está vindo gradativamente, onde nossas escolas estão desenvolvendo e apresentando um bom desempenho no ensino e aprendizagem”, comemorou o secretário.

O programa Escola em Tempo Ampliado foi determinante para o bom resultado

As escolas melhores colocadas pelo Ideb, considerando o resultado de 2017 foram as Escolas Municipais de Educação Básica- Emebs: “Honorato Pedroso de Barros” com 6,7; “Profª Rita Auxiliadora Campos Cunha” com 6,2; “José Estejo de Campos”, “Emanuel Benedito de Arruda” e “Jaime Veríssimo de Campos Júnior” com 5,9 cada. Estas escolas superaram até mesmo o índice geral do município que ficou em 5.3 para alunos até o 5º ano e 3,9 para alunos até o 9º ano.

Em Várzea Grande, sete escolas superam a meta prevista pelo Ideb para 2017. O Centro Educacional Abdala José de Almeida, com meta prevista de 5.3  pontuou 5.4, a Emeb Eunice César Melo, com meta prevista  de 4.9, pontuou 5.1, Emeb Faustino Antônio da Silva, com meta prevista de 5.0, pontuou 5.2; Emeb Juvenilha de Oliveira, com meta de 4.7, pontuou 5.0; Emeb Rita Auxiliadora Campos Cunha, com meta de 5.6, pontuou 6.2, Emeb  Temente Abílio da Silva Morais , com meta prevista de 4.8, pontuou 5.6 e Emeb Estevão Ferreira da Cunha, com meta prevista de 4.5 pontuou 5.1.

Para o secretário, mesmo considerando o aumento da  demanda  e as mudanças que as escolas tiveram que fazer para acompanhar nos últimos anos, ainda assim houve um avanço nos índices. Entre os fatores que contribuíram para o melhoramento do índice, o secretário aponta a presença das equipes técnicas da secretaria junto às unidades escolares, dando suporte nas atividades cotidianas e a implementação do Programa Escola em Tempo Ampliado – ETA, em 13 unidades com atividades no contra turno escolar, como letramento, aulas de reforço, atividades artísticas como dança, música, teatro, trabalhos manuais, horta e práticas esportivas.

“Um exemplo bem sucedido dos resultados positivos do Programa ETA na escola é o caso da EMEB “José Estejo de Campos” que apresentava um índice do Ideb de 4.8 em 2015 e após a implementação do programa na escola saltou para 5.9 em 2017”, informou.

Além disso, Silvio Fidelis acredita que os simulados para avaliação interna que foram aplicados entre 2015 a 2017, foram importantes para detectar eventuais deficiências no aprendizado e corrigir, também contribuíram para o melhoramento do índice. “Neste período fizemos três avaliações, aplicamos, corrigimos e devolvemos às escolas com as indicações das correções necessárias. As escolas trabalharam essas correções e isso fez toda a diferença no desempenho dos alunos” apontou.

O secretário parabenizou as escolas pelo bom desempenho que proporcionou Várzea Grande seguir avançando no índice de aprendizagem do MEC e elogiou o empenho de gestores e professores para que o município pudesse alcançar os resultados.

“A Educação em Várzea Grande tem melhorado e os números do Ideb estão aí para comprovar esse avanço. Estamos trabalhando para melhorar ainda mais nosso índice na próxima avaliação, com ações efetivas de correção de fluxo, análise dos dados das Avaliações Internas que continuam sendo aplicadas, desenvolvendo projetos em parceria com instituições públicas e privadas, projetos para estímulo à leitura, investindo na formação contínua para nossos professores em Produção Escrita, Leitura, Correção de Textos e sobre tudo na implementação da Base Comum Curricular (BNCC)” declarou.

Por: Fred Nogueira - Secom/VG