Alunos da EMEB Rita Auxiliadora realizam atividades do Projeto “Um por Todos e Todos por Um” do CGU

Práticas Cívicas
Alunos da EMEB Rita Auxiliadora realizam atividades do Projeto “Um por Todos e Todos por Um” do CGU

Além de teatro e paródias, os alunos apresentaram a produção de três textos sobre os temas do projeto


26/10/2018    124

Os alunos da Escola Municipal de Ensino Básico – EMEB “Professora Rita Auxiliadora de Campos Cunha” do bairro Mapim, realizaram na manhã de quinta-feira, dia 25,  atividades do Projeto “Um Por Todos e Todos Por Um”, promovido em parceira entre a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer e Controladoria Geral da União de Mato Grosso.

O Projeto é uma iniciativa da Controladoria Geral da União, que existe desde 2008 e busca promover ações educativas de estímulo à ética, cidadania, responsabilidade cidadã, participação social, democracia e autoestima, por intermédio dos personagens em quadrinhos da Turma da Mônica, criados por Maurício de Sousa, além da realização de oficinas, espetáculos teatrais, paródias musicais, produção de texto e atividades lúdicas desenvolvidas por alunos e professores nas escolas.

De 10 escolas participantes do projeto em 2016, a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer conseguiu ampliar para 38 o número de escolas atendidas em 2017 pelo projeto do CGU “Um por Todos e Todos por Um”, beneficiando mais de 2 mil alunos da rede e receberam o kit pedagógico para a execução do programa. Este ano o programa continua sendo executado nas escolas da rede municipal de Ensino onde atende 2.148  estudantes do quinto ano do Ensino Fundamental.

Segundo a diretora da EMEB Rita Auxiliadora, professora Izabel Vitalino Figueiredo, nas atividades de culminância do “Um Por Todos e Todos por Um” realizadas no período matutino, houve a apresentação de várias manifestações artísticas com o objetivo de massificar o tema entre todos os alunos.

Alunos do 5º ano B apresentaram uma peça teatral intitulada “História em Quadrinho” falando sobre a ética e cidadania. Em seguida, os alunos do 5º ano B, 5º ano A e 5º ano C apresentaram uma paródia sobre o tema.  As alunas Emmely Nawana Santos, Andressa da Cruz Lisboa e Jhennyfer Sicanel Ferreira leram para os presentes as redações finalistas da atividade de Produção de Texto.

Alunos dos 5º anos encenaram as atividades com apresentação da peça teatral “Ser diferente é Normal” onde mostram que as diferenças sociais, físicas e comportamentais não são motivos para a discriminação da pessoa pela sociedade.

Para o secretário Silvio Fidelis, o programa desenvolvido tem gerado muito conteúdo relevante no trabalho com a ética e a cidadania nas escolas além de muito válido no estímulo de envolver os alunos nas questões sociais, proporcionando uma formação crítica, criando o ambiente necessário para que tomem consciência de seus direitos e deveres. “Quero parabenizar a iniciativa de instituições como a Controladoria Geral da União e dizer que estamos satisfeitos com os resultados apresentados até aqui pelos alunos. Esse projeto é uma grande oportunidade para nossos alunos se destacarem nas apresentações artísticas e na produção textual”, declarou.

Confira abaixo, os textos produzidos e apresentados no evento.

Aluna: Jhennyfer Campos – 5º ano A

Tema: Brasil, meu Brasil brasileiro.

“Eu aprendi que, em 15 de novembro de 1.889, o Brasil deixou oficialmente de ser uma monarquia para se tornar uma república. Por exemplo, na monarquia por hereditariedade, ou seja, o poder passa de pai para filho, desse modo quando o rei morre quem herda o trono é o seu filho ou parente mais próximo, assim como D. Pedro II herdou o trono de D. Pedro I. Já na república, o presidente é escolhido pelo voto em 1.891, foram realizadas as primeiras eleições para presidente no Brasil. Além das eleições, na república o tempo de permanência do presidente é por um período de apenas 4 anos, o poder de um rei, por sua vez é para a vida inteira. Mas, afinal, o que quer dizer a palavra “república”? Vem do latim república significa literalmente “coisa pública”. Vocês sabiam que o Brasil é o maior país da América do Sul? Possui 8.511.965 km² de extensão territorial, com 26 estados federados e o Distrito Federal, com seus planaltos e planícies com suas florestas, caatingas, com variações de climas, com sua riqueza cultural, com a mistura de raças, com múltiplas religiões, com seus idosos, suas crianças, seus trabalhadores, homens e mulheres que aprendem desde cedo a respeitar e serem respeitados, a participar e a construir este país que nós amamos!”

 

Aluna: Andressa da Cruz Lisboa – 5º ano B

“O Brasil abriga cerca de 200 milhões de habitantes, com suas diversidades e etnias. A nossa Pátria também tem variações geográficas e climáticas. Mas o que é a Pátria? Pátria é o solo onde vivemos a terra que foi nosso berço. Aquele pedaço de chão com que temos intimidade. A pátria é a identidade comum, são nossas crenças, hábitos, língua... É o jeitão diferente de todos num mesmo lugar. Vamos falar sobre Monarquia e República! Em 15 de novembro de 1.889, o Brasil deixou oficialmente de ser uma monarquia para se tornar uma república. Para muita gente, a mudança se resume à troca da figura do imperador (monarca) pelo do presidente. No caso, a saída de D. Pedro II e a chegada do Marechal Deodoro da Fonseca. Mas existem muitas outras diferenças. Por exemplo, na monarquia , o governante é definido por hereditariedade, ou seja, o poder passa de pai para filho. Já na República, o presidente é escolhido pelo voto nas eleições. Além das eleições, o tempo de permanência do presidente é por período limitado. Esse período é chamado de mandato. Mas vale lembrar que o presidente é apenas o chefe do Poder Executivo. Numa República de verdade como o Brasil, a responsabilidade de buscar sempre o melhor para a sociedade é compartilhado pelos três poderes, o Poder Legislativo, Executivo e Judiciário. O Poder Legislativo cuida da elaboração e da promoção das leis que devem ser obedecidas por todos no país. Ao Poder Executivo, cabe a função de executar as leis. O presidente da República é o principal representante do Poder Executivo. Finalmente, o Poder Judiciário fiscaliza o cumprimento das leis e estabelece punições para que não as seguem. Já mudando de assunto, vocês sabem o que é democracia? Democracia para quem não sabe é uma palavra de origem grega e quer dizer “governo do povo”. Em outras palavras, é o povo quem manda. Mas o que significa isso na prática? Que todo mundo pode fazer o que bem entender? Não. Num regime democrático, vale a opinião da maioria, mais ou menos como em um grupo de amigos que quer saber o que fazer depois da aula. Se a maioria decide jogar futebol, todos devem aceitar a escolha, respeitando o processo democrático. Outra característica do regime democrático são as eleições periódicas. A democracia participativa é um exercício da cidadania, mas existem também outras maneiras de praticá-la. A cidadania é o gesto verdadeiro de querer melhorar, de querer o bem comum, não por obrigação, mas por consciência. Quer uma definição mais detalhada de cidadania? A cidadania é alcançada quando a pessoa, ao mesmo tempo, cumpre seus deveres e vê seus direitos respeitados. Os direitos do cidadão dividem-se em: Direitos Civis, Direitos Políticos e Direitos Sociais. A Constituição atualmente em vigor no Brasil, publicada em 1988, ficou conhecida  como Constituição Cidadã, justamente por assegurar aos brasileiros uma ampla quantidade de direitos.”

 

Tema: Autoestima

Título: O motivo da autoestima em nossas vidas

Aluna: Emmely Santos – 5º ano A

“Bom para começar o que é autoestima? Autoestima é a qualidade que pertence ao indivíduo satisfeito com si mesmo, ou seja, uma pessoa dotada de confiança e que valoriza a si mesmo e o que faz. No âmbito da psicologia, a autoestima consiste numa avaliação subjetiva que determinado indivíduo faz de si próprio. Neste caso, características como a dignidade, o respeito, a confiança, amor próprio, orgulho, brio, honra, altivez e determinação. A professora nos ensinou e nos ensina a importância de termos a autoestima em nossa vida. E procurar ser feliz é ser firme, é ser valente, é ser aventureiro, é ter fé, esperança e acreditar no que faz, no que é capaz e acreditar num amanhã melhor. Então o motivo que temos autoestima, por que ela nos ajuda a ser uma pessoa melhor, nos ajuda a ser feliz, nos ajuda a enfrentar nossos medos. Se um desafio lhe acompanhar enfrente-o, se perder pense que pelo menos você tentou e que as pessoas acreditam em você, se ganhar sorria e prepare-se para mais desafios pela frente, mas sempre pense pelo lado bom, nunca desista e sempre sorria. Devemos ter autoestima para não sermos pessoas amarguradas, infelizes, incapazes. Enfim tudo aquilo de ruim, por isso é muito importante termos autoestima em nossas vidas. Quando sinto tristeza ou raiva me expresso escrevendo histórias de terror, procuro não guardar rancor dentro de mim e agradeço a Deus por esta vida.”

 

Tema: Ser diferente é legal

Aluna: Amanda Carla – 5º ano C

“Somos todos diferentes, e isso é muito legal. Eu gosto de ser diferente, porque juntando as nossas ideias surgem coisas novas e legais, e todos nós temos que respeitar as ideias e dúvidas uns dos outros. Eu não sou igual a você, nem você é igual a mim, tem pessoas que são magrinhas, gordinhas, têm cabelos diferentes, olhos diferentes, jeito de ser diferentes e as vezes apresentam alguma deficiência física ou mental. Infelizmente tem gente que não entende, não respeita e acha que só pela pessoa não ser igual a ela tem direito de discriminá-la, desrespeitá-la e até fazer bullying. Então vamos respeitar mais, amar mais e aceitar as diferenças porque “Ser diferente é legal”. Viva a diferença!”

Por: Da Redação - Secom/VG