Várzea Grande começa entregar 200 cadeiras de rodas

SAÚDE COM RESPEITO
Várzea Grande começa entregar 200 cadeiras de rodas

Portadores de limitações físicas ou psicológicas contarão com o benefício por meio do SUS e sem custos 


17/12/2018    252

Várzea Grande recebeu e já iniciou a entrega de 200 cadeiras de rodas para aqueles portadores de limitações físicas ou neurológicas sem custos e através do Sistema Único de Saúde - SUS com investimentos aproximados de R$ 400 mil.

Essa ação é uma ação continuidade da Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande e faz parte da política de reabilitação dos portadores de limitações físicas ou neurológicas.

Com forte atuação do Centro Especializado em Reabilitação de Várzea Grande - CER II, que oferta serviços especializados de reabilitação física e intelectual de média e alta complexidade, a equipe de reabilitação atende pacientes com incapacidade física, congênita ou adquirida, temporárias ou permanentes, e com média de atendimento entre 2.000 até 3.500 pacientes mensais.

“Mais do que uma política de Saúde Pública, estamos ofertando respeito e qualidade de vida para aqueles que por um ou outro motivo tem limitações”, disse a prefeita Lucimar Sacre de Campos para quem, dentro de sua capacidade, Várzea Grande tem conseguido avançar na saúde pública oferecida a população que precisa do SUS. “Aqui os tratamentos e os equipamentos são gratuitos, ou seja, o dinheiro dos impostos volta em benefício para a própria população”, reforçou a prefeita de Várzea Grande.

A aquisição das cadeiras de rodas para locomoção e para banho, atendem tanto adultos quanto crianças e sua fabricação leva em consideração a altura, peso e condições dos portadores de limitações físicas e neurológicas.

“Adotamos todos os cuidados e promovemos a aquisição das cadeiras respeitando os ditames legais, especificações médicas e técnicas e acompanhando as solicitações daqueles que serão atendidos”, disse o secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes ao realizar a entrega das primeiras unidades e que eram aguardadas com muita expectativa pelos pacientes.

A compra concluída passou por todos os trâmites burocráticos exigidos pela legislação do Sistema Único de Saúde (SUS) e atende a uma demanda reprimida de pacientes cadeirantes que necessitam da troca do bem ou mesmo àqueles que ainda aguardam pelo auxílio da primeira cadeira de rodas.

A entrega simbólica foi realizada no Centro de Especialidades Médicas (CEM), onde funciona o Centro Especializado de Reabilitação (CER II).

Durante a entrega, o secretário de Saúde, Diógenes Marcondes, pontuou que as novas cadeiras de rodas reforçam a rede de assistência às pessoas com deficiência. “Mais que um equipamento, as cadeiras simbolizam a independência do paciente, resgatam sua autoestima e ampliam os cuidados aos pacientes”.

Os contemplados com as entregas disseram que a cadeira é um equipamento caro, com valores que podem variar de cerca de R$ 3 mil a mais de R$ 10 mil, mas fundamental para quem tem dificuldade de locomoção, como crianças com paralisia cerebral, acidentados e idosos.

Pedro Micael Caires, de 14 anos, sofre de paralisia cerebral e é extremamente dependente do equipamento, como conta a sua avó, Olivia de Oliveira. “Ele consegue andar, dar alguns passos, mas cansa logo. Temos uma rotina diária de cuidados com ele que nos obriga a deslocamentos. Até hoje todas as cadeiras que tivemos foram doadas e há mais de três anos estávamos sem trocá-la”. Dona Olivia, que é quem cuida do neto junto com o esposo, disse que a atual cadeira usada por Pedro será doada pela família para quem estiver precisando. “Só quem depende dela sabe o valor que ela tem”.

O pedreiro, José Pedro de Souza, era um dos mais felizes com a nova cadeira. “É um presente de Deus”. Cadeirante há mais de 30 anos, seu José – hoje com 55 anos – conta que teve uma doença diagnosticada como ‘virose’ que pouco a pouco foi limitando os movimentos e atrofiando os pés e as mãos. “A cadeira que ele usava estava tão deteriorada, que durante a entrega ele foi colocado em outro equipamento do CER para melhor acomodação. Além da cadeira tradicional de rodas, seu José recebeu também uma de banho. “Mesmo com todas essas limitações eu cozinho, limpo minha casa, meu banheiro e tomo banho sozinho. Quem tem fé, tem alegria e vive bem do que jeito que tem de viver”, ensinou ele.

O gerente do CER II, Dante Martins Miraglia Lima, acredita que inicialmente as 200 unidades adquiridas atenderá aos cadeirantes cadastrados no Município. “É um avanço muito grande, tanto para administração pública municipal que atende as demandas dos moradores como para as pessoas que ganham a praticidade de poder se locomover e terem qualidade de vida”, disse ele.

Por: Marianna Peres - Secom/VG