Saúde faz alerta para os cuidados com animais peçonhentos durante período chuvoso

Saúde e Prevenção
Saúde faz alerta para os cuidados com animais peçonhentos durante período chuvoso

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) pode ser acionado pelo telefone 3688-3186


02/01/2019    414

A chegada do verão e o período chuvoso faz com que aumente o aparecimento e a proliferação de animais sinantrópicos e peçonhentos, que nesta época do ano são mais ativos e saem mais cedo de seus esconderijos a procura de alimento e reprodução. Devido a isso a Vigilância em Saúde de Várzea Grande, por meio da Vigilância Ambiental faz um alerta à população para as medidas de prevenção a acidentes envolvendo esses animais.

Segundo dados parciais do Sistema de Informações de Agravos de Notificação (Sinan), durante todo o ano de 2018 foram registrados 204 acidentes envolvendo animais peçonhentos e sinantrópicos  somente no município de Várzea Grande. 

Animais sinantrópicos são animais que dividem o ambiente com o ser humano e pode causar algum mal para ele. Segundo o levantamento realizado pela vigilância, o caramujo africano (Achatina Fulica), ocupa a primeira colocação do ranking de registros. Seguido por escorpiões, aranhas, mosquitos e serpentes. O caramujo africano pode ser o transmissor de duas doenças, estrongiloidíase que causa manchas avermelhadas na pele, diarreia, náuseas, falta de apetite, tosse seca, flatulência, falta de ar e até crise de asma. Outra doença causada pela picada do caramujo é a miningite eosinfólica, que apresenta sintomas como, fortes dores de cabeça, dificuldade para gesticular o pescoço, náusea, febre baixa e formigamentos pelo corpo.

O Biólogo Jessé Junior, explica que nessa época do ano, o aparecimento desses animais são recorrentes, devido à alta umidade do tempo e a vegetação elevada, que favorece a proliferação desses animais. O Biólogo atende à domicílio quando solicitados em todo o município de Várzea Grande, e explica como é feito esse processo de solicitação caso necessite um morador.

“Após a solicitação, a equipe se desloca até o local indicado, realiza a coleta do animal e orienta os moradores quanto às medidas de prevenção que devem ser tomadas com esses animais. No caso de acidentes (picada ou mordida), a orientação é que o paciente procure imediatamente atendimento hospitalar”, explica Jessé.

O Biólogo diz que o trabalho de prevenção e atendimento à população é realizado de forma integrada entre o Município e o Estado. Enquanto o Estado realiza o levantamento de dados e trata os pacientes acidentados, o município trabalha com as medidas de prevenção e orientação à população.

O Superintendente da Vigilância em Saúde de Várzea Grande, Alysson Gomes, explica que a solução é redobrar os cuidados básicos de prevenção que possam evitar a ocorrências de acidentes envolvendo animais peçonhentos. “Os moradores que encontrarem escorpiões, aranhas e outros animais peçonhentos em seus quintais ou residências devem acionar o serviço de capturas desses animais no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), pelo telefone 3688-3186. Órgãos públicos também podem acionar o CCZ para realizar palestras educativas orientando a população quanto aos cuidados com esses animais”, disse.

O superintendente ressalta ainda que se for caso de serpentes, o Corpo de Bombeiros local deve ser o contatado. “As consequências de uma picada de animal peçonhento, que variam de acordo com a espécie do animal agressor, mas em idosos e crianças até 10 anos os efeitos e sequelas costumam ser mais intensos e sérios, por isso a importância das medidas de prevenção, em deixar os quintais roçados e limpos”, explica.

Dicas de prevenção:

Mosquitos: Evitar criadouros, recipientes que possam acumular água, pois o mosquito Aedes aegypti necessita de água limpa e parada para colocar seus ovos, dessa forma, evitamos a disseminação de doenças transmitidas por esse mosquito como a Dengue, Zika e Chikungunya.

Caramujo Africano: A principal dica é evitar qualquer contato com esse animal, pois o líquido que ele secreta para se locomover pode conter vermes, que causam doenças. Realizar cotação manual com o auxílio de luvas e sacos plásticos. Os caramujos recolhidos devem ser esmagados com cal virgem e enterrados. Recolher também os ovos que ficam semienterrados e proceder da mesma forma usada para os animais coletados. É importante lavar bem as verduras e frutas antes de consumi-las e deixar de molho por 30 minutos em uma solução de 1 colher de sopa de água sanitária para 1 litro de água.

Escorpiões e Aranhas: Evitar acúmulo de lixo e entulhos que possam servir de abrigo para esses animais. Vedar ralos de pias e banheiros. Sacudir roupas e calçados guardados antes de utilizá-los. Afastar cama de paredes. Controlar o aparecimento de baratas, que é um dos principais alimentos de escorpiões. Manter o quintal sempre limpo e a grama aparada. O veneno da maioria das aranhas caranguejeiras não é tóxico para o homem. Entretanto, sua picada é dolorosa e seu pelo pode causar irritação. A armadeira é a espécie mais comum na nossa região e bastante agressiva que provoca dor intensa e imediata no local da picada.

Serpentes: Cuidado redobrado ao adentrar em matos ou plantações, esses lugares é um dos principais esconderijos para esse tipo de animal, até que se sintam seguros para sair. Ao limpar terrenos baldios fazer isso de vestimentas adequadas, como roupa de couro, perneiras e botas.

Por: Letícia Kathucia - Secom/VG