Relatório mostra aumento nos investimentos na Saúde Pública em Várzea Grande

Prioridade para a Saúde
Relatório mostra aumento nos investimentos na Saúde Pública em Várzea Grande

Foram consumidos R$ 155 milhões em 2018 que permitiram a realização de 2,5 milhões de procedimentos para cerca 350 mil pacientes


29/01/2019    300

Com superávit financeiro em 2018 com um repasse 10% maior que o inicialmente previsto no orçamento da Secretaria de Saúde, Várzea Grande avançou em relação aos recursos investidos em um dos setores mais fundamentais para sua população, atingindo um patamar de R$ 553,57 por habitante, sendo R$ 257,03 de recursos próprios, R$ 231,00 de recursos federais e R$ 65,54 de recursos do Governo do Estado.

O Orçamento para a Saúde de Várzea Grande em 2018 estava inicialmente previsto para um montante de R$ 141 milhões e foram investidos R$ 155 milhões ao final do exercício.

Esses números se contrastam ainda mais quando são demonstrados em procedimentos realizados, que são as consultas, exames, vacinas, medicamentos, cirurgias, tratamentos bucais entre outras ações desempenhadas pela área de saúde municipal da segunda maior cidade de Mato Grosso e que somaram no ano passado, 2,5 milhões de procedimentos em todas as 35 unidades do setor.

Os números contrapõem em parte o relatório publicado pelo Conselho Federal de Medicina - CFM, referente a 2017 e que apontaram para um investimentos de R$ 237,90 per capita em Várzea Grande, mas só trouxe os valores do município, quando todos sabem que o Sistema Único de Saúde - SUS, funciona com recursos Federais, Estaduais e Municipais.

“A informação que para nós é mais importante se trata do empenho e da dedicação da prefeita Lucimar Sacre de Campos em aplicar quase 30% das receitas correntes, ou seja, de toda arrecadação municipal no setor de saúde e permitir que realizássemos 2,5 milhões de procedimentos ao longo do ano de 2018”, disse o secretário de Saúde, Diógenes Marcondes, apontando que houveram avanços significativos.

Diógenes Marcondes lembrou que somente em investimentos de obras e equipamentos a saúde pública em Várzea Grande consumiu R$ 4,5 milhões e que a tendência é desses valores subirem ainda mais em 2019 por causa da inauguração de novas unidades como a UPA Grande Cristo Rei, da Unidade Básica de Saúde do Residencial Aurília Curvo.

“Investimos mais de R$ 6,330 milhões apenas em medicamentos para as unidades de saúde e outros 3,570 milhões em matérias para o Hospital Pronto Socorro e também R$ 264 mil para materiais odontológicos”, disse o titular da Saúde Pública Municipal.

Ele sinalizou também que somente no Hospital Pronto Socorro de Várzea Grande foram realizados 660 partos em 2018. “Estes números demonstram que após muitos anos de paralisação, mais de duas pessoas nasceram todos os dias do ano passado em nossa cidade, em um claro exemplo de como a saúde é tratada na segunda maior cidade de Mato Grosso”, disse.

Segundo o titular da Saúde Pública, é preciso lembrar que o cálculo per capita de investimento em saúde não é 100% correta, porque do total de pessoas atendidas, entre 45 até 52% são de pacientes de outros municípios de Mato Grosso e de outros Estados do Brasil.

“As unidades de saúde em Várzea Grande, tem atendido um contingente considerável de pacientes de outros municípios, isto representa dizer que parte dos valores que deveriam ser destinados para o atendimento dos moradores da cidade vão para outras cidades”, explicou Diógenes Marcondes sinalizando os números e estatísticas demonstram que Várzea Grande melhorou seus índices e vai continuar avançando ainda mais.  

Centro Odontológico: Tratamentos somam 43 mil procedimentos e Policlínica do Cristo Rei pode se tornar nova unidade

Próximo de completar um ano de funcionamento, o Centro Odontológico de Várzea Grande, inaugurado em abril de 2018, até o momento já realizou, 43.639 mil procedimentos em 9 meses em 2.763 pacientes que iniciaram os tratamentos e 2.579 que concluíram o mesmo.

Estes números estão inseridos nos 2,5 milhões de procedimentos.

Segundo o coordenador do Centro Odontológico, Narciso Santana, o tratamento odontológico é diferenciado, porque ele demanda uma média de 10 a 20 consultas para atendimento, “pois não se referem apenas a aplicação de medicamento, mas sim a um tratamento completo”, explicou.

Ele considera como um número expressivo 2.763 pessoas iniciarem um tratamento odontológico e 2.579 concluírem o mesmo, numa clara demonstração de que o sistema funciona e tem resultados positivos para a população.

Narciso Santana assinalou que está em análise a possibilidade das dependência aonde hoje funciona a Policlínica do Cristo Rei se tornar a segunda unidade do Centro Odontológico.

“Foi solicitado um estudo, portanto, ainda não está concretizada a possibilidade de com a inauguração da UPA Grande Cristo Rei e maio vindouro, utilizarmos a atual Policlínica do Cristo Rei para acomodar a segunda unidade do Centro Odontológico”, ponderou Narciso Santana.

Ele disse que a intenção da prefeita Lucimar Sacre de Campos é entregar até 2020 mais duas ou três unidades do Centro Odontológico. “A ideia é termos tratamentos mais próximos da população, como nas Policlínicas, deixando os casos mais complicados para o Centro Odontológico I e assim atender toda a demanda da população de Várzea Grande estimada em 282 mil habitantes”, acrescentou.

Narciso Santana ponderou ainda que a saúde bucal em Várzea Grande trabalha para avançar para outros tratamentos. “Poderemos em breve melhorar a performance de nossos atendimentos, para que outras ações de interesse da população pudessem ser oferecidas, como aparelhos, próteses, cirurgias etc”, acrescentou.

A Prefeitura de Várzea Grande deve ainda ampliar a parceria de atendimentos realizadas nas unidades com o Centro Universitário de Várzea Grande - UNIVAG.

Atualmente, odontólogos acadêmicos acompanhados de profissionais odontólogos realizam tratamentos no Centro Odontológico e aperfeiçoam os serviços oferecidos na unidade.

Por: Da Redação - Secom/VG