Saúde adota estratégia para potencializar atendimento à Atenção Primária

Clínica do Marajoara
Saúde adota estratégia para potencializar atendimento à Atenção Primária

A unidade disponibiliza atendimentos de pediatria, clínico geral, odontológico, ortopedia e nutricionista


01/02/2019    452

A Prefeitura de Várzea Grande tem focado seus investimentos na área da Saúde visando à garantia do acesso da população a serviços em toda a rede do Sistema Único de Saúde (SUS). O fortalecimento da Atenção Primária à Saúde, que é justamente o atendimento inicial nas unidade básicas, tem sido prioridade para a prefeita Lucimar Campos. A exemplo disso podemos citar a clínica de Atenção Primária, antiga Policlínica do Marajoara, que é a unidade referência na região para atendimentos laboratoriais e procedimentos simples.

A unidade disponibiliza atendimentos de pediatria, clínico geral, odontológico, ortopedia e nutricionista. A cerca de um ano a mudança classificatória da unidade, que deixou de ser policlínica para se tornar uma Clínica de Atenção Primária, trouxe com ela mudanças positivas no atendimento à população, que além de maior rapidez no atendimento, passou a contar com outras especialidades e procedimentos que antes só eram realizados em unidade de maior porte como o Hospital e Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande (HPSM-VG).  

Para o secretário municipal da Saúde, Diógenes Marcondes, o investimento na Atenção Primária é a principal maneira de melhorar a assistência à saúde, pois são estes profissionais que têm condições de fazer o acompanhamento clínico e efetivo da população. “Claro que contar com uma boa rede hospitalar e de serviços de urgência e emergência bem estruturados é essencial, mas com uma rede básica bem articulada, boa parte dos casos pode ser resolvida antes de recorrer às atenções secundária ou terciária”, afirma.

A gerente da unidade, Mara Rejane Gattibonique, lembra que além dos investimentos foram realizadas várias capacitações aos profissionais que atuam na Atenção Primária, trazendo maior qualidade no atendimento ao paciente do Sistema Único de Saúde (SUS). “Com um profissional preparado para atender de forma mais humanizada e ágil possível, o paciente sai da nossa unidade se sentindo melhor de saúde e feliz por ter sido bem tratado, isso faz toda a diferença. Estabelecemos e cumprimos uma agenda local, o que nos permite não ter uma fila de espera para as consultas, quando é marcada é feita via Sistema SisReg, o que permite o paciente ser atendido, em todas as suas prioridades, e impede alguém querer furar fila”, explica a gestora.

O farmacêutico que trabalha na unidade a cerca de um ano, fala também da assiduidade da Central de Distribuição de Medicamentos (Cadim), na entrega dos medicados, uma das questão mais elogiadas pelos usuários na unidade. “Além da pontualidade na entrega, a informatização do sistema que agora é integrado nos garante maior possibilidade de cumprir as regras de pedidos e controle dos medicamentos, além disso os médicos podem receitar para os pacientes os remédios que temos em estoque, garantindo que o paciente não fique sem a medicação de forma alguma e ainda evitando qualquer possibilidade de perda de mercadoria por data de validade”, elogia Xavier Arturo Lopes.

A dona de casa, Laurinda Lopes, fala que o atendimento da unidade pode ser considerado de excelência. “Lógico que nunca vai agradar a todos, sempre vai ter alguém que vai reclamar, mas aqui nessa unidade nada falta, desde médicos à medicamentos, sempre tudo que eu precisei eu fui atendida na medida da minha necessidade. E outra se cada um fazer os exames preventivos realizados aqui na unidade ou seguir as recomendações dos médicos que nos atende aqui, a probabilidade de precisar ir até um pronto socorro será mínima, por isso eu faço a minha parte, diz dona Laurinda.

A Secretaria Municipal da Saúde também desencadeou processos de reorganização da rede de serviços da atenção ambulatorial especializada e hospitalar que compõem a rede SUS. A fila para exames e consultas com especialistas na rede pública municipal de saúde de Várzea Grande foi reduzida em boa parte das áreas desde 2017. A redução é resultado de um conjunto de medidas que inclui a reorganização dos encaminhamentos, a partir de uma gestão mais racional, e a ampliação da oferta de consultas.

Por: Letícia Kathucia - Secom/VG