Educação inicia projeto de prevenção às doenças tropicais nas escolas

Educação e Meio Ambiente
Educação inicia projeto de prevenção às doenças tropicais nas escolas

O projeto consiste em mudar comportamento visando o bem estar social da comunidade escolar e bairros


21/02/2019    257

A Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Centro de Controle de Zoonoses e Unidades Básicas de Saúde, estão desenvolvendo nas escolas da rede municipal de Várzea Grande o Projeto de Prevenção às doenças tropicais. A primeira escola a receber as ações do projeto foi a EMEB “Alino Ferreira de Magalhães” no bairro Alto da Boa Vista – Parque do Lago, na Região do Grande Cristo Rei.

Cerca de 190 alunos participaram da ação intersetorial entre educação e saúde com ações de prevenção, palestras de conscientização e utilização de materiais como lupas para a visualização dos ciclos de vida do mosquito Aedes aegypti, fortalecendo as práticas de prevenção, adotando uma visão mais abrangente de promoção da saúde.

Segundo o Secretário de Educação, Silvio Fidelis, o Projeto “Dengue, Zika vírus e Chikungunya: Atitude é Prevenção” será trabalhado de acordo com as novas propostas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), por meio do eixo Matéria e Energia, assim como no eixo Vida e Evolução, que estimula os estudantes a usar as etapas do processo de investigação científica: observar, perguntar, analisar demandas, propor hipóteses, elaborar modelos e explicações, desenvolver, divulgar e implementar soluções para resolver problemas do dia a dia”.

“A princípio os professores farão pesquisas juntamente com os alunos, sobre o mosquito Aedes aegypti e as doenças que ele pode transmitir. A partir do conhecimento teórico adquirido, serão trabalhados modos de prevenção e possível combate aos criadouros do mosquito. Os alunos elaborarão textos, histórias em quadrinhos, panfletos, teatros, gincanas e seminários para divulgar e sensibilizar a comunidade escolar sobre a necessidade e importância de manter seus quintais, casas e caixas d’água limpos”, declarou.

O biólogo Jessé Martins Ribeiro do Centro de Controle de Zoonoses , explica que o mosquito Aedes aegypti é encontrado, principalmente, no meio urbano, colonizando depósitos de armazenamento de água e pequenas coleções temporária, as que facilitam sua proliferação principalmente no período chuvoso. As fêmeas põem os ovos dentro de qualquer recipiente preferencialmente com água limpa dos quais surgem às larvas, se transformam em pupas tornando-se um mosquito adulto no período de 07 dias, podendo o mosquito viver aproximadamente 30 dias. “Em função de experiências realizadas pela FIOCRUZ,  é importante que possamos disponibilizar 10 minutos por semana para vistoriarmos a nossa residência, inclusive o quintal para que possamos eliminar os possíveis criadouros", disse.

“Com as ações do Projeto de Prevenção às doenças tropicais a educação para o ambiente equilibrado e para a saúde vai proporcionar uma melhor qualidade de vida a todos que residem no entorno do território escolar. Estas práticas escolares ajudam a melhorar o ambiente em que vive e modificar até costumes entre as comunidades. O aluno é o elo destas mudanças.”, frisou o secretário de educação Silvio Fidelis.

Por: Fred Nogueira - Secom/VG