Enfrentamento ao tráfico de pessoas é tema de capacitação na Assistência Social

Políticas Públicas
Enfrentamento ao tráfico de pessoas é tema de capacitação na Assistência Social

A ação conta com as parcerias da Secretaria Estadual de Assistência Social e do Comitê Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas


22/02/2019    1374

O enfrentamento ao tráfico de pessoas é, hoje, uma questão que ocupa lugar de relevância no âmbito de políticas públicas. É também um desafio que os municípios e estados brasileiros têm tentado combater, por meio de ações efetivas e de planos de enfrentamento desse delito. Em Várzea Grande o assunto tem sido tema de capacitação de profissionais da área da Assistência Social e discussão em busca de soluções.

Nesta sexta-feira (22), a Secretaria de Assistência Social, por meio da Coordenação de Proteção Social, realizou uma Oficina de Capacitação sobre o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. A ação conta com as parcerias da Secretaria Estadual de Assistência Social e do Comitê Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas – CETRAP – órgão vinculado a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos.

A secretária de Assistência Social, Flávia Omar destacou a importância em se promover políticas públicas de enfrentamento e combate ao tráfico de pessoas, que além de ser um ato criminoso fere os princípios dos direitos humanos. “É necessário abordar a questão do tráfico de pessoas do ponto de vista diferenciado e as especificidades dos direitos das mulheres, crianças e adolescente, principalmente aquelas que se encontram em vulnerabilidade social. Precisamos estar atentos as formas como operam as redes criminosas e o perfil das vitimas aliciadas e exploradas. Por isso mesmo é importante a participação de toda a sociedade e organização de todas as esferas a fim de buscar meios para minimizar essas práticas abusivas”.

Flávia Omar disse ainda que em Várzea Grande a Administração Municipal está atenta a esse fato e que tem buscado implantar projetos que fortalecem, principalmente, os vínculos familiares. “Programas como ‘Amigas Empreendedoras' e ‘Juventude Ativa’ tem contribuído na proteção familiar ”, destacou.  

A Coordenadora do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, Dulce Regina Amorim, disse que as oficinas e capacitações em torno desse tema são de fundamental importância uma vez que buscam de forma conjunta ações que inibem de fato essa ação criminosa, embora que ainda efetivamente, não existem registros dessa ação no Estado.

“A maior dificuldade que enfrentamos hoje é a notificação, por isso, estamos há anos realizando um trabalho de capacitação junto aos profissionais que atuam na ponta, ou seja, aquelas que atendem as vítimas, para que possam detectar todas as manifestações que de fato comprove a situação de tráfico. Existem dados que não refletem a realidade por isso, é necessário que atendentes tenha a visão apurada para definir o que é considerado tráfico de pessoas e da importância da notificação ser feita de forma correta. E essa capacitação é forma de buscar e compartilhar as informações”, explicou Dulce Regina.

Já a representante da Secretaria Estadual de Assistência Social, Cristina Saito, disse que a participação de todos os poderes no enfrentamento dessa questão é uma forma de buscar meios e diretrizes para identificar os casos considerados tráfico, a fim de denunciar, processar e punir aqueles que cometem, este tipo de crime. “A secretaria de Estado de Assistência Social está atenta a esse fato e é parceira de ações de combate a esse tipo de crime, que fere a honra e a dignidade das pessoas atingidas. Fico feliz em ver que Várzea Grande está promovendo ações concretas e definindo ações de combate, não apenas ao tráfico de pessoas, mas também de crimes contra a sociedade de uma forma em geral”.

VISITA: A representante da Secretaria Estadual de Assistência Social, Cristina Saito, foi convidada pela Secretária Municipal, Flávia Omar, para conhecer a estrutura física do prédio onde abriga o Programa Social ‘Caderno II’. Ela visitou todas as salas onde são realizadas as oficinas e conheceu de perto o trabalho que é realizado na instituição.

Flávia Omar explicou que um dos maiores desafios da instituição é formação humana do adolescente, resgate de valores e a formação da cidadania. “Temos a missão de estimular o jovem para o desempenho do seu papel na sociedade”, assegurou a secretária.

Já Cristina Saito se mostrou surpresa com tudo o que viu e elogiou a administração municipal em implantar ações de resgate social, promovendo nos jovens a motivação e o espírito empreendedor. “Várzea Grande tem promovido boas ações, que na prática estão dando resultados. O importante é o resgate do vínculo familiar. Os projetos já experimentados por Várzea Grande poderão servir de exemplo para outros municípios do Estado adotarem. São políticas públicas municipais experimentadas e que estão dando certo”, parabenizou.

Por: Kátia Passos - Secom/VG