Várzea Grande investe na atenção aos alunos com deficiência

Educação Inclusiva
Várzea Grande investe na atenção aos alunos com deficiência

Referência em atendimento especializado, o Centro João Ribeiro Filho abre o ano letivo com atividades de interação


28/03/2019    405

A Rede Pública municipal de Várzea Grande tem assegurado a participação democrática de crianças portadoras de deficiência, o direito à Educação em escola regular, em convívio com os demais alunos, em um processo inclusivo.  

Nesta semana, a equipe técnica da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, realizou no Centro Municipal de Atendimento Especializado e Apoio à Inclusão ‘João Ribeiro Filho’, a acolhida aos alunos que estarão durante todo o ano, participando de atividades e acompanhamento multidisciplinar, aplicados por profissionais de diversas áreas, e que trabalham diretamente o processo cognitivo da criança.

“A equipe multifuncional já começa a trabalhar com cada aluno a sua dificuldade psicomotora, para o desenvolvimento e estímulo de suas habilidades. O trabalho é tanto realizado individualmente como em grupos, levando em consideração a patologia e as dificuldades enfrentadas por cada aluno”, explicou a gerente administrativa do Centro, Sirlene Aparecida de Freitas.

O Centro Municipal de Atendimento Especializado e Apoio à Inclusão ‘João Ribeiro Filho’ atende 410 alunos, com atividades para crianças que apresentam autismo, síndrome de Down, deficiência física, visual, auditiva, deficiência intelectual e outros transtornos de hiperatividade (TDH), transtorno de leitura e escrita (Dislexia) e transtorno de aprendizagem, e que recebem atendimentos especializados nas áreas de psicologia, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, serviço social, psicoterapia.

Neste ano de 2019, o Centro estará reforçando o atendimento, com a inclusão da Associação dos Amigos dos Autistas de Cuiabá e Associação de Mães de Jovens com Dislexia, que estarão contribuindo com o município na capacitação e formação de profissionais para que possam organizar palestras e discutir o tema. “Essa parceria vai fortalecer ainda mais as atividades desenvolvidas neste local. O Centro Municipal João Ribeiro Filho é o único no Estado de Mato Grosso que possui trabalho especializado e apoio a inclusão”, informou a gerente, Sirlene Freitas.

Já a coordenadora pedagógica, Zélia Alves Vidal, explicou que os alunos matriculados na Rede Pública de Várzea Grande passam no início do ano letivo, por um diagnóstico em sala de aula. Os que apresentam algum tipo de dificuldade de aprendizagem ou algum distúrbio relacionado à aprendizagem são encaminhados ao Centro que, após uma entrevista com pais ou responsáveis, é possível o diagnóstico e posterior triagem avaliativa com equipes de profissionais, na elaboração de um Plano de Atendimento Educacional/Terapêutico.

O secretário de Educação, Silvio Fidelis, disse que o Centro tem se dedicado ao trabalho de interatividade do aluno, disponibilizando a cada estudante, acompanhamento com profissionais de áreas especializadas. “As crianças e jovens participam normalmente de suas atividades escolar em um período, e no outro, frequentam o Centro, onde são avaliados de forma individual e também em grupo, dependendo do grau de dificuldade de cada um. As salas multifuncionais foram desenvolvidas para complementar e suplementar a aprendizagem dos estudantes. Todos os profissionais que atuam no local são capacitados e possuem formação continuada para atender os alunos especiais nas escolas”.  

O secretário de Educação disse ainda que o município de Várzea Grande vem investindo em políticas públicas no que tange a inclusão de alunos que apresentam necessidades especiais e, que tem assegurado o que estabelece a Constituição no Plano Nacional de Educação (PNE), que é a obrigatoriedade de pessoas com a deficiência e com qualquer necessidade especial, frequentar ambientes educacionais inclusivos.

Para Silvio Fidelis é fundamental que as escolas trabalhem a questão do convívio entre todos os alunos, sem distinção de etnia, classe social, crença religiosa, condição física e orientação sexual. “O nosso objetivo é trabalhar e evoluir cada vez mais a construção de uma visão inclusiva, garantindo a todos o direito a Educação de nível”.

Por: Kátia Passos - Secom/VG