Saúde intensifica ações de eliminação de criadouros do mosquito da dengue

Saúde e Prevenção
Saúde intensifica ações de eliminação de criadouros do mosquito da dengue

O mosquito Aedes aegypti transmite as doenças Dengue, Zika virus e Chikungunya


04/04/2019    262

Com as chuvas ainda frequentes e altas temperaturas, são fatores para a proliferação do mosquito da dengue. A Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande, através da Superintendência Geral de Vigilância em Saúde está intensificando as ações voltadas ao combate a Dengue, Zika virus e Chikungunya, aumentando o número de capacitações e realizando ações de combate ao foco do mosquito Aedes aegypti, vetor das três doenças.  

Entre as ações as visitas domiciliares estão intensificadas pela Vigilância e são realizadas diariamente em todas as regiões de Várzea Grande. O município foi dividido por regiões e as ações estão acontecendo em quatro etapas, facilitando assim as ações de redução dos criadouros do mosquito. Cada equipe de Agentes de Endemias atua em uma região proporcionando cobertura de 100% de cada localidade. A prefeitura planeja uma grande ação de mutirão que deve ser realizada já nos próximos dias, cujo planejamento está na sua fase final.

Segundo o Sistema de Informações de Notificações e Agravos (Sinan), de 01 de janeiro à 03 de abril de 2019, foram registrados 42 casos notificados de dengue, 04 casos de Zika e 51 notificações de Chikungunya. Desse total nenhum caso foi confirmado. Segundo a gerente da Vigilância Epidemiológica de Várzea Grande, Relva Cristina Teixeira de Moura, ainda que os números não estejam altos, a meta é de continuar sem elevar esse percentual e eliminar todos os riscos de casos para o município. “Para isso precisamos da ajuda de toda a população no enfrentamento aos focos do vetor, e ajudar e colaborar com as ações da prefeitura, mantendo seus quintais limpos livres de criadouros”, pontua a gerente.

Os cursos de capacitação para os profissionais que atuam no enfrentamento ao mosquito foram intensificados em todo o município, proporcionando a atualização da estrutura e operação em campo dos agentes. Palestras que propõem o enfrentamento, cuidados e medidas de prevenção estão sendo realizadas em escolas e lugares públicos. 

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) dá suporte técnico e logístico a execução das estratégias de ações de combate ao vetor. O município também investiu em estrutura, equipamentos e materiais aos agentes para dar condições de realizar as ações necessárias de combate à dengue.

“A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos e acúmulo de água em locais propícios para a criação do mosquito transmissor de doenças. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros. Se cada um cuidar do seu quintal, teremos sim uma cidade livre desse mosquito”, finalizou Relva.

Dicas de prevenção:

Evite o acúmulo de água: o mosquito coloca seus ovos em água limpa, mas não necessariamente potável. Por isso é importante jogar fora pneus velhos, virar garrafas com a boca para baixo e, caso o quintal seja propenso à formação de poças, realizar a drenagem do terreno. Também é necessário lavar a vasilha de água do bicho de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d'água e cisternas.

Coloque areia nos vasos de plantas: o uso de pratos nos vasos de plantas pode gerar acúmulo de água. Há três alternativas: eliminar esse prato, lavá-lo regularmente ou colocar areia. A areia conserva a umidade e ao mesmo tempo evita que e o prato se torne um criadouro de mosquitos.

Seja consciente com seu lixo: não despeje lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos. Assim você garante que eles ficarão desobstruídos, evitando acúmulo e até mesmo enchentes. Em casa, deixe as latas de lixo sempre bem tampadas.

Limpe as calhas: grandes reservatórios, como caixas d'água, são os criadouros mais produtivos de dengue, mas as larvas do mosquito podem ser encontradas em pequenas quantidades de água também. Para evitar até essas pequenas poças, calhas e canos devem ser checados todos os meses, pois um leve entupimento pode criar reservatórios ideais para o desenvolvimento do Aedes aegypti.

Uso de repelente: o uso de repelentes, principalmente em viagens ou em locais com muitos mosquitos, é um método importante para se proteger contra a dengue.

Por: Letícia Kathucia - Secom/VG