Parceria possibilita atendimento especial aos portadores do autismo no Centro Odontológico

Parcerias
Parceria possibilita atendimento especial aos portadores do autismo no Centro Odontológico

A Câmara Municipal de Várzea Grande e as secretarias municipais de Saúde e Educação são parceiras da ação


09/04/2019    1353

Em Alusão ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo, comemorado no dia 02 de abril, a Secretaria Municipal de Saúde em parceria com a Câmara de Vereadores de Várzea Grande e a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer anunciaram nesta terça-feira, 09, a oferta de atendimentos especializados no Centro de Especialidades Odontológicas de Várzea Grande (CEO) para esses pacientes. Atualmente em Várzea Grande, 67 pacientes com Transtorno do Espectro Autista (TEA)  são tratados pela rede do Sistema Único de Saúde (SUS).      

O secretário de Saúde, Diógenes Marcondes explica que a rede já oferece tratamento especializado para esses pacientes, no entanto esse atendimento odontológico com profissionais altamente capacitados para atender a esse público é novidade em todo o Estado de Mato Grosso, o que torna Várzea Grande referência nesse atendimento.   

“Temos o apoio do Centro Universitário de Várzea Grande (UNIVAG) e do Centro de Especialidades Médicas (CEM - antigo Postão) para as consultas especializadas para esses pacientes. Sendo um dos pontos de atenção ambulatorial especializado, o CEM trabalha com a estimulação e acompanhamento de pacientes autistas, por meio de um corpo de profissionais especializados composto por neurologista, ortopedista, pediatra, clínico geral, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional, assistente social e nutricionista. O Centro de Reabilitação (CER) e o Centro de Atenção Psicossocial - Caps Infantil também oferece atendimento especializado em outras modalidades voltadas a esses pacientes”, frisa Diógenes.

O secretário destaca ainda que para agendar o atendimento no CEO para os pacientes autistas, basta procurar a própria unidade que fica na Rua 24 de maio, no bairro Centro, Várzea Grande e agendar uma consulta que serão realizadas conforme a demanda de pacientes. “A rede ganha mais esse reforço agora com o apoio do CEO e os profissionais que estão preparados para esse atendimento especializado que exige não só empenho dos profissionais, mas de toda a rede, desde a suspeita do diagnóstico até o tratamento que é contínuo”, completa o gestor. 

O vereador Ícaro Reveles, também parceiro da ação, por meio da Câmara Municipal, falou dos projeto de sua propositura que ampara pacientes autistas. Ele informou que ainda neste mês, os decretos que tratam sobre o assunto serão aprovados e entrarão em vigor no município. “Protocolamos dois Projetos de Lei, um que inclui o símbolo do autismo nas placas de prioridade, baseada na Lei Federal (Lei nº 12.764) que equipara o autista à pessoa com deficiência, no momento de priorizar esses pacientes. E outro que cria a carteirinha do autista, para que facilite a identificação da necessidade do indivíduo com autismo”, pontua.   

Kelly Viegas que é mãe e presidente da Associação Amigos do Autista (AMA) comemora os avanços no atendimento voltado aos pacientes no município de Várzea Grande. “Quero agradecer a Câmara Municipal, a prefeita Lucimar e a todos os envolvidos no empenho em avançar na qualidade de vida dos nossos autistas, ainda a muito a se fazer, mas estamos seguindo no caminho certo. São secretarias municipais importantes envolvidas com crianças e jovens com a patologia, que são a Saúde e Educação”, diz a presidente da AMA que prestigiou o evento ao lado de outras mães e integrantes da associação.     

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) engloba diferentes condições marcadas por perturbações do desenvolvimento neurológico com três características fundamentais, que podem manifestar-se em conjunto ou isoladamente. São elas: dificuldade de comunicação por deficiência no domínio da linguagem e no uso da imaginação para lidar com jogos simbólicos, dificuldade de socialização e padrão de comportamento restritivo e repetitivo.

Por: Letícia Kathúcia - Secom/VG