Formação para merendeiras enfoca necessidades alimentares especiais

Formação Técnica
Formação para merendeiras enfoca necessidades alimentares especiais

Ofertar uma alimentação equilibrada e saudável é o objetivo principal do curso


29/04/2019    361

A Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, promoveu nos dias 25 e 26 de abril, no Anexo da Educação , formação técnica para 180 profissionais em nutrição escolar (merendeiras e merendeiros) da rede municipal de ensino, dentro do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE.

De acordo com a subsecretária de Educação, Benedita Santana Ponce, a formação dos profissionais tem o objetivo de, além da orientar sobre o manuseio correto de alimentos, frutas in natura, manufatura e armazenagem, garantir os métodos para a oferta de refeições saudáveis aos estudantes, promovendo o crescimento, a aprendizagem, o desenvolvimento biopsicossocial, o rendimento escolar e a formação de práticas alimentares saudáveis.

A superintendente do Sistema Escolar, Ednir de Almeida, disse que e a prefeitura distribui por semana, cerca de 15 mil quilos entre verduras e frutas para as unidades escolares municipais de Várzea Grande, fora carnes, leite, iogurte, legumes, cereais, grãos, entre outros itens, garantindo um cardápio variado e de alto valor nutricional. “A preocupação vai muito além da oferta da merenda, atualmente os cuidados com a alimentação escolar começam desde a maneira como os produtos são transportados até como são processados e servidos aos alunos”, comentou.

A preocupação com uma alimentação correta ficou evidente durante a capacitação com as discussões sobre as restrições alimentares de alunos que estão sendo detectados nas escolas. Segundo a equipe de nutricionistas da secretaria, a cada ano cresce o número de alunos que apresentam patologias com algum tipo de restrição alimentar como a intolerância à lactose, intolerância ao glúten e alergia à proteína do leite ou proveniente da diabetes.

“Nesses casos, as restrições alimentares devem ser comprovadas através de laudo médico e encaminhado pelos pais às unidades escolares para que as providências sejam tomadas”, orienta a nutricionista Kátia Rodrigues.

Durante a formação, a equipe de nutricionistas orientou os técnicos com relação à elaboração de cardápios especiais para alunos com restrições específicas na alimentação, além de conhecer melhor as intolerâncias alimentares que estão sendo apresentados por alguns estudantes, os principais sintomas e o tratamento. “As escolas recebem até cinco tipos de frutas por semana, o que garante a elaboração de cardápios específicos de valor nutricional, que podem atender as diferentes demandas alimentares dos alunos”, garantiu Rodrigues.

A preocupação com a correta alimentação dos alunos da rede municipal de ensino pelos técnicos em nutrição da Secretaria de Educação não se resume apenas na elaboração dos cardápios, existe também a recomendação por parte dos profissionais em nutrição para a redução do sódio (sal) no tempero dos alimentos, a restrição da oferta de alimentos ricos em açucares, além da restrição de alimentos em conserva ou pronto para o consumo e a proibição da oferta de bebidas de baixo valor nutricional como os refrigerantes nas escolas.

Atualmente na rede municipal de Ensino de Várzea Grande são servidas quatro refeições diárias para alunos dos Centro Municipais de Educação Infantil – CMEI (creches) e duas refeições para os alunos das Escolas Municipais de Educação Básica (EMEB).

Por: Fred Nogueira - Secom/VG