Em menos de 30 dias Várzea Grande constrói ponte móvel e retoma acesso a bairros

Respeito a População
Em menos de 30 dias Várzea Grande constrói ponte móvel e retoma acesso a bairros

Chuvas atípicas de 04 de abril levaram a ponte de concreto do rio formigueiro. Antes de completar 30 dias, ações emergenciais restabeleceram o principal acesso de bairros ao centro de Várzea Grande


02/05/2019    264

Com investimentos de mais de R$ 600 mil e em menos de 30 dias após as torrenciais chuvas que levaram a ponte de concreto sobre o Córrego Formigueiro, no acesso ao Bairro Novo Mato Grosso e adjacências, no último dia 04 de abril, a Prefeitura de Várzea Grande entregou a ponte metálica móvel que desde o último dia 29 já atende as demandas de mais de 2 mil residências, comércios e indústrias da região.

“Viemos aqui para demonstrar a responsabilidade e o respeito que o Poder Executivo de Várzea Grande tem para com os moradores desta imensa região que passaram, após chuvas atípicas a ter seu acesso limitado”, disse a prefeita Lucimar Sacre de Campos sinalizando que a referida ponte foi adquirida em regime emergencial e respeitando os ditames legais e da transparência e eficiência pública para assegurar o direito de ir e vir de todas as pessoas.

Acompanhada pelos secretários de Obras, Luiz Celso Moraes, de Serviços Públicos, Breno Gomes e pelo presidente do Departamento de Água e Esgoto – DAE/VG, Ricardo Azevedo Araújo, a prefeita vistoriou as obras que ainda passarão por complementações, como reforço na estrutura e manutenção e anunciou que será instalada, também em metal, uma passarela para as pessoas se utilizarem.

A ponte metálica móvel suporta até 180 toneladas por veículo pesado, além de veículos médios e leves e o acesso está garantido sem nenhum tipo de prejuízos para moradores, comerciantes e industriais da região.

“Agora, que em menos de um mês, com o trânsito restabelecido, mas deixando claro que em nenhum momento, nem mesmo quando das chuvas acima da média para o mesmo período, que levaram a ponte de concreto armado, a referida região ficou isolada, pois outro acesso existia”, lembrou a prefeita Lucimar Sacre de Campos assinalando que agora é trabalhar pela construção de uma nova ponte sobre o Rio Formigueiro, para que a ponte metálica móvel, possa ficar a disposição do Município para eventuais necessidades emergenciais.   

Como explica o secretário de Obras, Luiz Celso de Moraes, a ponte foi destruída no dia 4 de abril e uma nova estrutura entregue no dia 29. “Ainda estamos com equipes no local para finalizar alguns ajustes, especialmente na lateral da ponte, mas o mais importante era restabelecer a ligação do bairro com o restante da cidade e aliviar os transtornos de quem tinha de andar mais-desvios- para realizar a rotina diária. O local é de grande fluxo, inclusive, de veículos pesados como ônibus e caminhões. O serviço que ainda resta em nada prejudica o tráfego e será finalizado nos próximos dias”.

A prefeita Lucimar Campos lembrou que, “para a nova ponte estar pronta em um prazo tão curto, como esse, contamos com a dedicação dos nossos servidores de forma quase que integral para agilizar os processos burocráticos, realizar tomadas de preços, tudo sem influenciar na qualidade do material que precisávamos”.   

O secretário Luiz Celso explica que tão logo se verificou o dano, a prefeitura se mobilizou para restabelecer a ligação do bairro com o resto da cidade. “Em menos de 30 dias, após a destruição da ponte, estamos restabelecendo a via com uma unidade metálica e que suporta até cem toneladas”. Ainda como reforça o secretário, a opção por uma estrutura metálica visou não apenas a segurança de pedestres e motoristas, como dar agilidade ao restabelecimento da mobilidade urbana no local. “Como serviços adicionais, estamos preparando a instalação de passarelas nas laterais e ainda, avaliando como a ponte será de fato construída, de forma perene e duradoura, para atender à população em sua totalidade”.

Ao todo, a prefeitura está investindo R$ 600 mil em recursos próprios para a solução emergencial e pontual daquela comunidade.

“O Novo Mato Grosso, antes chamado de 13 de Setembro, é um bairro antigo, populoso e extremamente importante para a economia da cidade, pois dá acesso ao Distrito Industrial e por isso, bastante trafegado. Infelizmente, a população esteve prejudicada, mas a ponte que cedeu refletiu os mais de 80 mm de chuva em um período de cinco horas registrado no início de abril”, completou o secretário.

No início desse mês, as fortes chuvas que caíram sobre a Baixada Cuiabana – cerca de 185 milímetros (mm) – aumentaram a vazão do córrego Formigueiro sob a ponte, acarretando na destruição da passagem.

Durante a visita técnica realizada nessa manhã, o morador do Novo Mato Grosso, Antônio Costa Almeida, disse que a estrutura metálica, mesmo sendo um equipamento emergencial, é de grande importância. “A prefeitura tomou a decisão correta em viabilizar a mobilidade do local. Eu mesmo sou caminhoneiro e o veículo segue comigo para casa todo dia. Nesses momentos de acesso interrompido eu tinha de deixar ele do outro lado córrego e seguir a pé, ou pegar uma carona. Além dos riscos de deixar o caminhão num lugar ermo, havia um transtorno para se chegar em casa, ou ainda, a opção dispendiosa de dar uma volta para se chegar em casa. E isso era para todo mundo e não apenas para mim”.

Por: Marianna Peres - Secom/VG