Parceria permitirá capacitação em saúde mental para o profissional de Educação

Debate e Prevenção
Parceria permitirá capacitação em saúde mental para o profissional de Educação

O projeto de capacitação prevê nesta primeira etapa capacitar 200 profissionais de 30 escolas


24/05/2019    430

Mais do que garantir o ensino/aprendizagem das disciplinas obrigatórias contidas na grade escolar estabelecida pela legislação federal, a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer quer levar o debate e a prevenção aos alunos da rede pública municipal de Várzea Grande, sobre temas relevantes e que preocupam toda a sociedade contemporânea.

Com essa preocupação, a Secretaria de Educação em parceria com as secretarias municipais de Saúde e Assistência Social está promovendo o Projeto Promoção da Saúde Mental no ambiente escolar: Prevenção ao uso e abuso de drogas, automutilação e suicídio na adolescência. O lançamento oficial do projeto ocorrerá no dia 28 de maio, terça-feira, às 19h no auditório da Secretaria de Assistência Social, com a presença dos titulares das pastas, autoridades municipais e comunidade escolar.

O projeto vai oportunizar uma formação intersetorial para 200 profissionais de 30 escolas municipais com carga horária de 30 horas, sendo 12 horas presencial e 6 horas semipresencial. Semestralmente serão contempladas 15 escolas, sendo 30 vagas para professores e 20 vagas distribuídas entre os profissionais da Saúde e da Assistência Social por semestre, nos períodos matutino e vespertino, totalizando 100 servidores.

O curso ocorrerá no auditório do Anexo da Educação, nos períodos matutino e vespertino, uma vez por mês com carga horária de 4 horas, o que possibilitará a presença dos professores dos dois períodos. Em cada data presencial, os participantes terão atividades extraclasse com carga horária de 4 horas. Serão três encontros presenciais, sendo que o 1º módulo abordará a questão das drogas; 2º módulo sobre a automutilação e 3º módulo sobre o suicídio tendo como foco a adolescência.

As atividades presenciais serão desenvolvidas através de metodologia ativa e estudo de caso, roda de conversa, seminários, exibição e análise de vídeos. As atividades semipresenciais ocorrerão por meio de síntese de artigos, estudos de casos e análises de vídeo.

De acordo com o secretário Silvio Fidelis, o projeto tem o objetivo de capacitar os profissionais para atuarem como agentes na promoção da saúde e prevenção da automutilação, suicídio, do uso e abuso de drogas no território escolar. Segundo Fidelis, a capacitação ainda vai permitir a ampliação das competências e habilidades dos professores sobre a automutilação, o suicídio e atuar preventivamente em relação ao uso de drogas, além da possibilidade de criar plano de intervenção a ser desenvolvido no ambiente escolar com ações intersetoriais e participação da família dos alunos.

“A escola tem papel fundamental na promoção da saúde. Trabalhar com temas que estão presentes no dia a dia dos alunos e orientar sobre seus perigos e desafios é de extrema importância para que nossos jovens tenham uma posição reflexiva e crítica dentro e fora do ambiente escolar para a desconstrução do mito da droga, valorizando a vida, quando nos referimos a questão do suicídio e os modismos de comportamento que põem a saúde em risco, no caso da automutilação” afirmou.

As escolas que participarão do projeto são as EMEBs: Lúcia Leite Rodrigues, Paulo Freire, Tenente Abílio da Silva Moraes, Lenine de Campos Póvoas, Júlio Corrêa, Bianka Lorena da Rocha Capilé, Faustino Antônio da Silva, Líbia da Costa Rondon, Abdala José de Almeida, Benedita Bernardina Curvo, Senhora Dirce Leite de Campos, Maria Barbosa Martins, Antônio Gomes da Cruz, Júlio Domingos de Campos, Ana Francisca de Barros, José Estejo de Campos, Euraide de Paula, Air Addor, Benedito Abrão Nassarden, Gabriel Muller, Maria de Lourdes Toledo Areias, Salvelina Ferreira da Silva, Antônio Felipa, Vereador Zeno de Oliveira, Vereador Estevão Ferreira, Irenice Godoy de Campos, Juvenília Monteiro de Oliveira, Jaime Veríssimo de Campos e Joaquim da Cruz Coelho.

 

 

Por: Fred Nogueira - Secom/VG