Pronto Socorro capacita servidores para acolhimento de vítimas de violência sexual

Capacitação
Pronto Socorro capacita servidores para acolhimento de vítimas de violência sexual

O curso é uma realização do Serviço de Atendimento Especializado e Centro de Testagem e Aconselhamento de Várzea Grande (SAE/CTA)


13/06/2019    237

Funcionários do Hospital e Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande (HPSM-VG) participaram na última terça-feira, 11, de um curso que está capacitando os servidores do Sistema Único de Saúde (SUS) para a implantação das políticas públicas contidas no Protocolo de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual, proposto pelo Ministério Público e executado por uma rede de apoio intersetorial.

O curso de treinamento está sendo realizado pelo Serviço de Atendimento Especializado e Centro de Testagem e Aconselhamento de Várzea Grande (SAE/CTA) em parceria com a equipe da Educação Permanente Implantada dentro do Pronto Socorro.

Cerca de 30 funcionários participaram da capacitação entre gerentes, técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos, assistentes sociais e recepcionistas, entre representantes de outros setores do hospital. O treinamento apresentou aos servidores propostas elaboradas pelo Ministério da Saúde que estão sendo executadas no município pelo Núcleo de Atendimento à Vítimas de Violência Sexual (N.A.V.V.S). Orientações de como proceder, receber e acolher esses usuários foram repassadas com os servidores.

Além do atendimento médico e ambulatorial, o protocolo oferece também suporte psicológico e social à vítima. O pronto Socorro é a unidade referência para o atendimento das vítimas acolhidas pelo NAVVS. Onde a pessoa será acolhida e atendida por equipe multiprofissional, seguindo fluxograma ágil e resoluto. Após avaliação médica com especialistas de acordo com a necessidade, serão realizados exames laboratoriais e oferecido profilaxias para DST/ HIV, hepatite B e anticoncepção emergencial. O seguimento é realizado no ambulatório, também com equipe multiprofissional (infectologista, ginecologista, proctologista, enfermeira, assistente social e psicóloga) e tem duração de no mínimo seis meses.

João Paulo Alcântara Ortega que está a frente do N.A.V.V.S. explica que, segundo o protocolo é recomendado que a vítima seja acompanhada pela equipe multidisciplinar por um período de 6 meses até o fim da investigação sorológica. “Nosso objetivo hoje é treinar os servidores quanto a receber esses pacientes, como proceder, quais medidas cabíveis devem ser tomadas. Quais são os órgãos que devem ser acionados após o primeiro atendimento da vitima, e como fazê-lo, sem que haja constrangimento. E principalmente, orientação de como acolher esse paciente em um momento tão difícil. Porque geralmente o paciente chega muito abalado e cheio de receios", explica. 

A enfermeira administrativa da unidade, Gisele Cristiane Ferreira Lima, avaliou a capacitação de extrema importância para todos os funcionários. "Ações como essa é de grande valia para todos nós, assim ficamos aptos para atender essas vítimas, sabendo receber, acolher e orientá-las melhor. Aprendi coisas que realmente não sabia, já me sinto pronta para receber esses usuários e atendê-los da forma mais digna e humanizada possível", diz a enfermeira.   

Por: Letícia Kathucia - Secom/VG