Bairro Eliane Gomes ganha ação educativa contra a dengue

Saúde e Prevenção
Bairro Eliane Gomes ganha ação educativa contra a dengue

A ação é uma parceria da Saúde, Educação e comunidades


19/06/2019    183

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer e o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), estão desenvolvendo ações de combate e conscientização contra o mosquito Aedes aegypti nas escolas municipais de Várzea Grande. O objetivo é unir a comunidade escolar e levar informação para as famílias e formar multiplicadores no combate ao mosquito transmissor das doenças dengue, zika vírus  e chikungunya.

Segundo o Sistema de Informações de Notificações e Agravos (Sinan), de 01 de janeiro à 19 de junho de 2019, foram registrados 219 casos notificados de dengue, 05 casos de zika vírus e 203 notificações de chikungunya. 

Na manhã desta quarta-feira, 19, os alunos da Escola Municipal Lenine Campos Póvoas, do bairro Eliane Gomes, acompanharam os agentes de endemias durante as fiscalizações à domicilio. Com cartazes e panfletos os estudantes fizeram parte do mutirão, que é realizado a cada 15 dias pelo Centro nas regiões que apresentam maiores índices de infestação do mosquito. A região escolhida para a ação é uma das que apresentam grande número de notificações das doenças.

A mobilização contou ainda com a participação dos moradores e pais de alunos que estiveram presentes no mutirão. Os alunos também se divertiram e aprenderam muito com uma exposição montada no pátio da escola com animais peçonhentos e sinantrópicos. Dona Maria Aparecida de Alves, que é mãe de Davi, que estuda na unidade fala da preocupação em relação ao alto número de pessoas que se queixaram de dengue, zika virus ou chikungunya nos últimos meses na região.

“Lá em casa ninguém pegou nenhuma dessas doenças, graças a Deus, mas a região aqui é muito precária, muito mato, muito lixo e mesmo que a gente cuide do nosso quintal, existem muitos terrenos baldios aqui pelo bairro, o que preocupa muitas pessoas acumulam lixo em seus quintais daí o aumento do mosquito”, disse dona Maria que garante fazer a tarefa de casa como foi explicado pelos agentes de endemias.

O gerente do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Isac Abrão Nassarden, explica que essas ações são realizadas periodicamente e em região que apresentam maior número de notificações do mosquito. “Nessa região os índices de infestação estão muito altos. Além das ações de rotinas estamos intensificando ações como essas a fim de chamar a atenção dos moradores. Dos exames laboratoriais feito com as amostras coletadas nas residências, de cada 3, uma apresentou resultado positivo para a larva do mosquito aqui nessa região. A maior dificuldade dos agentes é quanto aos terrenos baldios, que são muitos e sempre cheios de lixo e entulhos, que acaba servindo de criadouro para o mosquito da dengue”, frisa o gerente. 

Os agentes de endemias falaram também aos alunos sobre a importância de a sociedade abrir as casas e receber orientação para prevenir a reprodução do mosquito. Os estudantes puderam visualizar mosquitos, ovos e larvas e fizeram atividades com caça-palavras e jogo dos sete erros. Os profissionais exemplificaram os principais criadouros para orientar na conscientização e colaboração nas ações de limpeza na comunidade, lembrando que se cada um mantiver sua casa limpa e sem criadouros ninguém da família adoecerá.

Por: Letícia Kathucia - Secom/VG