Projeto “Laços Maternos” proporciona cuidado integral à mãe e o bebê

Estimular Vínculos
Projeto “Laços Maternos” proporciona cuidado integral à mãe e o bebê

O projeto atende mães de comunidades em vulnerabilidade social e oferece conhecimento profissional, por meio de cursos e oficinas


26/06/2019    615

A gestação é um processo que gera dúvidas e envolve transformações físicas, emocionais e familiares por isso, desde setembro de 2015, a Secretaria de Assistência Social realiza o projeto social “Laços Maternos”, acompanhamento, atenção e carinho se tornaram primordiais e referenciais nas políticas públicas voltadas ao segmento do município. Nesta terça-feira (25), centenas de mulheres juntamente com a prefeita de Várzea Grande Lucimar Sacre de Campos e a secretária municipal de Assistência Social, Flávia Omar participaram da solenidade de apresentação das atividades do semestre do projeto de cobertura socioassistencial que garante o acesso à saúde, assistencialismo, qualificação profissional e oficinas que contribuem com desenvolvimento social de maneira integrada com as famílias. O evento foi realizado no auditório da Fábrica de Refrigerantes Marajá.

O projeto visa proporcionar qualidade de vida às futuras mães de Várzea Grande e seus respectivos bebês. “Laços Maternos” atende mães de comunidades em vulnerabilidade social e oferece conhecimento profissional, por meio de cursos e oficinas, além de acompanhamento gestacional. Neste semestre 300 grávidas foram acompanhadas pelo projeto. Neste ciclo atual, 10 regiões estão sendo beneficiadas. No projeto são ofertados serviços de saúde, a exemplo realização de ultrassom e exames clínicos, além de acompanhamento gestacional por profissionais especialistas da saúde.

Conforme a prefeita “Laços Maternos” é uma política pública integral para atender gestantes e bebês e sua primeira infância. “O projeto visa internalizar e aplicar recursos no serviço público de proteção integral da mãe e do bebê para o desenvolvimento infantil. Para nós é um grande desafio, porém estamos colhendo resultados gratificantes. Esses saberes aplicados no dia a dia dos serviços de atendimento às gestantes, crianças e suas famílias, exige muito trabalho e, principalmente sensibilidade dos profissionais da rede de atendimento, incluindo assistentes sociais, enfermeiros, médicos agentes de saúde”, frisa.

A prefeita destaca ainda que a proposta do projeto é acolher as gestantes e atendê-las em suas demandas psicossociais através de um espaço de escuta e convivência social, onde possam partilhar suas experiências e sentimentos em relação à gestação. “O principal objetivo é minimizar possíveis situações de vulnerabilidades e riscos sociais; e estimular o vínculo entre mães e bebês, o que contribui na redução da mortalidade materna e infantil”.

Além dos cuidados profissionais, orientações e serviços são oferecidos as gestantes, recebem também enxoval confeccionado por elas nas oficinas profissionalizantes. As oficinas possibilitam o aprendizado na confecção do próprio enxoval do bebê.

De acordo a secretária de Assistência Social, Flávia Omar, as intervenções feitas na fase gestacional e nos primeiros anos da infância garantem o desenvolvimento adequado das crianças no futuro. “É o momento que mais se obtém retorno em termos de desenvolvimento social, pois é nesse período que a criança desenvolve os primeiros sentidos para uma infância plena. O projeto é uma política pública integrada no acolhimento da família nos moldes da Proteção Básica da Rede Socioassitencial”, sublinha.

Flávia enfatiza que a vontade política e determinação da prefeita Lucimar Sacre de Campos em proporcionar condições ao período gestacional e desenvolvimento infantil tem intuito de tornar uma sociedade comprometida com uma geração mais saudável. O projeto é uma referência estadual e nacional.

A mãe Elaine de Arruda, 37 anos, do lar, moradora do Jardim Paula II, disse que o projeto é muito importante e acolhedor, pois nesta fase gestacional a equipe multidisciplinar organizou seu pré-natal com acompanhamento criterioso de proteção integral a gestação até o nascimento do bebê.

“Comecei a participar do projeto assim que descobri a gravidez, a equipe providenciou meus exames com muita eficiência e fiz todos os exames necessários. Na capacitação aprendi a confeccionar o enxoval do bebê, fiz tudo personalizado com pet aplique, também criei as lembrancinhas, além de decorações com artesanato em MDF. Estou feliz em fazer tudo com capricho e com custo bem acessível. O projeto está me proporcionando uma gestação com qualidade, capacitação e vínculos de amizade, e o mais importante soube antecipadamente em qual hospital o bebê nascerá, o que me tranquilizou”, frisa.

A mãe Denya Romiria Moraes, 31 anos, do bairro Costa Verde, parabenizou a iniciativa da prefeitura em executar projeto desta envergadura em comunidades carentes da cidade. “Minha realidade foi mudada, por meio do projeto que me atendeu muito bem no decorrer da gestação com cuidados médicos e contribuiu para despertar e aprimorar conhecimentos em artesanatos. Meu bebê já tem algumas peças que produzi do enxoval, está tudo lindo para chegada da minha filha. Pretendo ampliar meus conhecimentos e produzir encomendas para incrementar a renda familiar”, disse ela.

Durante a etapa do projeto “Laços Maternos” as gestantes participam de palestras sobre saúde mental na gestação, amamentação e desenvolvimento do bebê, direitos da mãe trabalhadora, nutrição na gestação, cuidados com o recém-nascido, entre outros. O intuito é repassar informações para que todas preparem para a chegada do bebê e os cuidados necessários durante os primeiros meses e anos de vida da criança.

Por: Cláudia Joséh - Secom/VG