Projeto Social 'Caderno II' utiliza arte para promover a inclusão social e formar cidadãos

Arte e Educação
Projeto Social 'Caderno II' utiliza arte para promover a inclusão social e formar cidadãos

Ao todo, 150 adolescentes de 76 bairros de Várzea Grande já participam do projeto


28/06/2019    735

As Políticas Públicas de inclusão social já se utilizam da arte como ferramenta para mudanças na sociedade, em Várzea Grande. A prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, implantou há dez meses o projeto social “Caderno II” que utiliza a arte para combater as desigualdades na sociedade, formar cidadãos e realizar sonhos. Ao todo, 150 adolescentes de 76 bairros de Várzea Grande já participam do projeto que oportuniza aos adolescentes de 13 a 17 anos em situações de vulnerabilidade social, a ter a arte como alternativa de aprendizado e que por meio de oficinas de música, dança, teatro, moda e customização, acompanhamento escolar, informática, arte e comunicação, esportes, e agricultura sustentável, alavancam o conhecimento .

Na noite de quinta-feira, 27 de junho, os jovens talentos puderam se apresentar à sociedade várzea-grandense e mostrar no palco montado na quadra poliesportiva do Centro de Convivência Caderno II, que nos dez meses de aprendizado, trabalho e ensaios já foram suficientes para despertar em cada um o gosto pelas artes. “São resultados muito expressivos, pois, apesar de muitos terem iniciado as aulas há apenas meses, já estão dançando como bailarinos, interpretando, cantando, tocando instrumentos musicais. O resultado só comprova que Várzea Grande com o projeto social ‘Caderno II’ está no rumo certo revelando talentos, promovendo a inclusão social, tirando jovens da rua no contra turno escolar. Muitas vezes realizando um sonho ao ofertar uma oficia de artes que seria inviável sem o projeto e deixando os pais orgulhosos com essas apresentações maravilhosas”, declarou a prefeita Lucimar Sacre de Campos, durante a abertura do evento. 

A mãe do aluno Aron Gabriel, concorda com a gestora municipal e afirma que o projeto 'Caderno II' mantém os jovens longe dos perigos das ruas e forma cidadãos. “Além de ele estar longe das ruas, percebo que meu filho deixou de ser um menino tímido para se tornar um garoto participativo que se expressa bem. As oficinas de arte e música são suas preferidas. Aconselho outros pais a inscreverem seus filhos no projeto, vale a pena”, declarou Maristela Silva Correia.

A secretária municipal de Assistência Social, Flávia Omar declarou durante a abertura do evento que está muito satisfeita com os resultados, “principalmente porque estas apresentações são muito importantes para o ciclo de formação e aprendizagem dos jovens e podemos ver neles um futuro promissor. Vale destacar que este projeto nasceu de uma mulher idealista e realizadora que é a prefeita Lucimar Sacre de Campos. Ela entende que as políticas públicas precisam ser voltadas a quem precisa, pois é assim que se combate a pobreza, a desigualdade social e se forma cidadãos”.

Segundo a coordenadora do projeto, Cláudia Barros, o objetivo é que “os adolescentes, que eles possam sair daqui com habilidades para entrar no mercado de trabalho, além de fortalecer o processo de aprendizagem de cada um. Para conquistar esses objetivos, oferecemos oficinas de informática, artes, teatro, artesanato (desenho e customização de roupas), dança, música, balé, atividades esportivas, agricultura de subsistência, além do reforço escolar. O objetivo principal também é fortalecer o aluno dentro da sala de aula, e evitar a evasão escolar, dentro do entendimento do projeto, sobre a importância de seguir com os estudos até ter um diploma de nível superior”. 

Entre as atividades oferecidas, a coordenadora destaca que a música chama mais a atenção dos jovens. "Muitos compõem letras e estão ensaiando com os professores, visando as apresentações públicas", conta. 

Exemplos foram as apresentações que arrancaram aplausos da plateia na noite de quinta-feira (27). Acompanhados por onze alunos violinistas, um guitarrista, um baterista, duas duplas, e um trio, cantaram músicas populares brasileiras. Grupos de dança, balé, teatro e a revelação de uma jovem apresentadora encantaram os presentes. 

“Gosto das oficinas de dança e teatro, pois além da professora ser muito legal ela ensina vários ritmos diferentes. Muitos não sabiam dançar nada e hoje dançam muito bem graças ao projeto. Quero fazer desse aprendizado uma profissão. Passei num projeto recentemente onde terei a oportunidade de atuar em Brasília”, declarou Larissa Campos, que com apenas 13 anos fez sua primeira estreia como apresentadora.

“Faço várias oficinas, mas como gosto de balé e de cantar por isso faço música e violão. Também ajuda no meu desenvolvimento como ser humano”, declarou Manuela Meira de 16 anos.

Em sala de aula Calan Soares Souza, de 14 anos é craque em geografia e adora futebol, porém no projeto “Caderno II”, preferiu um desafio e estuda música e teatro. “A música eu vou levar para a vida não é uma diversão é aprendizado e o teatro me ajudou com a timidez”, declarou.

“Sempre tive interesse na área artística. Eu tenho dom para cantar e queria aperfeiçoar isso e o projeto me proporcionou essa oportunidade. Tenho o sonho de ser cantor e talvez ator e quando uma pessoa tem um sonho ela corre atrás para realiza-lo”, confessou o jovem artista Alan Cristian, de 15 anos.

Também prestigiaram as apresentações das atividades do projeto social “Caderno II”, a esposa do vice-prefeito Carol Hazama, a secretária municipal de Assuntos Estratégicos, Adriana Corrêa da Costa e os vereadores Rodrigo Coelho, Nilo Campos e Chico Curvo.

Por: Rafaela Maximiano - Secom/VG