'Pão e Leite' reforçam alimentação matinal de famílias de Várzea Grande

Corrente do Bem
'Pão e Leite' reforçam alimentação matinal de famílias de Várzea Grande

 Mensalmente são entregues 30 mil pães e dois mil litros de leite para os beneficiários do programa


24/07/2019    309

Se para muitas famílias o pão e o leite são alimentos nutritivos essenciais nas primeiras horas do dia, para muitas outras é considerado um alimento caro e que não faz parte da alimentação matinal. Essa é uma realidade sentida por centenas de famílias que moram em localidades carentes e que se privam desse alimento diário, investindo os recursos que tem em outros gêneros alimentícios.

“O nosso papel enquanto gestora pública é ter mecanismos que melhorem a qualidade de vida das pessoas gerando oportunidades e principalmente uma alimentação mais sadia, pois quem tem uma alimentação melhor, trabalha com mais disposição, aprende com mais eficiência e tem suas expectativas reforçadas”, disse a prefeita Lucimar Sacre de Campos.

Sabendo dessa necessidade, a Secretaria de Assistência Social de Várzea Grande resolveu criar o Projeto 'Pão e Leite', e fazer a distribuição desse alimento as famílias de baixa renda, e que mantém em casa crianças, idosos e pessoas com deficiências.

A ideia do projeto 'Pão e Leite' foi proposta em função da implantação de oficina de panificação, realizado na sede da Administração Regional do Cristo Rei, e que a princípio era para ser mais uma opção de cursos oferecidos pela Rede Pública Municipal. Como o mesmo é focado nas aulas práticas, os alunos aprendem a colocar a mão na massa de forma imediata, na produção de diversos tipos de pães.

Como explica a gerente do projeto ‘Pão e Leite’, Valdete Flores, a oficina de panificação começou a operar em 2017 atendendo 226 famílias. Neste ano foram realizadas a entrega de 30 mil pães e 2 mil litros de leite. “Reconhecendo a necessidade do projeto resolvemos ampliar a distribuição do alimento para as famílias necessitadas. Ampliamos a nossa capacidade de produção dos pães e fizemos uma triagem dos beneficiários e hoje estamos atendendo 294 famílias”, comentou.

Valdete Flores explica ainda que: “Os beneficiários são referenciados através do Número de Inscrição Social – NIS, que permite atender aos necessitados de uma mesma família, com 3 pães por pessoa e um litro de leite para duas pessoas entre crianças, idosos e pessoas com deficiências”, explicou.

A secretária de Assistência Social, Flávia Omar, lembra que o projeto ‘Pão e Leite’, ainda que mantenha o caráter social não é considerado um projeto assistencialista, uma vez que nasceu da necessidade de resolver duas questões eminentes, não haver desperdício da matéria prima, da capacitação em panificação, e de fato, beneficiar quem necessita desse produto.

A secretária explica que as famílias cadastradas passam inicialmente por uma avaliação e que só depois que é detectada a real necessidade é que a inscrição é feita para que esta possa receber duas vezes por semana esse mantimento.

Para a instrutora da oficina de panificação, Gisele Moraes Silva, capacitar famílias para o mercado de trabalho é essencial, porém, dar condições para que outras famílias, em especial as mais carentes, se beneficiem de um produto alimentício traz acima de tudo o conforto para a alma. “Todas as pessoas que recebem esses alimentos com certeza necessitam desse reforço alimentar. É gratificante fazer parte dessa administração e de poder mudar a história de centenas de famílias, que por um motivo ou outro estão em condições menos favoráveis. O 'Pão e Leite', vai além de um projeto social e ou empreendedor, vemos como uma corrente do bem, pois conseguimos atender uma necessidade e capacitamos indivíduos para o mercado de trabalho”.

Amanda Souza de Paula, moradora do bairro Jardim das Oliveiras, é uma das beneficiadas do projeto 'Pão e Leite'. Para ela é importante participar desse programa porque tem um filho pequeno e que os gêneros alimentícios distribuídos reforçam a nutrição, sendo também uma oportunidade de investir o dinheiro que seria revertido na compra desses produtos, para a compra de outros alimentos necessários ao desenvolvimento da criança.

A dona de casa, Crislaine Regina de Souza, mãe de dois filhos, também compartilha da mesma opinião, informando ainda que para muitas famílias que são beneficiárias, o pão e o leite são considerados alimentos caros e que não fazem parte da alimentação matinal, por isso da importância do programa.

“O ‘Pão e Leite’ tem essa finalidade, dar a essas pessoas a condição de ter um alimento nutritivo nas primeiras horas da manhã, ou um reforço alimentar para qualquer hora do dia. O mais importante é a função social do Projeto, capacitar e favorecer”, destacou a prefeita Lucimar Sacre de Campos.

Por: Kátia Passos - Secom/VG