Saúde capacita técnicos para detecção da tuberculose e credencia novas unidades

Saúde e Prevenção
Saúde capacita técnicos para detecção da tuberculose e credencia novas unidades

A nova capacitação é para qualificar servidores para o exame de triagem padrão que ajuda a diagnosticar a tuberculose - PPD


21/08/2019    200

A secretaria municipal de Saúde de Várzea Grande (SMS-VG), realiza mais um curso de qualificação para servidores da Rede SUS. A nova capacitação é para qualificar servidores para o exame de triagem padrão que ajuda a diagnosticar a tuberculose - PPD - em unidades que passarão a ser referência para a realização do procedimento. Esse teste pode indicar a necessidade de tratamento preventivo, evitando que o paciente desenvolva a Tuberculose.

O curso teórico foi realizado nos dias 12 e 13 de agosto. A capacitação prática está sendo realizada nas unidades de saúde do município Upa do Cristo Rei, Upa Ipase e no Hospital e Pronto Socorro de Várzea Grande. Após a conclusão do curso, que deve acabar ainda esse mês, os exames já estarão disponíveis aos pacientes prescritos por meio de pedido médico.

O Centro de Especialidades Médicas (CEM-Postão), Serviço de Assistência Especializada e Centro de Testagem e Aconselhamento (SAE-CTA), Policlínicas do Jardim Glória e Cristo Rei e a Unidade Básica de Saúde (UBS) do Residencial Aurília Salles Curvo, são as unidades de saúde que realizarão os exames – PPD -. 

Normalmente esse exame é feito em pessoas que estiveram em contato direto com pacientes infectados pela bactéria, mesmo que não apresentem sintomas da doença, devido à suspeita de uma infecção latente pela tuberculose, quando a bactéria está instalada, mas ainda, não provocou a doença. “Além de qualificar mais enfermeiros para realizar o procedimento, também certificamos outras unidades de saúde para atender os pacientes que necessitam do exame”, explicou a coordenadora do Programa Municipal de Prevenção e Tratamento à Tuberculose, Neide Silva. 

A superintendente da Atenção Básica, Celina Thereza Bernardes, ressalta que a gestão vem promovendo a capacitação dos servidores, a prova tuberculínica que é o exame PPD é uma delas. O intuito principal é de ampliar a quantidade de enfermeiros habilitados para a técnica, descentralizando o serviço para outros locais de atenção básica. “Visto que a prova tuberculínica desempenha um importante papel no programa de controle a tuberculose e da co-infecção HIV/TB, tanto na avaliação do risco de infecção, como também na localização de casos de infecção recente/ latente. Este aumento de profissionais e locais que realizarão este exame terá impacto de médio e longo prazo para o município, pois poderá ser diagnosticado e tratado em tempo hábil a população infectada com tuberculose, diminuindo assim, o número de pessoas com a doença no município e, por consequência, o município conseguirá alcançar a meta pactuada na PAS (Programação Anual de Saúde) e no PDI (Plano de Desenvolvimento Institucional) que é manter em 85% a proporção de cura dos casos novos de tuberculose”, frisa a superintendente.  

O exame PPD é feito em laboratório de análises clínicas através da injeção de um derivado proteico purificado (PPD), ou seja, de proteínas purificadas que estão presentes na superfície da bactéria da tuberculose. As proteínas são purificadas para que não haja desenvolvimento da doença em pessoas que não possuem a bactéria.

A substância é aplicada no antebraço esquerdo e o resultado deve ser interpretado 72 horas após a aplicação, que é o tempo que normalmente a reação leva para acontecer. Assim, 3 dias após a aplicação da proteína da tuberculose, é indicado voltar ao médico para que se saiba o resultado do exame, que também deve levar em consideração os sintomas apresentados pela pessoa. Para fazer o exame PPD não é necessário ficar de jejum ou ter outro cuidado especial, sendo apenas recomendado informar o médico caso esteja usando algum tipo de medicação. Esse exame pode ser realizado em crianças, grávidas ou pessoas com sistema imune comprometido, no entanto, não deve ser feito em pessoas que apresentam possibilidade de reações alérgicas severas, como necrose, ulceração ou choque anafilático severo.   

Tuberculose - Dados: Várzea Grande possui atualmente 99 pessoas em tratamento com a doença. Nenhum óbito pela doença foi registrado nos últimos anos. Também 24 pessoas tratando de ILTB (Infecção Latente de Tuberculose), tratamento que previne a doença. 

Por: Letícia Kathucia - Secom/VG