Projeto de capacitação reforça a importância da prevenção do suicídio nas escolas

Saúde e Prevenção
Projeto de capacitação reforça a importância da prevenção do suicídio nas escolas

Serão contempladas 30 escolas, com carga horária de 30 horas


24/09/2019    185

Professores, Coordenadores das Escolas Municipais de Educação Básica de Várzea Grande, se reuniram no Anexo I da secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer – L, localizado no bairro Aeroporto para discutir e tratar sobre a promoção na saúde mental no ambiente escolar e a prevenção às drogas, automutilação e o suicídio na adolescência.

Considerado a segunda causa de internações e em número de tentativas, entre jovens de 10 a 19 anos de idade, predominantemente o sexo feminino, o suicídio vem sendo discutidos dentro do ambiente escolar, com o intuito de prevenir o número de casos. Conforme dados apresentados os principais sintomas a serem verificados nas crianças e adolescentes são a tristeza, briga com pais, isolamento, solidão, briga com amigos e  ou namorados dentre outros são considerados fatores de risco, ainda segundo a pesquisa foi identificado a necessidade de criar espaços adequados para debater o assunto, além de implantar programas de proteção à saúde e a vida voltados a esta população.

O projeto promoção na saúde mental no ambiente escolar e a prevenção às drogas, automutilação e o suicídio na adolescência, visa oportunizar a formação intersetorial para os profissionais das escolas  municipais de Várzea Grande. Serão contempladas 30 escolas, com carga horaria de 30 horas, dessas 12 horas serão presenciais e 6 horas semipresenciais.

De acordo com o Secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Silvio Aparecido Fidelis, o projeto tem o objetivo de capacitar os profissionais para atuarem como agentes na promoção da saúde e prevenção.

Ainda conforme Fidelis, a capacitação ainda vai permitir a ampliação das competências e habilidades dos professores sobre a automutilação, o suicídio e atuar preventivamente em relação ao uso de drogas, além da possibilidade de criar um plano de intervenção a ser desenvolvido no ambiente escolar com ações intersetoriais e participação da família da família dos alunos.

As escolas que participam do projeto são as EMEBs: Lúcia Leite Rodrigues, Paulo Freire, Tenente Abílio da Silva Moraes, Lenine de Campos Póvoas, Júlio Corrêa, Bianka Lorena da Rocha Capilé, Faustino Antônio da Silva, Líbia da Costa Rondon, Abdala José de Almeida, Benedita Bernardina Curvo, Senhora Dirce Leite de Campos, Maria Barbosa Martins, Antônio Gomes da Cruz, Júlio Domingos de Campos, Ana Francisca de Barros, José Estejo de Campos, Euraide de Paula, Air Addor, Benedito Abrão Nassarden, Gabriel Muller, Maria de Lourdes Toledo Areias, Salvelina Ferreira da Silva, Antônio Felipa, Vereador Zeno de Oliveira, Vereador Estevão Ferreira, Irenice Godoy de Campos, Juvenília Monteiro de Oliveira, Jaime Veríssimo de Campos e Joaquim da Cruz Coelho.

Por: Luana Silveira - Secom/VG