Caderno II se consolida na formação sociocultural do adolescente várzea-grandense

Projeto Social
Caderno II se consolida na formação sociocultural do adolescente várzea-grandense

O Projeto Caderno II tem como missão promover a inclusão social de adolescentes


26/11/2019    501

Números de música, dança, teatro, balé e exposição encerraram o segundo semestre de atividades do projeto social ‘Centro de Convivência – Caderno II’, na noite do dia  25 de novembro. Uma oportunidade para os 150 alunos com idade entre 13 e 17 anos mostrarem o talento adquirido e lapidado nas oficinas de contraturno escolar.

Caderno II é a descoberta do saber e impulsiona a criatividade

Inaugurado pela prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, em agosto de 2018, o projeto integra as ações da Secretaria Municipal de Assistência Social e é voltado especificamente para adolescentes em situação de vulnerabilidade social. “Desde que foi criado em 2018 já ampliamos em um terço as vagas e queremos abrir mais 50 para o ano que vem, indo de 150 para 200 alunos. Esses jovens tem oportunidades que aprenderem mais, no contraturno escolar, e ocuparem seu tempo com a aprendizagem e desenvolver talentos quer seja em uma aula de dança, violão entre tantas outras oficinas que despertam também para uma profissão. É a descoberta do saber”, anunciou a prefeita durante a abertura dos trabalhos.

O Projeto Caderno II tem como missão promover a inclusão sociocultural de adolescentes, como explica a secretária municipal de Assistência Social, Flávia Luiza Coelho de Lannes Omar. “Com essa proximidade com a arte de uma maneira geral o projeto faz com que os adolescentes se afastem cada vez mais das ruas e do ócio durante a parte do dia, impedindo que fiquem disponíveis para a prática da criminalidade. Aprender a tocar um instrumento, aprender a interpretar, a dançar, entre outras atividades, estimula a superação de desafios para os participantes do projeto, a prática impulsiona pressões criativas que unem o corpo e a mente, promovendo o relacionamento social, por meio de atividades em grupo, na comunidade e na sua família”, destaca.

Presente na vida de jovens de 76 bairros várzea-grandenses, o projeto social ‘Centro de Convivência – Caderno II’ oferece as oficinas de informática, acompanhamento escolar, dança, teatro, música, moda e customização, arte e comunicação, e, esportes. O estímulo à importância da participação cidadã, o incentivo na busca da autonomia da apropriação dos direitos, o reconhecimento de deveres e percepção de autoafirmação, enquanto sujeitos ativos e operantes na construção da própria cidadania também são estimulados durante as oficinas.

“É um projeto social que desde 2018 vem mudando a vida dos adolescentes matriculados. Instrumentos simples como violão ou um computador se tornam uma oportunidade nas mãos desses adolescentes”, declarou Damiana Maria Rodrigues, auxiliar administrativo da unidade.

Entre os exemplos dos resultados positivos do projeto, estão as amigas Cintia Ferreira de Souza, 14, e Kamila Souza, 15. Ambas chegaram até o projeto movidas pelo sonho de um dia trabalhar com moda. Já Kemylly Mônica, 16 e Maria Eduarda, 13, afirmam que amam dançar.

Para José Nelson, pai de José Nelson Junior, frequentar as atividades do projeto Caderno II é uma oportunidade ímpar para o filho. “Apesar de ser um bom menino, tranquilo, ele teria esse tempo ocioso. Suas notas melhoraram e está mais estudioso do que nunca. Depois que passou a frequentar essas aulas é como se ele recebesse um estímulo a mais, uma oportunidade ímpar. E eu estou muito satisfeito como pai”, declarou.

Cristiane Chagas, mãe de Rafaela Beatriz, de 14 anos, afirma que balé e música são as atividades que a filha mais gosta. “Ela adora. Não falta nenhum dia. Sem o projeto ‘Caderno II’ oferecido gratuitamente pela Prefeitura, não poderíamos pagar essas aulas para ela. Estou contente por ela”, disse.

A mãe do aluno de música Gabriel Augusto, 16, Andreia Campos, fez questão de subir no palco e dar seu depoimento. “É muito importante para ele se apresentar, mostrar o que aprendeu, e o que modificou na sua vida e relacionamento com os amigos e família. Foi uma transformação incrível paras o melhor. Hoje ele é uma pessoa mais alegre, mais interativa e mais feliz, e eu como mãe estou muito orgulhosa com esta transformação. A música o tocou e o despertou para a vida”, disse.

As amigas Gabi Baldini, Silvana Bocheneki Antunes e Perla Jeane foram prestigiar as atrações. “Pude perceber que o projeto Caderno II é cheio de acolhida e de sonhos. Vemos que os adolescentes gostam do que fazem e fiquei surpresa com os expositores. Eles explicaram detalhadamente como cada objeto foi feito, quais os materiais, dá para ver nos olhos deles que estão satisfeitos. Cada oficina teve sua demonstração na arte da criação. Gostamos de tudo, principalmente do palco, tão grande como nos teatros importantes. Hoje foi a vez deles brilharem”, declarou Gabi Baldini.

Por: Rafaela Maximiano - Secom/VG