Servidores da Saúde são capacitados para atuação preventiva a incêndios

Treinamento e Prevenção
Servidores da Saúde são capacitados para atuação preventiva a incêndios

Cerca de 40 servidores do Hospital e Pronto Socorro e Upas participam da ação


15/01/2020    675

Servidores da secretaria de Saúde de Várzea Grande estão participando nessa semana do ‘Curso Básico de Formação de Brigada Contra Incêndio’. A capacitação é fruto de uma parceria entre a prefeitura municipal e o Corpo de Bombeiros Militar, que nessa ação é representado pelo 2º Batalhão, localizado na cidade. A Brigada tem como objetivo  formar colaboradores aptos ao combate preventivo e a princípios de incêndio, atuando de maneira auxiliar junto ao Corpo de Bombeiros.

Como explica o 1º sargento do 2º Batalhão de Bombeiros Militar de Várzea Grande, Gilberto Luiz de Jesus, um dos instrutores do curso, A Brigada de incêndio trata-se de um grupo organizado de pessoas voluntárias treinadas e capacitadas para atuar na prevenção, abandono de área, combate a princípio de incêndio e primeiros socorros, dentro de uma área previamente estabelecida.

“Estabelecimentos com mais de 750 metros quadrados e ou com mais de 150 pessoas, devem ter um projeto de combate a incêndio e pânico, aprovado pelo Corpo de Bombeiros. Por meio desta parceria, estamos proporcionando essa formação, que ao fim de 25 horas de instrução, ofertará certificados a cada um, dos quase 40 participantes”.

O técnico de Segurança do Trabalho e servidor do Hospital e Pronto Socorro Municipal, Samuel Sanderson, explica que os certificados têm validade por dois anos e que após esse período, os servidores devem passar por constantes reciclagens. “Temos nesse curso básico de formação servidores do Pronto-Socorro, da sede da secretaria de Saúde e das UPAS do Cristo Rei e do Ipase”.

O soldado do Corpo de Bombeiros Militar, Itagene Pedroso de Barros Júnior, um dos instrutores da formação, destaca que o curso é muito importante, mesmo sendo ofertado à pessoas civis. “Se bem preparados, se tornam parceiros da corporação, ajudam a conter e até evitar situações de pânico. No desespero, as pessoas envolvidas costumam perder o raciocínio e com as estratégias e o conhecimento que estão adquirindo, será mais fácil lidar com uma situação extrema no local do trabalho”.

Em uma situação de emergência, por exemplo, cabem aos brigadistas os seguintes protocolos: Identificação da situação, alarme e abandono da área, corte de energia, acionamento do Corpo de Bombeiros e/ou ajuda externa, primeiros socorros, combate ao princípio de incêndio, recepção e orientação ao Corpo de Bombeiros, preenchimento de formulário do registro de trabalhos dos bombeiros e encaminhamento do formulário ao Corpo de Bombeiros para atualização de dados estatísticos.

Já a atuação preventiva prevê a avaliação dos riscos existentes, a inspeção geral dos equipamentos de combate a incêndio, a inspeção geral das rotas de fuga, a elaboração de relatórios de irregularidades, o encaminhamento do relatório aos setores competentes, a orientação à população fixa e flutuante e os exercícios simulados.

Por: Marianna Peres - Secom/VG