Prefeitura de Várzea Grande promove trabalho social no Residencial São Benedito

Parceria
Prefeitura de Várzea Grande promove trabalho social no Residencial São Benedito

As ações integram o Plano de Desenvolvimento Socioterritorial (PDST) previsto no programa Minha Casa Minha Vida, em parceria com o Banco do Brasil


03/02/2020    375

Rodas de conversas sobre educação sanitária e ambiental, vivência em família, política de segurança pública, planejamento familiar, questões antidrogas, cursos para geração de renda, tardes culturais, entre outras atividades, são exemplos de ações sociais desenvolvidas pela Prefeitura de Várzea Grande, através da Secretaria de Assistência Social junto aos moradores do residencial São Benedito na região do Grande São Matheus.

As ações integram o Plano de Desenvolvimento Socioterritorial (PDST) previsto no programa Minha Casa Minha Vida, assinado pela prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, junto ao Banco do Brasil para a execução do trabalho social a 1.281 famílias beneficiadas nas três etapas do residencial.

“Essa é uma ação inédita em Várzea Grande, a execução desse trabalho social integra as políticas públicas municipais já desenvolvidas pela Assistência Social. Porém inicialmente realizamos um diagnóstico e elaboramos um planejamento que é aprovado pelo Banco do Brasil e posteriormente executamos cada etapa. O PDST é importante para a população destes empreendimentos, que passam a ter acesso a projetos sociais que contribuem para a melhoria da qualidade de vida, mais igualdade social e oportunidades de desenvolvimento”, pontua a secretária municipal de Assistência Social, Flávia Omar.

O Trabalho Social nas intervenções habitacionais configura-se como um leque de ações permeadas por uma perspectiva socioeducativas e de políticas cujo horizonte de trabalho é a melhoria da qualidade de vida das pessoas, a defesa dos direitos sociais, o acesso à cidade, à moradia, aos serviços públicos, aos direitos e deveres, à manutenção dos bens e serviços, e o incentivo e fortalecimento da participação e organização autônoma da população.

“Em 2019, por exemplo, já executamos cursos de primeiros socorros, pintura em tecidos, customização de objetos e detectamos a demanda de outras necessidades de acordo com o público residente no São Benedito. Ao todo foram 11 atividades trabalhadas sempre uma vez por mês, aos finais de semana. O trabalho social representa um grande avanço no sentido de que, muito mais do que oferecer uma moradia aos indivíduos é preciso assegurar a eles o direito de participar ativamente de decisões que lhes dizem respeito, e ainda promover os meios para o desenvolvimento de outras liberdades, garantindo a oferta de serviços públicos de qualidade e fortalecendo sua participação na vida social, política e econômica da comunidade, para isso envolvemos também outras secretarias”, assegura a gestora.

Flávia Omar explica ainda que após a família ocupar o residencial é necessário garantir o desenvolvimento econômico e social local. “O trabalho é uma ferramenta de efetivação dos direitos sociais e a melhoria das condições de vida das famílias, bem como a preservação dos bens e equipamentos disponíveis no empreendimento. Está amparado na Lei 11.977/2009, o ente Público disponibiliza equipe técnica encarregada pelo planejamento, execução e avaliação das ações do Trabalho Social, em intervenções habitacionais com população de baixa renda, e garante as ações do Trabalho Social visando garantir a qualidade dos serviços prestados”, explicou Flávia Omar.

Estão previstas para ocorrer aos finais de semana de 2020 no Residencial São Benedito oficina de capacitação de lideranças e comunidade; palestra sobre feminicídio; planejamento familiar e orçamentário; auto cuidado e qualidade de vida; artesanato em feltro; técnicas de venda; convívio comunitário; curso de maquiagem; oficina de empreendedorismo; oficina cultural para crianças, desenvolvimento de habilidades e orientação ao mundo do trabalho; entre outras.

Por: Rafaela Maximiano - Secom/VG