Prefeitura trabalha em plano de assistência social a grupos vulneráveis durante pandemia do coronavírus

Ações Emergenciais de Atendimento
Prefeitura trabalha em plano de assistência social a grupos vulneráveis durante pandemia do coronavírus

Os programas socioassistenciais as populações vulneráveis estão no plano emergencial de atendimento


23/04/2020    1905

Durante a pandemia do novo coronavírus, o Covid-19, as áreas essenciais continuam a exercer suas atividades. E, a Assistência Social é uma das que integra este hall de ações. Para tanto, foi criado pela Secretaria de Assistência Social de Várzea Grande um plano de ação emergencial para o atendimento a pessoas em vulnerabilidade no município. Entre as ações listadas está a identificação e acolhimento das pessoas em situação de rua, famílias cadastradas no Bolsa Família, frequentadores dos Centros de Referência de Assistência Social, além de outros grupos vulneráveis como idosos e gestantes.

A secretária da pasta, Flávia Omar, explica que o principal objetivo é proteger e acolher a população em vulnerabilidade social, priorizando a vida. Para isso, os projetos Pão e Leite, Amigas Empreendedoras, Caderno II, Juventude Ativa, Laços Maternos e Criança Feliz tiveram suas atividades tradicionais suspensas, e, passaram por uma adaptação.

“Seguimos orientações do Comitê de Enfrentamento do Covid – 19 do  Município e os nossos trabalhos não pararam. Reorganizamos a oferta de serviços dentro do nosso objeto de atuação para que a política de assistência social em si não deixe de ser ofertada. Até porque nós integramos o hall de serviços essenciais. Nós sabemos que a pandemia traz efeitos sociais muito graves e profundos. Então precisamos atender a nossa população menos assistida”, explicou.

Os projetos sociais ‘Pão e Leite’ e ‘Laços Maternos’, por exemplo, após reorganização  e novas adaptações para este período, estão atuando estrategicamente. Moradores cadastrados dos bairros Lagoa do Jacaré, Princesa do Sol, Vila Vitória, Engordador, Carrapicho, Jardim das Oliveiras e Parque São João estão recebendo pão e leite com agendamento prévio, evitando aglomerações e sob medidas de distanciamento e higiene, bem como gestantes do programa Laços Maternos, estão sendo assistidas e orientadas pela internet e realizam suas oficinas em casa.

Com o projeto ‘Criança Feliz’ não é diferente. Segunda a gestora Flávia Omar, as mães estão recebendo vídeos orientativos ajudando as crianças em casa, fortalecendo o vínculo afetivo entre mãe e filhos. “É interessante ressaltar que este plano de ação emergencial de assistência social executa ações a fim de garantir a oferta dos serviços aos que precisam, especialmente no momento atual, porque é nesse momento que precisamos estar lá na ponta com esses usuários ofertando o atendimento”, complementou.

O plano de ação também prevê a frente humanitária, olhando para as famílias que não estão podendo trabalhar e ter seu sustento. “Estamos comprando cestas básicas para a distribuição, a famílias com demanda espontânea, que procuram as nossas unidades e passam por análise. Mas o apoio solidário das empresas é muito bem-vindo e fundamental nesse momento. Recebemos, por exemplo a doação de 1000 cestas básicas da Fundação André e Lúcia Maggi. A hora é de união e parceria para o bem das pessoas”, destaca a secretária de Assistência Social.

AUXÍLIO EMERGÊNCIAL – Segundo levantamento da Secretaria de Assistência Social, em Várzea Grande 15.868 famílias são beneficiárias do Programa Bolsa Família e serão contempladas com o Auxílio Emergencial ao Cidadão que serão pagos de acordo com calendário divulgado pela Caixa Econômica Federal. Dentre eles, 2.945 receberão R$ 600,00, outros 11.980 receberão R$ 1.200,00 e as 943 famílias restantes receberão R$ 1.800,00. 

OUTROS PROJETOS - Na Casa Lar, as crianças estão em isolamento social com as mães sociais . No Lar dos Idosos as medidas seguem rigorosas no combate ao Coronavírus e as visitas estão proibidas. O Serviço de Convivência dos idosos também está atuando através de vídeos. Os idosos assistidos pelo programa recebem dos facilitadores vídeos de atividade física e cuidados mental e de higiene. “ Qualquer relação de afeto é importante. Esse contato, mesmo que virtual, faz bem à saúde mental deles e, consequentemente, à saúde física também. É uma atitude simples, mas de uma generosidade incrível, que leva alegria e evita até doenças mais sérias como a depressão. É emocionante ver essa relação de cuidado e carinho mesmo com a distância por conta da pandemia que estamos vivendo. Nosso objetivo é fazer o que está ao nosso alcance para manter a autoestima deles e proporcionar uma velhice digna”, concluiu a gestora.

 

Por: Rafaela Maximiano - Secom/VG