Alunos inclusos da educação especial também participam de colônia de férias
ALÉM DA SALA DE AULA

Alunos inclusos da educação especial também participam de colônia de férias

A colônia de férias é realizada de forma presencial, ao ar livre e área coberta, com todos os cuidados e seguindo os protocolos de biossegurança

Os 190 alunos que são atendidos no Centro Municipal de Atendimento e Apoio à Inclusão João Ribeiro Filho também estão participando da Colônia de Férias promovida pela Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Smecel). O público-alvo são os alunos com deficiência de 05 a 14 anos de idade da rede municipal de ensino. As atividades serão realizadas de segunda a quinta-feira (12 a 15), com turmas no período da manhã e da tarde.

A colônia de férias é realizada de forma presencial, ao ar livre e área coberta, com todos os cuidados e seguindo os protocolos de biossegurança, com a aferição de temperatura na entrada dos alunos e acompanhantes, uso de máscara obrigatória, higienização das mãos, assim como a limpeza e sanitização diária dos ambientes.

A coordenadora-geral do centro, Benedita Loadir Pereira Leite, explica que o evento tem como objetivo proporcionar momentos de interação e descontração entre alunos, família e os profissionais do centro. “Estamos promovendo atividades lúdicas, esportivas e educativas, oportunizando a todos, momentos de compartilhamento e descontração, obedecendo todos os protocolos de biossegurança”, destaca.

Entre as atividades realizadas estão a contação de história, jogos (dominó, memória, quebra-cabeça), karaokê, artes (pintura com tinta guache, argila e massa de modelar). Os alunos participam também de oficinas de esportes, com jogos recreativos com bola, vôlei sentado, boliche, brincadeira de roda e recreação com pescaria, piscina de bolinhas e cama elástica. Tem também comes e bebes com cachorro quente, arroz doce, maçã do amor, pipoca e sucos.

Suzete Aparecida de Moraes Almeida, mãe da pequena Evelin, de 8 anos, diz que a filha ficou toda eufórica e empolgada quando soube que iria participar da colônia de férias. “Acho muito importante essa ação para as crianças especiais, pois elas têm momentos de alegria, interação e descontração. Elas se divertem muito”.

A filha de Suzete tem hidrocefalia, o que acarretou em uma paralisia motora. A mãe conta que desde os 4 anos de idade ela recebe o atendimento no centro e desde então evoluiu muito. “Ela desenvolveu bastante aqui, principalmente na fala. Fico muito agradecida por ela receber todo esse atendimento”.

Para Francini Franco Ferreira da Silva, mãe de Beatriz Ferreira da Silva, 10 anos, ações como a colônia de férias são muito importantes para as crianças especiais, principalmente pela integração entre elas. “A minha filha gostou muito de participar e já está perguntando quando terá novamente. Acho que deveria ocorrer mais vezes”.

A mãe conta que foi a escola onde ela estuda que identificou a dificuldade da menina para a leitura, ela reconhecia as letras, mas tinha dificuldades em formar palavras. Foi quando surgiu a suspeita da dislexia. “Para mim foi uma bênção esse lugar, o atendimento aqui é muito bom, a equipe é muito acolhedora e todos têm um coração imenso. Sempre que eu e minha filha chegamos aqui, todos nos recebem com muito carinho”.

O centro João Ribeiro Filho, localizado no centro de Várzea Grande, é referência em Mato Grosso com atendimento para crianças que apresentam autismo, síndrome de Down, deficiência física, visual, auditiva, deficiência intelectual e outros transtornos de hiperatividade (TDH), transtorno de leitura e escrita (Dislexia) e transtorno de aprendizagem. Esses alunos recebem atendimento especializado nas áreas de psicologia, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, serviço social e psicomotricidade aquática.