Iniciativa ganha importância em VG e se torna opção de geração de renda e fomento ao empreendedorismo
FEIRA DA AGRICULTURA FAMILIAR

Iniciativa ganha importância em VG e se torna opção de geração de renda e fomento ao empreendedorismo

Pequenos produtores rurais e microempreendedores estão tendo a oportunidade de comercializar seus produtos e ampliar o leque de clientes. Na outra ponta, consumidores têm acesso às mercadorias frescas e sem intermediários

Mais do que fortalecer a agricultura familiar de Várzea Grande, a feira promovida pela prefeitura municipal, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, está criando um mercado cativo de consumo e estimulando o empreendedorismo entre pequenos produtores rurais e microempreendores. A ‘Feirinha’ como é conhecida, está sendo realizada todas as quartas-feiras, das 8h às 17h, no Paço Municipal. No mix de produtos estão frutas, verduras e hortifrutis produzidos e colhidos pelos próprios produtores, que ofertam produtos frescos e sem intermediários.

Além do colorido típico da feira promovido pelas frutas e verduras, o espaço abre oportunidade para a comercialização de produtos artesanais, em parceria com a Casa de Artes, e ainda para produção caseira de bolos, pães, biscoitos, doces e chocolates. A feirinha está promovendo o empreendedorismo e estimulando os participantes a ampliar sua gama de produtos por meio de novos conhecimentos e investimentos.

Como destaca a primeira-dama de Várzea Grande, a Promotora de Justiça, Kika Dorileo Baracat, nesse momento em que os alimentos ficam mais caros a cada ida ao supermercado, a feira surge como uma importante aliada do orçamento doméstico ao trazer para perto do consumidor opções com qualidade e preços mais acessíveis, direto de quem produz. “Para além desse ganho, há outro impacto positivo nessa concepção de negócios. Vemos muitas mulheres comercializando seus produtos artesanais, mostrando a força do empreendedorismo feminino e como ele pode melhorar a vida das famílias”.

Estudo do Sebrae/MT aponta que 30% dos pequemos negócios criados no Estado são abertos por mulheres.

A concepção da primeira-dama se confirma na história de Neide Nantes, do bairro Centro-Sul, que deixou a corretagem e a representação comercial para se dedicar somente à produção de biscoitos e doces artesanais. “Nesse pouco tempo que passei a integrar a feira, aumentei a clientela, estou com bastante encomenda e a minha projeção financeira de vendas aqui foi superada”. Além de despertar o empreendedorismo, Neide diz com orgulho que foi em busca de conhecimento e criou uma exclusividade: o casadinho de banana.

A ‘Feirinha’ será realizada até a última quarta-feira antes do Natal, ou seja, até o dia 22 de dezembro, quando dá uma pausa em razão das festividades de final de ano e retoma na segunda quarta-feira de janeiro de 2022.

QUALIDADE - Como explica o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, Célio Santos, todos os produtos comercializados na Feira da Agricultura Familiar de Várzea Grande são cultivados com uso mínimo de defensivos agrícolas e oriundos diretamente das comunidades rurais de Várzea Grande que integram a cooperativa de comercialização, a Coopeveg.

“No local temos à disposição frutas, legumes, raízes e folheosas orgânicas, 100% naturais colhidas e transportadas de maneira adequada por nossa equipe técnica. A ação tem a meta de estimular o protagonismo desses produtores em seus negócios, oferecendo à população segurança alimentar e nutricional”.

A promoção da ‘Feirinha’ é apenas uma ação, entre várias realizadas pela Pasta para o fortalecimento de políticas públicas voltadas à comercialização, fomento e incentivo à agricultura familiar e à economia solidária dos pequenos produtores domiciliados nas áreas rurais de Várzea Grande e Baixada Cuiabana.