Prefeitura de Várzea Grande recebe prêmio do Instituto Desportivo da Criança
EDUCAÇÃO

Prefeitura de Várzea Grande recebe prêmio do Instituto Desportivo da Criança

Premiação reconhece ações desenvolvidas pelo programa social que oferece aulas de música, futebol e vôlei a crianças do município.

A Prefeitura Municipal de Várzea Grande, através da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (SMECEL)  recebeu o prêmio “Brotar” do Instituto Desportivo da Criança (IDC), com o título de " Parceiro Socialmente Responsável " pelo apoio nas ações desenvolvidas pelo programa social que oferece aulas de música, futebol e vôlei. As atividades ocorrem nos projetos desenvolvidos pela SMECEL como o Vôlei Kids, Dó Ré Mi Kids e Futebol Kids. Os alunos da Rede Municipal de Ensino são das escolas municipais: EMEB Abdala José de Almeida, EMEB Júlio Corrêa e EMEB Salvelina Ferreira da Silva.

A secretária adjunta da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Várzea Grande (SMECEL), Maria Alice de Barros, esteve na solenidade de premiação representando o secretário municipal de Educação, Silvio Fidelis e o prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat.” O projeto do IDC contribui muito com o aprendizado e o desenvolvimento saudável das crianças”, disse.

O secretário Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (SMECEL) de Várzea Grande, Silvio Fidelis ressaltou que o prêmio do IDC foi recebido pelo prefeito Kalil Baracat com grande satisfação. “Para todos nós é uma honra fazer parte da rede de parceiros do IDC”, afirmou.

O Instituto Desportivo da Criança (IDC) desenvolve atividades há 19 anos e este ano homenageou 120 parceiros do projeto. Atualmente 650 crianças e adolescentes, de 7 a 16 anos, matriculados nas escolas públicas municipais de Várzea Grande, Cuiabá e Chapada dos Guimarães.

O presidente do IDC, Paulo Boscolo disse que as crianças beneficiadas com o projeto melhoram o desenvolvimento escolar e o comportamento social. As aulas de música e esportes são desenvolvidas nos períodos em que os alunos não estão na sala de aula. “As atividades ajudam a melhorar a concentração, memória e habilidades físicas”, concluiu.