Saúde promove reunião de monitoramento do planejamento anual e avaliação sobre metas estabelecidas e alcançadas para este ano
GESTÃO ESTRATÉGICA

Saúde promove reunião de monitoramento do planejamento anual e avaliação sobre metas estabelecidas e alcançadas para este ano

A abordagem dos resultados pautou os avanços na política de promoção e prevenção a saúde na Atenção Primária, que conquistou a habilitação de novas equipes de saúde, que saíram de poucos mais de 30 para mais de 60 equipes.

No planejamento estratégico da Saúde Pública de Várzea Grande, a realização de monitoramento e avaliação das iniciativas e estratégias propostas é uma etapa fundamental para verificar o alcance das metas estabelecidas no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) - na Programação Anual da Saúde (PAS) - e verificação dos Indicadores de Pactuação Federativa. Nesse sentido, o secretário Municipal de Saúde, Gonçalo de Barros, realizou reunião, nesta semana, para avaliação das ações com todos os superintendentes da pasta.

O objetivo da reunião, segundo Gonçalo de Barros, foi o de acompanhar a implementação das estratégias por meio do monitoramento dos indicadores, das metas e das iniciativas constantes nos instrumentos de gestão, visto que se aproxima o último quadrimestre do ano e é necessário fazer ajustes, alinhar as metas nesta reta final do ano, a fim de, prestar conta nos Relatórios Quadrimestrais de Saúde, preconizado na Lei complementar nº 141/2012.

“As reuniões de avaliação ajudam e resolvem problemas de curto, médio e longo prazos e monitoram o aprimoramento dos principais processos operacionais. Assim, a partir da análise dos resultados e das ações realizadas podem ser sugeridas alterações para aprimoramento da estratégia e melhorias no desempenho institucional do SUS municipal. Não basta elaborar uma boa estratégia, é preciso implementá-la. Com o advento de novas doenças, pandemias, o quadro na saúde pública muda a todo momento”, pontuou o gestor.

De acordo com o prefeito Kalil Baracat, todos os gastos devem estar dentro das ferramentas de gestão do SUS. Os que surgem de última hora, por exemplo, são pactuados no Conselho de Saúde e incluídos, como ocorreu com a Covid-19 e agora com a nova doença, a monkeypox, que surgiu recentemente. “Várzea Grande já tem a confirmação de dois casos. Todas as eventualidades devem constar nesse planejamento. Tudo no SUS é financiado, ou pelo Ministério da Saúde ou pelo Estado, e é utilizado os recursos próprios do Município. Como os recursos são poucos, o importante é priorizar e planejar os gastos naquilo que a população mais necessita”.

No âmbito do SUS, resgatar ou construir a cultura de planejamento é, ao mesmo tempo, um avanço e um desafio. Nessa parte, consta os resultados acerca da estrutura e do funcionamento constante no Relatório Anual de Gestão (RAG) e na Programação Anual de Saúde (PAS)  o que permite executar avaliação sistemática das ações e das políticas de saúde implantadas na Secretaria Municipal de Saúde, obtendo por meio do debate entre os gestores das várias áreas da saúde, análises diagnósticas de situação quadrimestrais e anuais, capazes de orientar os ajustes necessários e subsidiar novas políticas, planos e projetos, e enquadrar as necessidades no orçamento previsto.

“Sendo o Sistema Único de Saúde (SUS) uma grande rede que assiste à população, com prestação de serviços básicos e avançados, envolvendo profissionais de diferentes áreas, recursos financeiros, equipamentos, métodos funcionais, aquisições de medicamentos e insumos de saúde, além de equipamentos de alta tecnologia, um bom planejamento garante a execução e fortalecimento dos serviços oferecidos e prestados para a nossa sociedade”, garantiu o secretário.

De acordo com o secretário, o compromisso é realizar o planejamento para execução da política municipal de saúde, em cumprimento aos princípios, diretrizes e normas do SUS, prestando informações de saúde e da gestão dos serviços, gastos, aos órgãos de Controle, como o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, Conselho Municipal de Saúde, Câmara Municipal, e Ministério da Saúde. “É a forma transparente de prestar contas à sociedade e utilização dos recursos de forma correta”, disse.

Segundo Marcos Tertuliano de França, técnico da Assessoria de Planejamento, a reunião de condução busca compartilhar também com  superintendentes os avanços alcançados como  17 novos leitos no Hospital e Pronto-Socorro, criando uma Ala Vermelha na melhoria dos serviços na unidade, além do anúncio da instalação de mais 30 leitos de UTI, que irão funcionar na nova estrutura que será construída no Hospital e Pronto-Socorro.

A abordagem dos resultados pautou os avanços na política de promoção e prevenção a saúde na Atenção Primária, que conquistou a habilitação de novas equipes de saúde, que saíram de poucos mais de 30 para mais de 60 equipes, que trará acesso de serviços a toda a população várzea-grandense de forma descentralizada e mais próximo das casas, visto que as unidades estão instaladas nos bairros da cidade, em todas as regiões.