Festival Paralímpico celebra a inclusão e abre as portas para o Centro de Referência Paralímpico
VÁRZEA GRANDE

Festival Paralímpico celebra a inclusão e abre as portas para o Centro de Referência Paralímpico

Fiotão recebeu mais de 150 crianças com e sem deficiência para atividades.

O ginásio Fiotão recebeu na manhã do último sábado (24) mais de 150 crianças com e sem deficiência para um dia de inclusão e diversão, com atividades lúdicas e recreativas baseadas em diferentes modalidades de esportes adaptados, durante o primeiro Festival Paralímpico de Várzea Grande. O evento, realizado pela Prefeitura, por meio Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Smecel), e em parceria com o Comitê Paralímpico Brasileiro, também abre as portas para as atividades do Centro de Referência Paralímpico da cidade.

Para o Secretário da pasta, Silvio Fidelis, o evento se destaca por mostrar para o restante da sociedade a importância de uma postura inclusiva e sensível com as pessoas com deficiência. "O que a gente quer é envolver as crianças com alguma deficiência desde o começo. Isso começa na escola e passa também pelo esporte, pela cultura e pelo lazer", afirmou.

Durante o evento, os participantes passaram por seis estações diferentes, com atividades baseadas em vôlei sentado, basquete em cadeira de rodas, goalball, judô, arremesso de peso e bocha. "Além da inclusão, o evento de hoje serve para a gente começar a observar as aptidões de cada pessoa PCD nessas modalidades e então convidá-los para participarem do Centro de Referência Paralímpico da cidade", explicou o superintendente de Esporte e Lazer, Jadir Pereira.

Atualmente, Várzea Grande compete em jogos paralímpicos com aproximadamente 10 atletas, em modalidades como Parabadminton, goalball, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e halterofilismo. "As pessoas com deficiência precisam muito da inclusão e o esporte é uma forma disso. Parabenizamos o prefeito Kalil Baracat, o secretário Silvio Fidélis e todos os envolvidos, pois será um marco e uma esperança para todas as crianças", destacou o presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, Diney Ribeiro Campos.

Também presente no evento, o medalhista paralímpico Romário Diego Marques também falou sobre a importância da inclusão através do esporte. "Acho que esse evento é de suma importância para divulgar o paradesporto nos municípios e no estado e tenho certeza que vamos gerar muitos atletas aqui para o Brasil, que vão conquistar ainda mais medalhas", completou.

De Várzea Grande, apesar de ainda estar disputando competições estudantis, o paratleta medalhista Pedro Lucas de Magalhães Cavanha falou sobre o papel do esporte em sua vida. "Eu vejo como uma forma de experimentar coisas novas, conhecer lugares novos, ver até onde nosso corpo pode ir. Uma pessoa como eu, de vez em quando sofre, porque às vezes acham que sou incapaz de fazer essas coisas, mas pelo esporte elas conseguem ver que a pessoa com deficiência pode ir além", concluiu.

O Festival Paralímpico também teve apoio do governo de Mato Grosso e aconteceu simultaneamente em diversas cidades brasileiras, em comemoração ao dia do paratleta, comemorado todo dia 24 de setembro.