Prefeitura e parceiros promovem ação em conjunto com comunidade para definir melhorias na Lagoa do Jacaré
MEIO AMBIENTE

Prefeitura e parceiros promovem ação em conjunto com comunidade para definir melhorias na Lagoa do Jacaré

Cerca de 50 pessoas se reuniram no último sábado (5) e debateram sobre cercamento temporária do local para inibir descarte de resíduos.

A Lagoa do Jacaré, localizada no bairro Cristo Rei, tem sido o foco das atenções de diversas instituições, incluindo a Prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável (SEMMADRS), e da comunidade local, pela sua importância ambiental, social e urbanística. Prova disso é o evento realizado durante toda a manhã do último sábado (05), na margem da lagoa, que reuniu cerca de 50 pessoas, para debater sobre melhorias para a região.

Enquanto parceira do projeto Lagoa do Jacaré, juntamente com o Programa de Pós-Graduação em Recursos Hídricos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) e o Ministério Público de Mato Grosso, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável tem coordenado subprojetos de Ações Comunitárias e Intervenções Urbanas, já tendo realizado diversas ações de Educação Ambiental com alunos das Escolas Estaduais José Leite de Moraes e Salim Nadaf e aplicação de questionário com 70% dos moradores sobre a Lagoa do Jacaré. Além disso, está a frente do estudo topográfico para posterior elaboração de projeto urbanístico.

No evento de sábado, foram apresentados alguns resultados desse trabalho e, com aval da população daquela localidade, foi definido que o entorno da lagoa será cercado temporariamente, enquanto as demais vertentes do projeto são desenvolvidas. Isso porque o local funcionava irregularmente como bolsão de lixo, apesar da fiscalização. Na semana passada, a Subprefeitura do Cristo Rei retirou 29 caminhões de entulho do local. “O projeto está correndo e enquanto ele vai se adiantando, precisamos manter o que temos da lagoa. Por isso, vamos cercá-la com alambrado para proteger do descarte de resíduos e de ocupações irregulares”, explicou Cíntia Serrano, coordenadora de Educação Ambiental da SEMMADRS.

Participação popular

Na oportunidade, os moradores do bairro também expuseram suas opiniões e memórias acerca da Lagoa do Jacaré. Osvaldo de Matos, que mora na região desde 1980, lembra que a lagoa servia como espaço para banho e pesca. “O pessoal tomava banho, bem ali tinha uma praia com água limpa. Aqui tinha jacaré, sucuri, traíra... De 90 pra cá que a população aumentou, aí começou a fazer a sujeira e acabou a praia, acabou tudo”, contou.

Joel Paulo da Silva, que mora há cerca de 2 anos em frente a Lagoa do Jacaré, mostrou-se animado com o projeto de revitalização. Ele relata que por conta da grande quantidade de lixo, o local acaba se tornando perigoso. “Para nós, esse projeto vai evitar a violência porque aqui ficava muito escuro, com lixo pra todo lado, animal morto, as pessoas vinham de outros bairros para jogar aqui. Hoje o que nós estamos vendo aqui é maravilhoso e nós vamos procurar ajudar e fazer a nossa parte”, disse.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, Célio Santos, destacou que o projeto Lagoa do Jacaré é feito a várias mãos, como Prefeitura, UFMT, Ministério Público, Seduc e comunidade, ressaltando a importância deste último grupo.

“O principal é exatamente a participação dos moradores do entorno, que já se sensibilizaram e estão participando ativamente da elaboração do projeto como um todo. A própria Constituição define claramente que o meio ambiente é responsabilidade do Poder Público e de toda a coletividade. Mas para que a gente possa chegar nesse ponto, é preciso um trabalho de conscientização da sociedade. E nós temos percebido que isso está acontecendo na prática. Não é à toa que estamos aqui num sábado contando com a participação muito significativa da população”, pontuou.

Também estavam presentes no evento a promotora de Justiça Michelle Villela, da 4ª Promotoria Cível de Várzea Grande; Ibraim Fantin-Cruz e Rafael Pedrolo, professores do Programa de Pós-Graduação em Recursos Hídricos da UFMT; Selma de Souza Nunes, mestre em Recursos Hídricos, pesquisadora e professora de Biologia da Escola Estadual José Leite de Moraes, além de toda equipe da Coordenação de Educação Ambiental da SEMMADRS e estudantes das Escolas Estaduais José Leite de Moraes e Salim Nadaf.

Conforme o gestor, todas demandas apresentadas pela população serão levadas aos demais setores da Administração municipal para que um trabalho amplo seja realizado. “O prefeito tem nos apoiado e deu total autonomia para estar desenvolvendo as ações necessárias”.

Lagoa do Jacaré - A Lagoa do Jacaré é uma das nascentes do Córrego Jacaré, localizada na região do Cristo Rei. Este córrego é afluente do rio Cuiabá, que por sua vez é um importante rio da Região Hidrográfica do Paraguai e um dos principais tributários do Pantanal Mato-grossense.