Crianças e adolescentes de bairros aprendem a como combater à dengue
MULTIPLICADORES

Crianças e adolescentes de bairros aprendem a como combater à dengue

A prevenção à dengue é um dos eixos temáticos que são desenvolvidos por todos os polos de atuação do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e que juntamente com a secretaria de Educação e Saúde trabalham a conscientização e a promoção da saúde.

Crianças e adolescentes dos bairros 23 de setembro, Serra Dourada e Jardim Esmeralda que participam dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), estão aprendendo na prática como ajudar a combater a dengue, no local onde realizam as atividades e também em suas casas.  Durante a aula de campo, eles fazem a coleta de garrafas plásticas, tampinhas de refrigerantes e também a retirada de água de recipientes e vasos de plantas. 
 
Como explica a orientadora social, Laurinéia Gonçalves da Costa, que atua no bairro 23 de Setembro, a dengue é uma doença perigosa e com a chegada do período de chuvas é importante que as famílias se atentem a pequenos cuidados, como não deixar água parada dentre outras ações que intensificam o combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue. “As crianças são multiplicadoras por isso o que ensinamos aqui, elas realizam em casa e essa conscientização é repassada para toda a família. 

Com uma dinâmica bem divertida, as crianças do bairro Jardim Esmeralda resolveram sair as ruas para conscientizar os moradores do bairro quanto aos cuidados com o quintal de casa, e principalmente, levando informações sobre o causador da dengue, o mosquito ades aegypt.  

“Eles foram as casas e conversaram com os moradores, também falaram sobre o causador da dengue além de fixarem panfletos nas casas que foram visitadas. Esse trabalho de orientação as famílias são necessárias e bastante educativa, principalmente, para as crianças que participaram da ação. Com certeza serão adultos mais conscientes”, destacou a orientadora social Renita Borges Barros. 

A usuária do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Kamilly Sophia Borba Gonçalves, 9 anos, foi uma das interlocutoras do grupo. Ela conversou com os moradores do bairro Jardim Esmeralda e ajudou na distribuição de panfletos.  “Estamos fazendo a nossa parte”, comentou.   

 A coordenadora de Proteção Básica, Bernadete Miranda destaca que a prevenção à dengue é um dos eixos temáticos que são desenvolvidos por todos os polos de atuação do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e que juntamente com a secretaria de Educação e Saúde trabalham a conscientização e a promoção da saúde. 

Doença: A dengue é uma infecção viral transmitida pela espécie fêmea do mosquito Aedes aegypti. O Ministério da Saúde registrou o primeiro caso da doença no Brasil em 1981, apesar de relatos da doença aparecerem desde o final do século XIX. Em 1986 surgiram as primeiras epidemias de dengue, em capitais do Nordeste e no Rio de Janeiro.  Desde então, a doença tem sido um problema de saúde pública não só no Brasil, uma vez que a Organização Mundial da Saúde colocou a dengue entre as 10 ameaças globais à saúde em 2019. 
 

A dengue clássica tem sintomas como febre alta, dores intensas de cabeça, nos olhos e músculos do corpo inteiro. Já a dengue hemorrágica é uma forma mais grave da doença, que além dos sintomas da dengue clássica os pacientes também têm calafrios, náuseas e vômitos.