Marajá doa mais dois ecopontos para descarte de garrafas pet ao Parque Berneck; secretário destaca conscientização dos frequentadores
RECICLAGEM

Marajá doa mais dois ecopontos para descarte de garrafas pet ao Parque Berneck; secretário destaca conscientização dos frequentadores

Montante de resíduos descartados serão destinados a associações de catadores de recicláveis.

Dois meses e meio depois da inauguração do primeiro ecoponto para descarte de garrafas pet no Parque Berneck, graças à doação da fábrica de refrigerantes Marajá, a empresa renova seu compromisso com o meio ambiente, doando mais dois ecopontos no mesmo local, por meio do projeto “Saudável Por Natureza”, em parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável (SEMMADRS).

A instalação e entrega ocorreu na última quarta-feira (9). Dessa forma, o Parque Berneck passa a contar com três ecopets: um que fica ao lado do portão de entrada, outro próximo ao playground e um terceiro ao lado do banheiro. O secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, Célio Santos, destaca que a necessidade de ampliação da estrutura se deu devido ao grande fluxo de visitantes do parque que utilizam o espaço para realização de pequenas confraternizações e também à conscientização deles em relação ao descarte correto.

“Existe um grande volume de membros da sociedade que frequentam o parque e se utilizam dele para realizar piqueniques, festas de aniversário. E esses eventos geram algum tipo de resíduo, entre eles garrafas pet. E para poder facilitar o descarte adequado, nós instalamos esses dois ecopets, que vão contribuir tanto com o recolhimento desse material reciclável, quanto com a educação ambiental como um todo. A população tem avançado nessa conscientização e temos tido uma receptividade muito boa”, afirma.

De acordo com Ulana Maria, diretora executiva da Marajá, o projeto “Saudável Por Natureza”, que tem várias formas de atuação, visa reduzir os impactos ambientais. “A questão do meio ambiente é muito importante para a empresa porque é onde impactamos. À medida que a gente coloca embalagem no mercado, também promovemos ações para que se recolham”, explica.

Conforme a executiva, além da preservação ambiental, o projeto também gera inclusão social, já que as garrafas pet coletadas são destinadas para cooperativas de catadores de material reciclável de Várzea Grande, que já são apoiados pela empresa com a doação de equipamentos utilizados no processo de reciclagem.

Para o secretário Célio Santos, outro ponto positivo dos ecopontos é que eles vão contribuir não só com o município de Várzea Grande, mas com a preservação do bioma Pantanal, que está interligado com a cidade através do rio Cuiabá. “Sabemos que o plástico demora cerca de 200 anos para ser decomposto na natureza. Basta uma visita rápida ao rio Cuiabá para perceber a quantidade de garrafas pet que lá se encontram. E, muitas vezes, elas não são descartadas diretamente no rio Cuiabá, mas às margens dos córregos, das nascentes e, com a chuva, esses resíduos vão parar no rio Cuiabá que, consequentemente, vai parar no Pantanal”, pontua.